Libertadores

Como La Paz respirou Flamengo nesta semana

Bolivianos respeitam bastante o Flamengo, mas confiam em vitória do Bolívar, mesmo com pouca procura de ingressos

A reportagem da Trivela está em La Paz desde segunda-feira (22), após cobrir, também, o jogo entre Palmeiras e Flamengo no Allianz Parque. Depois do Brasileirão, o Rubro-Negro precisou virar a chave rapidamente, pensando no duelo mais importante e complicado do Grupo E, diante do Bolívar, a mais de 3600 metros acima do nível do mar. Os depoimentos nesses dias foram muito interessantes.

Conversando com os bolivianos ao longo do tempo, percebe-se confiança grande na altitude como vantagem para o jogo. Os torcedores do Bolívar, contudo, respeitam demais o Flamengo, não só pelo plantel forte, mas por ser um tricampeão da América. A cidade esteve em clima de Libertadores, mas poderia estar até mais.

Cidade em clima de Copa Libertadores

Entre os principais pontos da cidade, a Trivela percebeu inúmeras camisas (e casacos, por fazer frio em La Paz), do Bolívar. Como o clube é um dos, senão o mais tradicional do país, é natural que a torcida seja grande, mas não esperava tanta gente aqui. Em cada táxi, ônibus, caminhada ou conversa, o clima de Libertadores estava tomando a sede do governo boliviano.

Pensando no jogo, os camelôs de La Paz se mobilizaram para ter diversos artigos atualizados do Flamengo. Caminhando no “Mercado de Las Brujas”, um dos principais pontos de venda da cidade, foi possível observar camisas, shorts e até meias do Rubro-Negro. Algumas, inclusive, estavam 100% atualizadas, já com o novo patrocinador master, a PixBet.

Os rubro-negros também compareceram em peso a La Paz. Desde o voo ao dia do jogo, os torcedores do Flamengo estavam sempre em contato com a reportagem, e a estimativa é de 200 pessoas. “Hinchas” do The Strongest, maior rival do Bolívar, além de outros clubes como Always Ready e Nacional de Potosí, prometeram torcida pelos brasileiros.

O que dizem os bolivianos sobre o jogo?

Como mencionado, o clima de confiança é grande. Muitos acreditam em vitória do Bolívar aqui em La Paz, por conta da vantagem que a altitude apresenta. O estilo de jogo ofensivo dos bolivianos também é um trunfo, embora muitos entendam que isso pode ser um calcanhar de aquiles, diante do poderio e da “plata” (dinheiro) do Flamengo.

O respeito dos bolivianos com o Rubro-Negro impressionou. Arrascaeta e Pedro foram os mais citados ao longo das conversas, assim como Tite, que já conseguiu resultados expressivos na altitude de La Paz.

O Hernando Siles não estará tão repleto quanto se imagina

Ainda que o Bolívar x Flamengo tenha se apresentado como o jogo mais importante do Grupo E, já que vale a liderança, o Estádio Hernando Siles não deve ter nem perto da sua capacidade total. Até a terça-feira (23), menos de dez mil ingressos haviam sido comercializados, entre as duas torcidas. Por mais que a compra na hora seja algo comum, ainda é muito pouco.

A torcida do Bolívar é uma das maiores e mais tradicionais de todo o país (Foto: Icon Sport)

O grande motivo para essa “debandada” é a eliminação recente do Campeonato Boliviano para o San Antonio Bulo Bulo, modesto clube estreante na Primeira Divisão. A pressão aumentou, e a carga total do Hernando Siles também não foi liberada. Cerca de 25 mil ingressos foram colocados à disposição, em contraste com a capacidade superior a 40 mil do estádio.

Entre a altitude e a pressão das arquibancadas, o Flamengo chega a La Paz na esperança de retornar com pelo menos um ponto. A bola rola a partir das 21h30 (de Brasília).

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo