Argentina

Por causa desta jogada, zagueiro da quarta divisão argentina teve que remover um rim

Embora jogar futebol deva ser uma das profissões mais recompensadoras que um profissional possa exercer, colocar-se em campo para a disputa de uma partida profissional é também assumir grandes riscos para o seu corpo e sua saúde. Andrés Miranda, zagueiro do Atlético Chicoana, da quarta divisão argentina, teve isso comprovado da pior (e mais peculiar) maneira possível.

VEJA TAMBÉM: Argentina: torcedor cai do topo do alambrado e ainda rouba boné do bombeiro que o socorreu

Na última sexta-feira, em partida contra o Talleres de Perico, válida pela 21ª rodada do Torneo Federal B, equivalente à quarta divisão na pirâmide do futebol argentino, Miranda foi afastar a bola da área de sua equipe quando acabou atingido de maneira desmedida por um adversário, que, atrasado no lance, acertou uma joelhada na lombar do zagueiro com bastante força.

Após receber o atendimento no campo, Miranda deixou o gramado caminhando e retornou logo em seguida para o jogo. Tudo parecia estar bem. Mas, conforme os minutos passaram, a dor foi aumentando, e, após receber uma pancada na cabeça, o defensor deixou a partida, sendo imediatamente levado ao hospital público Pablo Soria, na província de Jujuy. No local, os médicos constataram que a pancada que Miranda recebera anteriormente, na lombar, causou um desconforto renal, a fissura de uma de suas costelas e, pior, o levou a ter que remover um dos rins, afetado pelo golpe.

O Atlético Chicoana já informou que a cirurgia de retirada do rim de Andrés Miranda foi bem-sucedida e que agora o zagueiro passa por terapia no hospital Pablo Soria como parte do início do processo de recuperação. O incidente talvez seja a demonstração mais bizarra da variedade de riscos a que um jogador está exposto ao vestir a camisa de seu clube e se entregar em campo pelo resultado.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).
Botão Voltar ao topo