Libertadores

Sorteio da Libertadores: São Paulo enfrentará o Nacional-URU nas oitavas de final

Tricolor se livra de adversários mais difíceis, mas não terá vida fácil contra rival que é seu freguês na Libertadores

Os são-paulinos certamente esboçaram um sorriso, ainda que tímido, assim que o nome do clube saiu no sorteio das oitavas de final da Libertadores, nesta segunda-feira (3), na sede da Conmebol. Após encerrar a primeira fase na liderança do Grupo B, o São Paulo terá pela frente o Nacional do Uruguai, que se classificou como segundo colocado do Grupo H.

Os confrontos das oitavas de final da Libertadores estão marcados para as semanas de 14 e 21 de agosto. O Tricolor faz o primeiro jogo fora de casa e decide a vaga no MorumBIS.

Nacional tem (muita) história, mas é adversário acessível

O São Paulo terá pela frente um adversário tricampeão da América. E de fato: história não falta ao Nacional. O Bolso disputa a Libertadores pela 51ª vez. É a equipe que mais vezes participou da competição. Um recorde expressivo que diz muito sobre a sua tradição, mas também sobre o nível do Campeonato Uruguaio.

A história, claro, deve ser muito respeitada em um confronto de mata-mata. Mas a verdade é que o Nacional não disputa a Libertadores com chances reais de ser campeão há décadas. O último título, aliás, veio em 1998, há exatos 36 anos.

Por tudo isso, não precisa lá de muita coragem para afirmar que o Tricolor deu sorte no sorteio ao pegar um dos rivais mais acessíveis no chaveamento – para dizer o mínimo. A equipe de Luís Zubeldía é a favorita no confronto, especialmente pelo momento vivido com o treinador.

Ídolo no comando e ex-São Paulo no ataque

O Nacional percorreu um longo caminho até chegar às oitavas da Libertadores. Após encerrar o Campeonato Uruguaio na terceira colocação no ano passado, a equipe precisou disputar as fases preliminares da competição antes de entrar no Grupo H.

O Bolso eliminou Puerto Cabello, da Venezuela, e Always Ready, da Bolívia, antes de se juntar a River Plate, Libertad e Deportivo Táchira na chave. A equipe argentina sobrou tanto, que encerrou a fase de grupos com a melhor campanha geral.

O Nacional garantiu a segunda colocação com uma rodada de antecedência. E aí vai um alerta ao São Paulo: a equipe se classificou por conta de sua força como mandante. O Bolso acabou a fase de grupos invicto em casa, com duas vitórias e um empate, e ainda venceu o Táchira como visitante.

O Nacional é comandado por Álvaro Recoba, ídolo do clube e do futebol uruguaio. O ex-atacante assumiu a equipe na metade da temporada passada e a conduziu à terceira colocação no campeonato local. Em 2024, ocupa a vice-liderança com 31 pontos. Tem dez a menos que o Peñarol se Diego Aguirre.

O Tricolor precisa ficar de olho no meia Maurício Pereyra, veterano de 34 anos que é o principal jogador da equipe. Atenção também com um velho conhecido: Gonzalo Carneiro. O centroavante é o artilheiro da equipe na Libertadores, com três dos oito gols marcados pelo Nacional na competição. São ao todo sete gols em 19 partidas na temporada.

Nacional é freguês do São Paulo e desperta boas lembranças

Além de todo o contexto atual, o Nacional ainda é freguês do São Paulo na Libertadores. As duas equipes se enfrentaram quatro vezes na competição. O Tricolor está invicto com três vitórias e dois empates e nunca levou um gol sequer.

Por coincidência, as duas equipes só duelaram em jogos de oitavas de final. Na última vez, o São Paulo levou a melhor com uma vitória por 2 a 0 no MorumBIS no jogo da volta, após empatar por 0 a 0 no Uruguai.

O primeiro encontro desperta lembranças ainda mais saudosistas aos tricolores. Em 1992, o Nacional cruzou o caminho do São Paulo na campanha de seu primeiro título da América. A equipe de Telê Santana venceu os dois jogos: 1 a 0 no Parque Central e 2 a 0 no MorumBIS.

Ao todo, o São Paulo enfrentou o Nacional dez vezes na história. São seis vitórias, dois empates e duas derrotas.

Os próximos três jogos do São Paulo:

  • Inter x São Paulo — Brasileirão — quinta-feira, 13 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura);
  • Corinthians x São Paulo — Brasileirão — domingo, 16 de junho, às 16h (horário de Brasília) — Transmissão: TV Globo (TV aberta) e Premiere (TV por assinatura);
  • São Paulo x Cuiabá — Brasileirão — quarta-feira, 19 de junho, às 20h (horário de Brasília) — Transmissão: Premiere (TV por assinatura).
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo Deconto

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo