Libertadores

O Flu não entrou com o foco necessário e, derrotado pelo Junior, complica sua missão

A classificação antecipada poderá se transformar em drama na rodada final, quando o Flu visita o River Plate

O Fluminense desperdiçou uma oportunidade enorme nesta terça-feira pela Copa Libertadores, dentro do Maracanã. Os tricolores perderam para o Junior de Barranquilla por 2 a 1, quando dependiam apenas do empate para selar a classificação antecipada. O Flu teve uma atuação bem ruim, em que cedeu espaços demais e perdeu dois lances cristalinos quando o placar estava zerado. No fim, a missão dos cariocas poderá se complicar num grupo equilibrado. Enquanto os colombianos se reavivam, talvez seja necessário ao Tricolor vencer o River Plate na rodada final, dentro da Argentina.

O primeiro tempo seria marcado pelas chances perdidas pelo Fluminense. E a primeira aconteceu logo aos três minutos. Numa ótima jogada dos tricolores, Fred ajeitou e Cazares descolou um lançamento excepcional para Kayky. O garoto saiu na cara do gol e deu um toque fraco na saída do goleiro Sebastián Viera, mas o uruguaio desviou de leve e mandou para escanteio. O Junior, entretanto, tentava impor seu ritmo e também incomodaria na sequência. Os tricolores não permitiam chances claras de início, mas davam sinais de problemas no meio-campo.

Ainda que Cazares enfim tenha entrado para iniciar o jogo na armação, Fred também precisava recuar mais para ajudar na construção da equipe. A posse de bola ficava com o Junior e os momentos do Fluminense eram esparsos. Mesmo assim, os tricolores jogaram fora outra oportunidade de ouro aos 28. Fred deu um bolão de letra e Luiz Henrique, sozinho com Viera, carimbou o goleiro. O uruguaio ainda rebateu um chute de Calegari, pouco depois, com Fred mandando para fora a sobra. O abafa do Flu seria esfriado pelo próprio Viera, que fingiu sentir dores e demandou um atendimento médico que paralisou o jogo.

Sem que o Fluminense acertasse as conclusões, o Junior puniu os anfitriões no Maracanã com 35 minutos. Na sequência de uma cobrança de escanteio, Gabriel Fuentes cruzou e Carmelo Valencia se antecipou para cabecear cruzado, vencendo Marcos Felipe. Pouco depois, ainda houve um susto numa cobrança de falta de Vieira do círculo central. O goleiro chutou direto e quase encobriu Marcos Felipe, que se esticou para evitar o golaço. O Flu não daria muitos sinais de reação antes do intervalo. Que os colombianos tenham fechado o primeiro tempo com mais posse e mais finalizações, a impressão era de vacilo dos tricolores pelos erros nas finalizações.

O segundo tempo começaria ainda mais duro ao Fluminense. Afinal, o Junior manteve o controle e ampliou logo aos cinco minutos. Edwuin Cetré pegou com espaço na intermediária e mandou um belo chute colocado, com curva, que saiu do alcance de Marcos Felipe e beijou a trave antes de entrar. O cenário era péssimo ao Flu, que não indicava o máximo foco para um jogo tão importante. Logo seriam três alterações, com as entradas de Nenê, Caio Paulista e Gabriel Teixeira. As mudanças não deixaram necessariamente a equipe mais ofensiva e os colombianos pareciam dispostos a mais. Até rolaria um tento anulado de Carmelo Valencia aos 16, que fez os cariocas respirarem aliviados diante do impedimento.

O Junior se sentia confortável no jogo, mas perderia Jhon Pajoy lesionado. Já aos 26, Fred daria lugar a Abel Hernández. Foi neste momento que o Fluminense se avivou, com o uruguaio gerando efeitos e anotando o gol aos 30. Depois de uma trivela de Gabriel Teixeira para Nenê, o veterano rolou e Abel mandou para dentro. Não havia a melhor organização no Flu, mas sobrava vontade e a entrada de Raúl Bobadilla aos 38 garantia outra opção ofensiva. Porém, a agressividade sem calma para pensar o jogo e sem qualidade na construção não serviu de nada. Faltaram finalizações na reta final, com a vitória dos Tiburones confirmada.

O Fluminense permanece na liderança com oito pontos, enquanto o Junior é o terceiro com seis pontos. Agora, ambos aguardam o resultado de River Plate (6 pontos) e Independiente Santa Fe (2) nesta quarta, com os argentinos precisando se virar com apenas dez jogadores disponíveis e sem os quatro goleiros por conta de um surto de COVID-19 no elenco – Enzo Pérez deverá atuar na posição. Tal cenário caótico nos argentinos tende a embolar mais o grupo. Assim, na partida final, o Flu deve pegar um River mordido em Buenos Aires, mas ainda com riscos de desfalques. A derrota desta terça pode ter um custo aos tricolores.

Classificação fornecida por SofaScore LiveScore

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo