Argentina

Nada como um título: Messi repensa situação na Argentina e pode estar na Copa do Mundo de 2026

Messi sabe que não está disputado uma liga de elite, mas reconhece que pode estar em condições de disputar o Mundial

Nada como um título para mudar o pensamento de um jogador de futebol em relação a sua aposentadoria, não é mesmo? Quem poderia imaginar que após o título da Copa do Mundo em 2022 e de sua ida para a emergente, porém limitada liga norte-americana, Messi estaria ainda pensando em defender a Albiceleste daqui a três anos, no mundial de seleções que será disputado nos Estados Unidos, no México e no Canadá. Em entrevista para o Star+, o astro do Inter Miami deixou em aberto esta possibilidade e sente que pode ainda entregar algo a mais para seu país na próxima Copa do Mundo.

Neste momento, Messi sabe que jogar em alto nível no cenário internacional depende de outros fatores importantes, principalmente a parte física, entretanto o craque sabe de seu potencial em campo e ainda sente que pode ser muito bem aproveitado pela Argentina, mesmo estando com 39 anos em 2026. Messi tem sido convocado pelo técnico Lionel Scaloni para a disputa das Eliminatórias e tem mostrado seu diferencial à frente da Albiceleste.

“Enquanto eu sentir que estou bem e posso continuar contribuindo, vou fazê-lo. Hoje a única coisa que penso é chegar bem à Copa América e poder disputar. Como sempre fizemos, tentando ser campeões”, afirmou Messi.

Messi deixa em aberto a possibilidade de disputar a Copa do Mundo

Messi está animado em disputar a Copa do Mundo pela Argentina, e seu desempenho pós-Copa do Mundo do Catar tem mostrado que ainda tem muita lenha para queimar e continuar fazendo história pela Albiceleste. Depois de algumas decepções consecutivas, ter se aposentado e voltado em sua decisão, La Pulga está determinado a continuar em frente defendendo a sua seleção.

“O tempo dirá se estou lá ou não. Vou chegar a uma idade (39 anos) que normalmente não conseguiria jogar na Copa do Mundo. Eu disse que não acho que vou estar lá. Parecia que depois da Copa eu estava me aposentando e muito pelo contrário. Agora quero estar lá mais do que nunca. Depois de sofrer por tantos anos, hoje quando vivemos um momento especial que nunca vivi antes, quero aproveitar ao máximo. Me sinto bem dentro do grupo, que é muito unido, muito saudável. Que gosta de estar junto. Quero aproveitar tudo isso, sem pensar em dois ou três anos, o que no futebol é muito”, afirmou o craque.

Título da Copa do Mundo deu tranquilidade para La Pulga

Após pensar em desistir de jogar pela seleção da Argentina, Messi retrocedeu de sua decisão em uma jornada digna de roteiro de filme, no qual o herói sofre durante toda a sua trajetória até o final de sua aventura, conquistar seu tão almejado objetivo. O título da Copa do Mundo pela Albiceleste colocou La Pulga era a parte que faltava para calar a boca dos críticos que ainda acreditavam que faltava este título para colocar o craque entre os maiores da história.

A pressão sobre o jogador era tanta, que o próprio Messi considerou que o título no Catar foi como se tivesse tirado um peso de suas costas, para continuar a sua caminhada pela Argentina e que agora pode se estender ainda mais, transformando o jogador em um ícone ainda mais importante da história do futebol.

“Ser campeão mundial me mudou na tranquilidade no trabalho, entre aspas, porque ainda é um trabalho. Consegui conquistar tudo. Conseguir alcançar o que sonhei como jogador e que não tinha mais nada para fazer…isso é o maior prazer. Como quando se atinge o objetivo em qualquer campo. Orgulhoso e satisfeito por ter feito o trabalho”, finalizou Messi.

Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Existe um ditado que diz que o bom filho a casa retorna não é? Pois bem, sou Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia, de volta ao site após quatro anos, e agora redator do Trivela, um dos maiores portais de futebol do Brasil. Sou jornalista, especializado em Marketing digital e narrador do Portal Futebol Interior e também da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo