Argentina

Boca Juniors arranca empate no Monumental e River Plate deixa o Superclássico com gosto amargo

Após abrir o placar com Solari, River Plate cai de produção graças às mexidas de Demichelis e Boca se aproveita

Na rodada de clássicos da Copa da Liga Argentina, o Monumental de Núñez recebeu o maior deles neste domingo (25). River Plate x Boca Juniors mediram forças e empataram por 1 a 1. Com gol de Pablo Solari, a equipe de Martín Demichelis abriu o placar no início do segundo tempo. No entanto, caiu de rendimento após as mexidas do técnico e viu os Xeneizes crescerem no jogo. Em boa jogada de Lautaro Blanco, Cristian Medina deixou tudo igual.

Com o empate, o River Plate foi a 13 pontos, ultrapassou o Independiente – que perdeu para o Racing na rodada, e assumiu a liderança do Grupo A. Já o Boca Juniors estacionou na sétima colocação do Grupo B, agora com 10 pontos.

River Plate encurrala Boca, que é salvo pela trave

Jogando em casa e contando com o apoio de sua apaixonada torcida, o River Plate começou melhor o Superclássico. Logo aos dois minutos de jogo, em cobrança de escanteio no lado direito, a defesa do Boca Juniors afastou parcialmente e a bola se ofereceu a Leandro González, que emendou chute forte, porém sem direção. Acuados, os Xeneizes não conseguiam sair da pressão, sofriam com a blitz inicial dos Millonarios e apelavam para as faltas. E foi em uma dessas faltas que o River quase abriu o placar. Marcelo Herrera recebeu passe por elevação na área, se esticou todo e conseguiu desvio sutil, mas suficiente para obrigar Romero a espalmar.

Somente aos 16′, o Boca finalizou pela primeira vez. Kevin Zenón se aproveitou de um raro espaço concedido pelo meio-campo do River e experimentou arremate de longa distância. Bem posicionado e atento ao lance, Armani acompanhou a saída da bola pela linha de fundo. Com 22′ no relógio, os Millonarios voltaram a assustar. De chaleira, Pablo Solari encontrou Echeverri que, com casquinha de cabeça, deixou Colidio em boas condições de finalizar. Dito e feito. O jovem atacante de 24 anos encheu o pé na entrada da área e carimbou a trave.

O River seguiu em cima do Boca na reta final do primeiro tempo. A equipe de Demichelis mostrou bom volume ofensivo e encurralou o rival durante boa parte dos 45′ iniciais. Faltou precisão nos momentos de definição. Por outro lado, os Xeneizes souberam se defender e contaram com a sorte na bola na trave de Colidio. Já no ataque, os comandados de Diego Martínez foram nulos. Sequer ameaçaram Armani, que mal sujou o uniforme.

River abre o placar no início do segundo tempo, mas cai de rendimento por culpa de Demichelis e vê Boca empatar

Veio o segundo tempo e a postura do River não mudou. Os Millonarios começaram propondo o jogo e, logo aos três, abriram o placar. Enzo Díaz deu lançamento perfeito para Solari, que bateu dois defensores do Boca na velocidade. Frente a frente com Romero, o camisa 36 arrematou fraco e parou em boa defesa do arqueiro xeneize. Para sorte do atacante, a bola voltou em seus pés e, dessa vez, ele não desperdiçou. Estufou as redes e colocou os donos da casa na frente.

Mesmo após o gol, o River não diminuiu o ritmo. Os comandados de Demichelis não deixavam o arqurrival respirar e buscavam manter a posse de bola no meio-campo e setor ofensivo. O Boca, por sua vez, pecava nos passes e abusava das ligações diretas. Entretanto, tudo mudou quando Demichelis, equivocadamente, mexeu nos Millonarios. Rodrigo Aliendro e Agustín Sant’Anna entraram nos lugares de Herrera e Echeverri, e a equipe da casa caiu vertiginosamente de produção. O time xeneize se aproveitou da postura defensiva do arquirrival, que recuou muito, e passou a sonhar com o tento de empate. Aos 19′, Medina recuperou a posse, tabelou com Saralegui e arrematou de fora da área. Armani pegou. O lance foi o suficiente para acordar os Bosteros.

Aos 25′, o Monumental se calou com o empate do Boca. Lautaro Blanco fez boa jogada individual no lado esquerdo, passou como quis pela marcação de Agustín Sant’Anna, invadiu a área e cruzou rasteiro. Quase que da marca do pênalti, Medina pegou de primeira e deixou tudo igual. Golpe duro para o River e lição em Demichelis que, claramente, piorou os Millonarios com as substituições feitas. Antes do apito final, Borja perdeu oportunidade clara em cabeçada cara a cara com Romero, enquanto Merentiel não alcançou cruzamento de Zenón na boca do gol.

Estatísticas de River Plate 1 x 1 Boca Juniors – Copa da Liga Argentina

  • Posse de bola: 52% x 48%
  • Faltas: 12 x 20
  • Finalizações: 16 x 11
  • Finalizações no gol: 7 x 4
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo