Libertadores

Números ajudam a explicar opção de Artur Jorge por goleiro John como titular do Botafogo

Surpresa na escalação do Botafogo na vitória sobre o Universitario-PER, pela Libertadores, goleiro John chamou a atenção por participação durante o jogo

O Botafogo contou com muitas mudanças no time para poder, enfim, vencer a primeira na fase de grupos da Copa Libertadores. Na última quarta-feira (24), no 3 a 1 sobre o Universitario-PER, no Nilton Santos, o técnico Artur Jorge mandou a campo uma equipe com quatro mexidas em relação ao time que goleou o Juventude, no último domingo, pelo Campeonato Brasileiro. As mexidas de Artur Jorge já tem virado rotina no Botafogo. Mas uma em especial chamou a atenção contra o Universitario.

Na última quarta, John foi titular no lugar de Gatito Fernández. O goleiro não atuava há quase dois meses, quando sofreu uma lesão na coxa direita. Ele já estava recuperado e vinha sendo relacionado desde o começo de abril. No entanto, ainda não havia recebido uma oportunidade do técnico Artur Jorge. E isso mudou por uma questão importante.

Segundo o técnico Artur Jorge, a escolha por John não foi uma simples troca para rodar o elenco e dar oportunidade para o goleiro. A opção pelo camisa 12 se deu por uma questão tática e que também envolve a parte técnica dos goleiros do Botafogo.

– Uma coisa que fique claro é que não darei rodagem a ninguém. Ninguém vai ter tempo de jogo para rodar. Trabalham para jogar 90, 15 ou nada, ou então não jogam. Essa substituição em particular tem a ver com uma opção tática para nós podermos ter aquilo que pretendiamos durante o jogo e entendendo que para o jogo de hoje o John era a pessoa indicadap ara estar no nosso gol. Daí fizemos a opção de trocar – afirmou Artur Jorge em entevista coletiva.

O que John tem que Gatito não tem?

Apesar de Artur Jorge não ter entrado em detalhes, foi possível ver e entender os motivos que fizeram o técnico português optar por ter John como titular na última quarta-feira, contra o Universitario-PR, pela Libertadores. E as razões não estão exatamente embaixo das traves.

John tem melhor saída de bola e jogar melhor com os pés do que Gatito Fernández. E, precisando desesperadamente da vitória sobre o Universitario para seguir vivo por uma vaga nas oitavas de final da Copa Libertadores, o técnico Artur Jorge usou o camisa 12 como mais um atleta para auxiliar na construção das jogadas no Nilton Santos. Durante o jogo, foi possível observar John saindo da área e ajudando Lucas Halter, Bastos e Alexander Barboza na saída de jogo.

E os números ajudam a explicar esta diferença entre os dois goleiros. Contra o Universitario, John deu 49 toques na bola, com um aproveitamento de 98% nos passes. Gatito Fernández tem, por exemplo, média de 36 toques na bola por jogo, com um aproveitamento de 76%. No último domingo, contra o Juventude, o paraguaio deu 25 toque na bola. Os números são do Sofascore.

John chamou a atenção pela participação na saída de bola do Botafogo (Foto: Icon Sport)

Números de John contra o Universitario-PER

  • Toques: 49
  • Passes: 44
  • Passes certos: 43 (98%)
  • Lançamentos (certos): 4 (3)
  • Bolas afastadas (“clearances”): 1
Mapa de calor indica como goleiro John participou do jogo além da área (Imagem: Sofascore)

John fala sobre retorno ao gol do Botafogo e estilo de jogo

Depois da partida, John falou sobre o retorno ao gol do Botafogo depois de dois meses afastados. Ele se lesionou no começo de fevereiro, em uma partida contra o Nova Iguaçu, pelo Campeonato Carioca. Além disso, o goleiro também comentou sobre o estilo de jogo e sua participação na saída de bola do time.

– É uma característica minha, na Espanha, com o Pezzonalo (técnico do Valladolid, ex-time de John), a gente fazia muito essa saída de três com o goleiro. Optaram de jogar assim hoje, me sinto bem, confortável. Fico muito feliz de ter entrado com o resultado positivo, do jeito que a gente jogou e de todos terem se entregado para dar o melhor – afirmou John depois da vitória sobre o Universitario.

Foto de Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues

Gabriel Rodrigues é jornalista formado pela UFF e soma passagens como repórter e editor de Lance!, Esporte News Mundo e Jogada10.
Botão Voltar ao topo