Libertadores

Conheça o Bolívar, adversário do Flamengo na fase de grupos da Libertadores

Líder do Grupo E, o Bolívar (e sua altitude) são os principais adversários do Flamengo na competição

A terceira rodada da fase de grupos da Libertadores reserva o duelo mais complicado da chave para o Flamengo. Após vencer o Palestino, no Maracanã, o Rubro-Negro terá o Bolívar pela frente, na temida altitude de La Paz, nesta quarta-feira (24), às 21h30 (veja onde assistir). Entre estilo de jogo, momento, principais figuras e um pouco mais sobre a história, chegou a hora de conhecer um pouco mais sobre a equipe boliviana.

O Bolívar não é o time de melhor nível do grupo, mas a altitude de La Paz é o seu grande trunfo, tendo destronado o Millonarios na última rodada. A Trivela conversou com jornalistas bolivianos, que cobrem o dia a dia da equipe, e podem falar melhor sobre o assunto.

Como joga o Bolívar?

Flávio Robatto assumiu a equipe no início desta temporada, depois que o Bolívar terminou o último campeonato local como vice-campeão para o arquirrival The Strongest. A equipe costuma variar bastante entre jogos, explorando um esquema mais ofensivo em La Paz, enquanto mais defensivo longe de seus domínios. A formação escolhida, geralmente, é o 4-3-3.

A equipe boliviana conta com brasileiros na sua equipe, incluindo Bruno Sávio, ex-Guarani, que vem se destacando bastante com a camisa azul. O conterrâneo Chico da Costa é a principal esperança de gol do Bolívar, que também vê em Pato Rodríguez, ex-Santos, uma referência técnica. Ramiro Vaca, meio-campista distribuidor, completa a lista de desfalques.

Ao observar os destaques, cria-se um padrão: todos são jogadores ofensivos. A defesa é o grande ponto fraco do Bolívar, ainda que conte com o experiente goleiro Lampe, e o zagueiro Ordoñez. A estratégia do time de La Paz, inclusive, foi citada pelos jornalistas entrevistados. A provável escalação também.

“Bolívar é uma equipe bastante ofensiva e tentará marcar rapidamente contra o Flamengo para ganhar tranquilidade no jogo. Quando não consegue isso, costuma se desesperar. Vamos ver como o jogo vai se desenhar amanhã”, escreveu Kiño Saravia.

O Bolívar deve ir a campo da seguinte maneira: Lampe, Jesús Sagredo, Ordoñez, Renzo e José Sagredo; Leonel Justiano, Fernando Saucedo e Ramiro Vaca; Bruno Sávio, Chico da Costa e Pato Rodríguez. 

Como chega o Bolívar?

A campanha do Bolívar na Libertadores é bem interessante. Conseguiu aplicar uma sonora goleada fora de casa sobre o Palestino, por 4 a 0, que deu tranquilidade para a sequência do Grupo E. Depois, venceu o Millonarios em La Paz e se consolidou como líder do grupo. A ponta, contudo, será colocada a prova diante do Flamengo, novamente na altitude.

O técnico Flavio Robatto assumiu o Bolívar no início de 2024 (Foto: Divulgação/Club Bolívar)

Se no torneio continental as coisas vão bem, o Bolívar viveu um trauma recente no âmbito nacional. A equipe de Robatto avançou às quartas em primeiro do seu grupo no Apertura, mas acabou eliminado nesta instância pelo modesto San Antonio Bulo Bulo, estreante na divisão de cima da Bolívia. Os azuis perderam a ida por 1 a 0 e ficaram no empate em La Paz.

O momento é de certa pressão em Robatto e companhia, ou seja, a vitória diante do Flamengo é fundamental para manter a tranquilidade em La Paz. Uma derrota, ou até mesmo empate, contudo, deixa o Bolívar em situação delicada. Esses foram os palpites dos jornalistas entrevistados para o duelo.

  • Kiño Saravia – 2 a 1 para o Bolívar
  • Alvaro Rodríguez – 3 a 1 para o Bolívar

O Bolívar antes e depois da SAF

Maior campeão boliviano e um dos mais tradicionais do país, o Bolívar vai completar 100 anos no dia 12 de abril de 2025. Tradicional em Libertadores, com mais de 35 participações, ainda que nunca tenha chegado à final, os azuis costumam dar trabalho aos brasileiros em La Paz. O momento do clube, contudo, é bem diferente dos últimos anos.

O clube se tornou uma Sociedade Anônima do Futebol (SAF) recentemente e entrou em uma parceria com o Grupo City, um dos mais importantes do mundo, que deixou o Bolívar em situação bastante confortável. Pelo atual planejamento, cujo aporte supera os 50 milhões de dólares (R$ 250 milhões), os bolivianos esperam títulos importantes no ano do seu centenário.

Além dos investimentos no plantel, o Bolívar também quer melhorar a estrutura das categorias de base, a fim de aumentar o número de talentos e, consequentemente, as vendas, algo muito utilizado pelo Flamengo, além de construção de um novo estádio. Os sócios-torcedores também serão contemplados com vantagens exclusivas. Em resumo, o clube começou a se organizar (para saber mais sobre os planos, clique neste link).

O Bolívar quer um novo estádio para chamar de seu em La Paz (Foto: Divulgação)

Nada disso, contudo, fará diferença quando Flamengo e Bolívar entrarem em campo pela liderança do Libertadores. A bola rola a partir das 21h30 (de Brasília) desta quarta-feira, no Estádio Hernando Siles, a 3640 metros do nível do mar.

Foto de Guilherme Xavier

Guilherme Xavier

É repórter na cobertura do Flamengo há três anos, com passagens por Lance! e Coluna do Fla. Fã de Charlie Brown Jr e enxadrista. Viver pra ser melhor também é um jeito de levar a vida!
Botão Voltar ao topo