Brasil

Cebola dependência? Oscilação do Flamengo de Tite coincide com lesão do atacante

Flamengo só venceu o Amazonas desde que Everton Cebolinha deixou o jogo contra o São Paulo com uma lesão na panturrilha

O Flamengo vive o seu pior momento coletivo em 2024, com atuações muito abaixo do esperado, que culminaram nas primeiras derrotas da temporada. Enquanto tenta reagrupar, Tite continua sofrendo com o desgaste físico, que se tornou lesões em alguns casos. A ausência mais sentida, sem dúvida, é a do atacante Everton Cebolinha.

O camisa 11 é o jogador que mais cresceu desde a chegada de Tite ao Flamengo, mas uma lesão na panturrilha o afastou dos últimos quatro jogos, e a equipe foi mal em todos. A Trivela analisou o que mudou desde a saída de Cebolinha para entender se existe, ou não, uma dependência no jogador.

A lesão de Cebolinha fez com que Tite precisasse mexer no ataque base do Flamengo (Foto: Carlos Santtos/Fotoarena/Sipa USA) – Photo by Icon Sport

Como estava sendo a temporada de Cebolinha?

Everton Cebolinha iniciou a temporada 2024 como terminou a anterior: em alta. Ele já mostrou que poderia ser útil logo nas primeiras duas partidas, contra Audax, pelo Carioca, e Philadelphia Union, na pré-temporada dos Estados Unidos, acumulando dois gols, uma assistência e um pênalti sofrido. O mais importante, contudo, era a maneira de jogar.

Ao contrário de outros momentos no Flamengo, Cebolinha apresentava confiança quase inabalável pela esquerda, tentando, mesmo com alguns erros, uma jogada diferente a cada vez que recebia a bola. Tanto que ele é o jogador que mais tenta (6,5 por jogo) e acerta (4) dribles no time em 2024. Muitos deles acabaram por transformar jogadas em gols do Rubro-Negro.

Ao todo, Cebolinha participou de cinco gols em 18 partidas pelo Flamengo. Foram mais de mil minutos em campo, algo que o coloca entre os mais utilizados no ano. Como mencionado, contudo, sua contribuição vai muito além das estatísticas diretas, mas eram suficientes para causar tamanha dependência.

  • 28 jogos desde a chegada de Tite (23 como titular)
  • 9 participações em gols (5 gols e 4 assistências)

Processo criativo ruim = necessidade de dribles?

O principal problema desde a saída de Cebolinha do time tem sido o processo criativo. O Flamengo consegue manter boa posse de bola e precisão nos passes, mas não traduz o volume em chances claras, tanto que apenas 15% (em média) das finalizações tentadas vão na direção do gol. Em resumo, falta confiança e inspiração para quebrar linhas defensivas. 

O driblador Everton Cebolinha seria uma excelente opção para um Flamengo pouco inspirado (Foto: Thiago Ribeiro/AGIF/Sipa USA)

Excluindo o jogo contra o Bolívar, cuja altitude transcende (quase) todas as análises, o Flamengo teve muita dificuldade com times de linha baixa. Foi assim no segundo tempo contra o Palmeiras, diante do Botafogo e, em especial, na vitória sobre o Amazonas. Tite e companhia até conseguiram estrear com um triunfo na Copa do Brasil, mas deixaram o campo vaiados.

Nesse tipo de circunstância, um jogador com drible é importante demais, a fim de quebrar as linhas e, como consequência, achar o espaço. Cebolinha vinha fazendo isso com maestria no Flamengo, ao contrário de Luiz Araújo e até mesmo Bruno Henrique, seu substituto, que não conseguiu imprimir o mesmo ritmo. É clara a falta que faz o camisa 11.

Por mais importante que seja, contudo, o Flamengo não tem essa dependência toda de Cebolinha. É um jogador importante, que pode fazer a diferença, mas não é o único. O elenco do Rubro-Negro é potente demais para depender apenas de um, como já citaram os casos Arrascaeta, Pedro e até Erick Pulgar, no ano passado.

Quando Cebolinha volta ao Flamengo?

Fora desde o dia 17 de julho, Cebolinha está próximo de voltar à relação do Flamengo. O camisa 11 treina com bola no Ninho do Urubu, mas ainda em fase de transição, ou seja, sem que tenha sido reintegrado ao restante do elenco. Como o próprio Tite confirmou durante a entrevista coletiva depois da vitória sobre o Amazonas, o atacante não deve ser relacionado para o jogo contra o Bragantino, neste sábado (04).

A Trivela apurou, contudo, que existe uma boa possibilidade de que ele esteja à disposição para a partida diante do Palestino, pela quarta rodada da fase de grupos da Libertadores. Tudo depende, claro, do sinal verde do departamento médico. Até lá, a torcida do Flamengo ficará na expectativa por revê-lo em campo.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo