Alemanha

Saindo ao fim da temporada, Tuchel aproveitou para dar cutucada na diretoria do Bayern do Munique

Terceira mudança em menos de um ano de diretor esportivo do Bayern foi criticada por Thomas Tuchel, que deixará o clube nos próximos meses

Os recentes resultados tanto na Bundesliga como na Liga dos Campeões, aliados ao relacionamento conturbado com os jogadores, farão com que Thomas Tuchel não permaneça para a próxima temporada no Bayern de Munique. Na última semana, a diretoria do clube alemão anunciou publicamente que o treinador não será demitido, mas que deixará o time da Baviera no fim da temporada, daqui a dois meses.

Nesta semana, a diretoria aproveitou também para anunciar que Max Eberl será o novo diretor esportivo a partir desta sexta-feira (1), quando começa o mês de março. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (29), Tuchel aproveitou para criticar o corpo diretivo do Bayern, que em menos de uma temporada, fez mudanças radicais no gerenciamento esportivo do clube.

— É a terceira vez que reescrevemos o organograma do clube — disse Tuchel, se referindo às saídas do ex-CEO Oliver Kahn e de Hasan Salidhamidzic como diretor esportivo no fim da última temporada. Depois, às entradas de Christian Dreesen como CEO e Christopher Freund como diretor esportivo, com quem o técnico se relaciona bem.

— Isso traz consequências, mas tentaremos manter o foco no próximo jogo. É claro que esperamos total apoio de Max, que também nos foi prometido. Cumprirei meus últimos meses com grande entusiasmo e com paixão inabalável. Para mim, tudo se resume a uma vitória em Freiburg. Farei tudo para isso, todos podem confiar nisso. Estou convencido de que venceremos na sexta-feira.

Novo executivo concordou com a saída de Tuchel

Apresentado na última quarta-feira (28), Max Eberl chamou a atenção pela resposta direta que deu em coletiva de imprensa. Enquanto falava sobre como trabalhará no Bayern e quais são os seus objetivos, ele foi sincero em relação a não renovação de contrato de Tuchel para 2024/2025.

— Foi a decisão certa (não contar com Tuchel). Não se trata de Max Eberl, não se trata de Herbert Hainer (presidente do clube) e também não se trata de Thomas Tuchel. É sobre o Bayern de Munique. Se a diretoria acredita que isso poderá ser o impulso certo para lidar os últimos meses e depois pensar no futuro, então é a decisão certa para mim. Eu não estive envolvido na decisão de não contar com ele.

A resposta foi comentada por Tuchel, que resolveu pôr panos quentes sobre a polêmica, e afirmou não ter prestado atenção no que o novo executivo do clube disse em relação à saída daqui a cerca de três meses.

— Não vi nada porque tivemos uma sessão de treinamentos. Também não li o que ele disse. Conheço Max de outros tempos e também de uma conversa recente. Hoje, Max se apresentará ao elenco aqui na Säbener Strasse (Sede do clube). Veremos que efeito isso terá.

Outra fumaça para apagar no vestiário

Apesar da bronca com os mandatários, Tuchel tentou evitar grandes conflitos em outro tema que envolve um dos jogadores mais promissores do clube. Insatisfeito por estar no banco de reservas na maior parte do tempo, Mathys Tel foi alvo de comentários de Eberl, que disse contar com o jogador para o futuro, e também de Thomas Müller, que afirmou que o Bayern não era um local para desenvolvimento. Com as polêmicas, Tuchel exaltou o trabalho do jovem de 18 anos, que chegou na temporada anterior.

— Na minha opinião, ele nunca jogou tanto ou com tanta regularidade quanto joga conosco — disse o técnico sobre o atacante francês, que nesta temporada disputou 28 partidas e fez 6 gols.

Max Eberl claramente terá trabalho tanto neste fim de ciclo de Tuchel como para escolher um novo treinador. Com parte do seu elenco rachado com o atual treinador, o Bayern precisa ao menos tentar lutar até o fim pela Bundesliga, e mostrar que ainda é capaz de virar contra a Lazio e avançar para as quartas de final da Champions League. Poderá ser o início de um trabalho a médio prazo, pensando já na próxima temporada.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo