Libertadores

Volta de Cebolinha acirra briga por mais uma posição em metamorfose do Flamengo

Tite precisará fazer escolhas nesse processo de oscilação do Flamengo, a fim de encontrar a melhor equipe possível para 2024

A lagarta entra no casulo para se tornar uma bela borboleta. Você certamente já ouviu essa história antes, mas, ainda que clichê, é exatamente aquilo que Tite quis dizer quando citou que o Flamengo precisa dar um passo atrás para evoluir na temporada. Mudanças no time são constantes, e a luta pela titularidade está cada vez mais acirrada em algumas posições.

O retorno de Everton Cebolinha, afastado dos gramados desde o dia 17 de abril, por exemplo, retoma o debate sobre quem deve ser titular na ponta esquerda. A lateral, no mesmo lado, inclusive, também é alvo de suposições.

Cebolinha ou Bruno Henrique?

Se é uma pergunta difícil para o torcedor do Flamengo, quem dirá para Tite. Antes de se lesionar, Cebolinha apresentava bons números e vinha sendo importante para o time na ponta esquerda, funcionando como uma válvula de escape para quebrar defesas mais fechadas com dribles. Funcionava bem, e a ausência foi sentida pelo Rubro-Negro em diversos jogos, como contra o Amazonas.

Bruno Henrique substituiu Everton Cebolinha em todos os jogos desde a lesão do camisa 11 (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/Sipa USA)

Não dá para dizer que Bruno Henrique teve desempenho ruim na ausência de Cebolinha, afinal, participou de praticamente todos os jogos (e gols) do Flamengo no período. O camisa 27, inclusive, balançou as redes para decretar o empate diante do Red Bull Bragantino, no último sábado, um ponto importante fora de casa no Brasileirão.

Como o coletivo não vinha bem, contudo, algumas performances de BH não agradaram o torcedor. A velocidade e o drible superaram as expectativas, mas a tomada de decisão, não. O Rei dos Clássicos só foi substituído no jogo contra o Amazonas desde a lesão de Cebolinha, totalizando 439 minutos no período, com uma participação em gol a menos do que o companheiro em 2024.

Cebolinha x Bruno Henrique: o debate em números

Cebolinha Bruno Henrique
16 jogos (14 como titular) 22 jogos (10 como titular)
1071 minutos (67 por partida) 1187 minutos (53 por partida)
5 participações em gol (3 gols e 2 assistências) 4 participações em gol (3 gols e 1 assistência)

Ayrton Lucas ou Viña?

Outra briga por titularidade que começa a entrar em pauta é na lateral esquerda. Ayrton Lucas iniciou o ano como a escolha certa, mas, seja por desgaste ou atuações um pouco abaixo do esperado, perdeu esse status com Tite. Quem ganhou moral foi o recém-chegado Matias Viña, um pedido do treinador, que começa a mostrar a que veio.

Viña marcou seu primeiro gol com a camisa do Flamengo na altitude de La Paz (Foto: Divulgação/Conmebol)

Se o mês de abril não foi bom para o Flamengo no geral, Viña soube ganhar espaço. O começo não foi tão bom assim, com atuação caótica diante do Millonarios, mas o gol contra o Bolívar e a assistência para Pedro garantir a vitória sobre o Amazonas deram confiança ao uruguaio. Há quem diga, seja internamente ou na torcida, que ele já deve ser titular.

O Beijinho continua com mais participações em gol, mas esteve em campo por tempo maior. São escolhas que Tite precisará fazer para encontrar o melhor Flamengo em meio ao período de oscilação.

Ayrton Lucas e Viña: o debate em números

Ayrton Lucas Matias Viña
18 jogos (17 como titular) 12 jogos (5 como titular)
1412 minutos (78 por partida) 544 minutos (45 por partida)
4 participações em gol (1 gol e 3 assistências) 2 participações em gol (1 gol e 1 assistência)

Tite já avisou sobre mudanças no Flamengo

O treinador gosta de pregar uma filosofia de importância para cada atleta. Foram pelo menos três entrevistas coletivas explicitando como o Flamengo não possui nenhum titular absoluto e que, ao longo da temporada, todos serão importantes no processo de glórias. É dessa forma que Tite tenta manter o nível da competitividade do plantel, além da confiança, claro.

— É humanamente impossível trabalhar com competições de tamanha grandeza, e a equipe se repetindo quarta e domingo. Hoje entrou o Léo Ortiz, Fabrício estava com seis jogos seguidos, duas viagens. Nessa valorização do grupo, é importante que todos estejam preparados. Vamos precisar de todos — disse, após a vitória sobre o Palestino.

Apesar disso, é claro que o atleta deseja jogar mais. Entre começar e sentar no banco de reservas, a preferência sempre será pela titularidade. Por isso esse cenário de competição saudável dentro do elenco é tão importante. Seja na esquerda, direita, defesa ou ataque, o Flamengo precisará de cada um para deixar esse casulo com novas asas.

Diante do Palestino, nesta terça-feira (07), por exemplo, é possível que três dos quatro citados sejam titulares. Tite indicou a volta de Everton Cebolinha em Coquimbo, assim como Matias Viña, após integrar o banco no empate diante do Red Bull Bragantino. Bruno Henrique tem chances de começar na vaga de Luiz Araújo. A bola rola a partir das 21h (de Brasília).

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo