AlemanhaBundesliga

O Dortmund passará um mês na zona de rebaixamento, um mês para tentar acordar de vez

Aquilo que o Borussia Dortmund mais temia aconteceu. Os aurinegros fecharão o primeiro turno da Bundesliga na zona de rebaixamento, e com o risco de assumir até mesmo a lanterna do campeonato. Os aurinegros esperavam por um resultado mais digno contra o Werder Bremen, adversário direto na degola. No entanto, acabaram sendo presas fáceis no Weserstadion: os Verdes foram mais efetivos em campo e garantiram a vitória por 2 a 1. Pelas próximas semanas, o Dortmund terá que se acostumar com o lugar na zona da degola, sem sequer chance reverter. Para pregar a tabela nas paredes do Signal Iduna Park e ter consciência que há muito trabalho a ser feito nos próximos meses.

LEIA MAIS: Para o Dortmund, neste momento, é mudar de atitude ou mudar boa parte do time

Jürgen Klopp sabia da importância da ocasião. Não apenas por ser um adversário direto, mas também pelo moral em jogo do time. Por isso mesmo, a escalação do Dortmund tentava explorar a velocidade, principalmente com Kuba e Aubameyang nas pontas. Não deu certo. O Werder Bremen terminou o primeiro tempo em vantagem. Pior é que Klopp tentou aumentar a ofensividade na  segunda etapa, com Kagawa no lugar de Kehl, e acabou tomando o segundo gol. Hummels até descontou, mas nada que evitasse o prejuízo.

Mais uma vez, os pecados se repetiram. A defesa abusou dos erros e deu brechas demais para o ataque do Bremen. Não à toa, os dois gols saíram em subidas rápidas, nas costas da zaga, com Selke e Bartels balançando as redes. O meio-campo não deu a proteção necessária, enquanto o ataque perdeu mais oportunidades que deveria, parando no goleiro Wolf e na falta de pontaria de Immobile. No misto de incompetência e falta de sorte, o Dortmund se afunda ainda mais.

Conteúdos relacionados

VEJA TAMBÉM: Klopp: “Já sei que, quando deixar o Dortmund, sentirei falta desta torcida fantástica”

O recado está claro: ou o time muda nesta pausa de inverno ou muda de vez no verão. O pescoço de Klopp está a prêmio para muita gente e, por mais que não haja um substituto à altura do técnico, o tom de despedida em suas palavras está claro. Contratar será necessário para tentar reforçar um elenco que é bom, mas que possui muitos jogadores abaixo de seu potencial. Para não dizer que alguma estrela pode sair já, considerando que a praticamente certa ausência na Champions 2015/16 deixará um rombo no caixa, coberta a custo das transferências dos jogadores mais badalados. Além disso, o tempo será precioso para recuperar a forma física dos tantos que se lesionaram com frequência nos últimos tempos.

Para não terminar o turno na lanterna, o Dortmund precisará torcer para que o Freiburg não vença o Hannover 96 neste domingo. Uma situação vexatória, que representa muito bem a que ponto a péssima fase levou o clube. Os aurinegros seguem perdendo tempo e demonstrando incapacidade de reação. Se a draga parecia apenas passageira, neste momento ela é mais do que concreta. Os fantasmas do inverno assombraram o Signal Iduna Park até 31 de janeiro, quando o time volta a atuar pela Bundesliga – e já com um desafio duríssimo, visitando o Bayer Leverkusen na BayArena.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo