Libertadores

Contrastes marcarão as oitavas de final da Libertadores para o Flamengo

Rubro-Negro precisa demais do resultado no Maracanã, onde é muito forte, para não precisar fazer o improvável na altitude

O Flamengo enfrentará o Bolívar nas oitavas de final da Libertadores. O sorteio realizado na sede da Conmebol, em Luque, na Bolívia, colocou os dois adversários da fase de grupos frente a frente pela primeira em um mata-mata. O duelo, ainda que distante, apresenta um caminho claro para o Rubro-Negro.

Como ficou em segundo no Grupo E, atrás justamente do Bolívar, o Flamengo vai decidir a vaga nas quartas de final na altitude de La Paz, um temido destino para clubes brasileiros. Pensando nisso, um resultado expressivo no Maracanã, seu ponto mais forte na Libertadores, se faz necessário.

Maracanã vai mostrar sua força

Não é segredo que o Flamengo é uma das equipes mais fortes dos últimos anos, quando mandante na Libertadores. A última derrota foi em 2019, diante do Peñarol, antes mesmo de Jorge Jesus, Gabigol e companhia levantarem o bicampeonato da América. São 27 jogos e 24 vitórias, números expressivos que deixam o aproveitamento acima de 90%.

A equipe rubro-negra ainda esbanja uma série de 17 vitórias consecutivas no Maracanã, que começou na semifinal da Libertadores 2021. Foram quase 50 gols marcados e menos de dez sofridos nesse ínterim, um dos mais dominantes de um clube na história da Libertadores. Tudo isso vai precisar ser levado em conta diante do Bolívar.

Fazer o resultado no Maracanã é crucial para o Flamengo, mas não apenas uma vitória por 1 a 0, claro. Foi assim que o Rubro-Negro acabou sendo eliminado na edição passada, quando o triunfo magro provou ser insuficiente contra o Olimpia, em um Defensores Del Chaco que pulsava.

Chuva de gols em 2024

O Rubro-Negro também tem um dos melhores ataques desta edição quando mandante. O menor placar foi justamente contra o adversário de menor expressão, o Palestino, que terminou em 2 a 0. Tite e companhia fecharam a fase de grupos com triunfos por três e quatro a zero sobre Millonarios e o próprio Bolívar, respectivamente.

Se conseguir um resultado dessa magnitude no jogo de ida, o Flamengo viajará para La Paz com certa tranquilidade, afinal, foi derrotado por apenas um gol de diferença no Hernando Siles. Naquele jogo, inclusive, o Rubro-Negro poupou metade dos titulares.

O elenco do Flamengo comemora o gol de Gerson contra o Bolívar (Foto: Divulgação/CRF)

Mais importante que os gols marcados, é preciso que a solidez defensiva seja levada em consideração. Nisso, contudo, Tite está muito bem servido: o Flamengo não sofreu nenhum gol nos três jogos que disputou no Maracanã pela fase de grupos.

Altitude pode complicar

Se não seguir o planejamento à risca, o Flamengo passará um aperto desnecessário em La Paz. A vantagem esportiva do Bolívar com os 3.640 metros de altitude é clara e nem mesmo o melhor esquema, chegando poucas horas antes da bola rolar, é capaz de prevenir os efeitos. Será preciso um esforço muito grande para sair do Hernando Siles com a classificação.

O aproveitamento do Flamengo em altitudes consideradas muito altas, ou superiores a 2.500 metros, é muito baixo, inferior a 40%. Diante do Bolívar, por exemplo, o Rubro-Negro não levou um ponto para casa em nenhum dos três compromissos disputados. As únicas vitórias foram diante de Jorge Wilstermann, Cienciano, San José e LDU.

Pela força do seu elenco, é totalmente plausível que o Flamengo seja competitivo, mas, sem um resultado expressivo no Maracanã, será muito difícil. Esse é o cenário de momento para Tite e companhia nas oitavas de final da Libertadores, ainda que restem mais de dois meses para a disputa dos confrontos.

Relembre todos os jogos do Flamengo nas ‘altas’ altitudes

  • Jorge Wilstermann 1 x 2 Flamengo – 13 de outubro de 1981, em Cochabamba (BOL) – Semifinal (2ª Fase)
  • Bolívar 3 x 1 Flamengo – 08 de abril de 1983, em La Paz (BOL) – Fase de grupos
  • Real Potosí 2 x 2 Flamengo – 14 de fevereiro de 2007, em Potosí (BOL) – Fase de grupos
  • Cienciano 0 x 3 Flamengo – 09 de abril de 2008, em Cusco (PER) – Fase de grupos
  • Real Potosí 2 x 1 Flamengo – 25 de janeiro de 2012, em Potosí (BOL) – Fase prévia
  • Bolívar 1 x 0 Flamengo – 19 de março de 2014, em La Paz (BOL) – Fase de grupos
  • Independiente Santa Fé 0 x 0 Flamengo – 25 de abril de 2018, em Bogotá (COL) – Fase de grupos
  • San José 0 x 1 Flamengo – 05 de março de 2019, em Oruro (BOL) – Fase de grupos
  • LDU 2 x 1 Flamengo – 24 de abril de 2019, em Quito (EQU) – Fase de grupos
  • Independiente Del Valle 5 x 0 Flamengo – 17 de setembro de 2020, em Quito (EQU) – Fase de grupos
  • LDU 2 x 3 Flamengo – 04 de maio de 2021, em Quito (EQU) – Fase de grupos
  • Aucas 2 x 1 Flamengo – 05 de abril de 2023, em Quito (EQU) – Fase de grupos
  • Bolívar 2 x 1 Flamengo – 24 de abril de 2024, em La Paz (BOL) – Fase de grupos
Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

Jornalista formado pela PUC-Rio. Da final da Libertadores a Série A2 do Carioca. Copa do Mundo e Olimpíada na bagagem. Passou por Coluna do Fla e Lance antes de chegar à Trivela, onde apura e escreve sobre o Flamengo desde 2023.
Botão Voltar ao topo