América do Sul

Dupla Endrick e John Kennedy funciona, e Brasil vence a Colômbia ainda sem jogar bem no Pré-Olímpico

Endrick e John Kennedy jogam 'sozinhos' e marcam os gols da vitória do Brasil por 2 a 0 sobre a Colômbia

A seleção brasileira é o único time 100% do Grupo A do torneio Pré-Olímpico, são duas vitórias em dois jogos, e não há lá muito mais a comemorar além dos resultados até agora. Isso, porque o Brasil voltou a depender do talento individual de seus dois principais jogadores para vencer a Colômbia por 2 a 0, nesta sexta-feira (26), no Estádio Brigidio Iriarte, em Caracas. Endrick (de novo) e John Kennedy marcaram os gols da equipe de Ramon Menezes na partida. Uma equipe que caminha a passos largos rumo ao quadrangular final, apesar da falta de encaixe do jogo coletivo.

Ramon mexe no time, mas Brasil segue dependente de talento individual

É até estranho escrever isto, mas esta Seleção 100% ainda precisa encontrar o seu caminho no torneio. Após uma estreia em que o Brasil jogou pouco, quase nada, para vencer a Bolívia, o técnico Ramon Menezes mexeu na escalação em uma tentativa de fazer a equipe funcionar melhor. O treinador mudou peças e inclusive a disposição tática do meio-campo, com uma formação no 4-4-2. Mauricio e Alexsander ganharam as vagas de Marquinhos e Guilherme Biro. Khellven entrou na lateral direita, e Marlon Gomes voltou a sua posição original, como volante, na vaga que foi de Bruno Gomes na primeira partida.

E o Brasil, de fato, conseguiu jogar melhor e se impor para controlar a partida, a ponto de encerrar a primeira etapa com 63% de posse de bola. Mas isso não significou que a Seleção tenha feito lá uma partida de soberania contra uma Colômbia que sempre foi perigosa, a ponto de ter mais finalizações nos 45 minutos iniciais. A atuação brasileira foi de uma equipe que ainda tenta se encontrar no torneio e depende muito do talento individual.

Menos mal que isso, a Seleção tem de sobra, e Endrick resolveu uma vez mais. Aos 24, o camisa 9 roubou a bola no ataque, e ela chegou para John Kennedy, que chutou forte da entrada da área. O goleiro deu rebote, e o centroavante estava lá para empurrar para as redes. A dupla, de tão sintonizada, foi responsável pelos lampejos de perigo da Seleção na partida, sempre na base da individualidade. Após o gol, JK quase anotou um golaço fazendo fila dentro da área.

De resto, foi um Brasil que nunca esteve seguro na partida. Especialmente, antes do gol de Endrick. A Colômbia, inclusive, estava mais perto de abrir o placar. Quase o fez em um erro brasileiro na saída de bola. Carlos Cortés dominou na entrada da área e conseguiu finalizar na direção do gol. Mycael fez a defesa.

Mycael salva, e John Kennedy decide no segundo tempo

Tanto foi uma partida em que não conseguiu em momento algum controlar o jogo, que o Brasil teve de se segurar no segundo tempo antes de John Kennedy resolver a vitória. Aos 37, Gabriel Pec fez boa jogada pela esquerda, ganhou do marcador e rolou para JK chutar de primeira, de chapa, para estufar as redes e fazer a sua comemoração característica. Foi um respiro aliviado para uma Seleção que sofria na partida até então.

De fato, o Brasil só teve melhor sorte no jogo porque Mycael salvou a equipe contra a pressão de uma seleção colombiana que parecia cada vez mais perto do gol. Aos 13, o goleiro fez um milagre para evitar o que seria o gol de empate em uma cabeçada à queima-roupa de Carlos Cortés, o jogador mais perigoso do adversário. Carlos Gómez também levou (muito) perigo em uma finalização desviada por Arthur Chaves.

O caminho do Brasil no pré-olímpico

Com a vitória, o Brasil garante uma posição confortável no Grupo A. A Seleção ocupa a segunda colocação, com seis pontos, mas como a única equipe com 100% de aproveitamento até agora na chave. O líder é o Equador, com sete pontos somados, mas em três partidas – a seleção brasileira folgou na primeira rodada e tem um jogo a menos. A Venezuela, dona da casa, e a Bolívia são as outras integrantes do grupo sediado em Caracas, no Estádio Brigidio Iriarte.

O pré-olímpico da Conmebol reúne dez equipes divididas em dois grupos para disputar duas vagas nos Jogos Olímpicos de Paris. Do outro lado, o Grupo B é formado por Peru, Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile. Conforme o regulamento, as duas melhores seleções de cada chave avançam para um quadrangular final. Campeão e vice-campeão nesta segunda fase garante a classificação para as Olimpíadas.

> Os jogos do Brasil:

  • 4ª rodada – Brasil x Equador – segunda-feira (29), às 17h (horário de Brasília)
  • 5ª rodada – Venezuela x Brasil – quinta-feira (1), às 20h (horário de Brasília)
Foto de Eduardo Deconto

Eduardo DecontoSetorista

Jornalista pela PUCRS, é setorista de Seleção e do São Paulo na Trivela desde 2023. Antes disso, trabalhou por uma década no Grupo RBS. Foi repórter do ge.globo por seis anos e do Esporte da RBS TV, por dois. Não acredite no hype.
Botão Voltar ao topo