Argentina

O trepidante recebimento para o Clássico de Córdoba, um dos maiores do interior da Argentina

Belgrano e Talleres possuem uma das rivalidades mais ferrenhas da Argentina. A cidade de Córdoba costuma pulsar mais forte durante os duelos de suas principais camisas, ainda que nem sempre a paz prevaleça. Em 2017, os rivais voltaram a se enfrentar na primeira divisão após hiato de 15 anos. E o dérbi volta a se acostumar à elite, com mais uma edição neste domingo. Os setores cheios no Estádio Mario Alberto Kempes garantiram o espetáculo ao redor do gramado. Já dentro de campo, só um time comemorou. La T venceu por 3 a 0 e ressaltou sua fase superior em relação aos vizinhos.

Possivelmente pelo histórico recente de violência, o Dérbi de Córdoba não viu as arquibancadas totalmente lotadas. Nada que comprometesse o belíssimo recebimento aos times, com o azul dominando a atmosfera, entre fumaça, papéis picados, trapos, fogos de artifício e cantoria. Mas quando a bola rolou, só o Talleres correspondeu à sua torcida. O time liderado pelo inoxidável Pablo Guiñazú abriu o placar no primeiro tempo, em pênalti convertido por Juan Edgardo Ramírez. Já na segunda etapa, show de Nahuel Bustos, que anotou dois tentos, incluindo um petardo na gaveta do goleiro. Neste início de Campeonato Argentino, La T não cumpre uma campanha tão boa quanto a da temporada passada, quando assegurou a classificação à Libertadores. Atualmente ocupa o 13° lugar na tabela. Já o Belgrano é o 19°.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo