Libertadores

Soteldo fez um golaço de falta, e Santos se segurou para avançar na Libertadores

O Santos contou com uma perfeita cobrança de falta de Yeferson Soteldo e resistiu sem grandes problemas à pressão do Deportivo Lara no segundo tempo para arrancar o empate por 1 a 1 fora de casa que lhe era necessário para avançar à terceira fase da Libertadores.

O Peixe havia vencido na Vila Belmiro por 2 a 1 e, apesar de um amplo domínio no primeiro tempo, marcou apenas na linda bola parada de Soteldo. Aos sofrer o empate pouco depois do intervalo, precisou se defender com competência para não colocar em risco a vaga para enfrentar San Lorenzo ou Universidad de Chile por um lugar na fase de grupos.

O primeiro tempo teve o Santos com 70% de posse de bola, o Deportivo Lara se defendendo, e pouca coisa além disso. Foram apenas quatro finalizações, duas para cada lado, três para fora. Faltou criatividade e velocidade para os brasileiros e faltou tudo aos venezuelanos. Pelo menos, a exceção foi digna de nota.

Aos 36 minutos, Soteldo recebeu pela esquerda e, da entrada da área, tentou o passe em profundidade. Foi derrubado. Quase um pênalti, ainda uma falta muito perigosa. Ele próprio cobrou, com extrema classe, nem tanto no ângulo, mas no canto superior direito do goleiro Curiel.

Com esse golaço, o Santos passou a ter 3 a 1 de vantagem no placar agregado, também tendo marcado fora de casa, mas o Deportivo Lara não demorou muito para voltar à disputa. Aos 16 minutos da etapa final, Ignacio Anzola apareceu sem marcação para completar uma jogada ensaiada e empatar a partida.

Diminuiu a margem de erro do Santos. E o Deportivo Lara aumentou o ritmo em busca do gol que levaria a decisão aos pênaltis. De qualquer maneira, os brasileiros continuaram mais perigosos, próximos de matar o jogo em um contra-ataque.

Marcos Leonardo teve uma boa chance, e Pará, de fora da área, exigiu uma boa defesa de Curiel, embora a bola provavelmente batesse na trave de qualquer maneira. Nos minutos finais, houve pressão dos venezuelanos, mas o Santos foi capaz de resistir a ela e avançar à próxima fase.

.

.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo