Argentina

O audacioso projeto para expandir La Bombonera para 90 mil lugares

Arquiteto apresentou projeto a dirigente do Boca Juniors para ampliar La Bombonera sem a necessidade de comprar imóveis nos arredores do estádio

Fundado em maio de 1940, o estádio Alberto José Armando, mais conhecido como La Bombonera, é um dos mais míticos palcos do futebol sul-americano. Casa do gigante argentino Boca Juniors, há muito tempo fala-se em uma grande reforma para aumentar sua capacidade, hoje de 54 mil pessoas, e modernizar um estádio já um tanto antigo. A atual gestão do presidente Juan Román Riquelme parece disposta a isso, conforme revelou o jornal argentino Olé.

O principal empecilho para essa expansão/reforma é o custo do clube argentino teria ao comprar imóveis no entorno do estádio para poder ampliar. Por exemplo, no Bombonera 360, outro projeto para reforma da casa do Boca, era previsto a compra de 129 casas ou comércios nos arredores do local, que poderia custar 80 milhões de dólares.

A mudança agora veio porque um dos projetos que chegaram a mão de Riquelme apontou que não precisa comprar nenhum imóvel ao redor do estádio, o que pode representar economizar um terço em comparação a construção de uma nova arena, conforme revelou o arquiteto Rodrigo Vidal, envolvido no projeto, ao Olé.

– Tivemos uma reunião em Boca no final do ano passado, com uma apresentação de duas horas e um masterplan, que inclui a ampliação de um micro estádio de basquete e muitas outras coisas, para que funcione um complexo de estilo europeu – afirmou Vidal ao Olé, emendando:

– Nosso projeto, o que conseguimos fazer, é não comprar de nenhum vizinho, não invadir nenhuma rua, não sair de La Bombonera. Renovar o campo atual. Elevamos o campo de jogo cerca de 7,80 metros e avançamos em direção às pistas, o que nos permite fazer um campo maior. O primeiro anel do estádio desapareceria e os camarotes VIP também, completamos duas bandejas e adicionamos uma nova acima. Sem invadir a rua. E a quadra acabaria tendo três bandejas cobertas para 90 mil espectadores com 440 camarotes VIP. É como um passe de mágica.

Parte dos camarotes ficariam no nível do campo, enquanto outros seriam distribuídos nos anéis acima do estádio.

A nova Bombonera (Foto: Olé)

Ainda não há um valor para esse novo projeto da Bombonera, que seria completamente coberta. As obras durariam entre 12 e 18 meses.

A nova arena, claro, terá muitas comparações ao novo Monumental de Núñez do rival River Plate, o maior estádio da América do Sul. Mas Vidal garante que a nova Bombonera “vai ficar melhor”.

– Não falei com Riquelme, mas o que os dirigentes me disseram foi que ele queria uma coisa assim [sem comprar quarteirões em volta] e não sabia como fazer. Os dirigentes ficaram surpresos porque todos falaram que era impossível fazer isso, essa é uma solução real, dentro da propriedade, não precisa pedir permissão a ninguém. E até pela questão econômica. Acho que vai ser o melhor da Argentina, vi os renders que River propõe e esse campo vai ficar melhor.

O projeto também prevê a construção de um hotel cinco estrelas, apartamentos, uma nova pensão para jovens, um ginásio de treinamento de última geração, instalações na rua e 3.800 vagas de estacionamento em uma praça pública de 400 por 100 metros. Além disso, também será feita um micro ginásio de 15 mil lugares para equipe de basquete do Boca Juniors. Novamente, Vidal tratou de comparar: “Vai ser melhor que o Movistar”, disse, citando a arena multi-uso fundada em 2019 em Buenos Aires.

A Bombonera e o novo ginásio de basquete (Foto: Olé)

O Boca Juniors não confirma o novo projeto de La Bombonera e, no momento, não há nada em andamento, mas a gestão de Riquelme quer fazer acontecer isso. Para realidade financeira do clube e do próprio país, a proposta de ampliar para 90 mil lugares sem comprar imóveis ao lado seria importante para diminuir os grandes custos que vem com a construção ou reforma de um estádio.

Foto de Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius Amorim

Carlos Vinicius é nascido e criado em São Paulo e jornalista formado pela Universidade Paulista (UNIP). Escreveu sobre futebol nacional e internacional no Yahoo e na Premier League Brasil, além de eSports no The Clutch. Além disso, atuou como assessor de imprensa no setor público e privado.
Botão Voltar ao topo