AlemanhaBundesliga

Müller rechaçou zebra com golaço espetacular de puxeta para decretar virada do Bayern

Bayern de Munique e Darmstadt foram para o intervalo na Allianz Arena em um cenário que parecia bem improvável antes de a bola rolar. Com gol de Sandro Wagner, ex-Bayern, os visitantes venciam por 1 a 0, tendo tido oportunidades de até mesmo ampliar a vantagem no marcador. Restavam apenas 45 minutos, mas o segundo tempo não reservava surpresas. Os bávaros tomaram a frente, venceram por 3 a 1, em uma virada construída sobretudo por Thomas Müller, que marcou os dois primeiros gols. E o segundo deles foi dos mais bonitos já marcados pelo alemão.

VEJA TAMBÉM: Jakupovic carregou time reserva do Hull e segurou o Arsenal no Emirates com defesaças

A grande surpresa do jogo veio aos 26 minutos do primeiro tempo. Após duas tentativas de cruzamento na área, o atacante Sandro Wagner desviou de cabeça, na primeira trave, sem chances para Neuer, fazendo 1 a 0 para o Darmstadt. A narrativa de zebra que se construía era ainda mais chamativa pelo fato de Wagner ter se desenvolvido nas categorias de base do próprio Bayern de Munique, fazendo parte da seleção alemã campeã sub-21 em 2009, que revelou vários jogadores para a Copa de 2014.

O tempo para surpresas, no entanto, acabou após o intervalo, e o Bayern voltou para o segundo tempo de forma assertiva, com Thomas Müller empatando o duelo aos quatro minutos de etapa complementar, com assistência de Rafinha. O grande lance do jogo, da virada, viria 22 minutos depois. Após cruzamento de Arturo Vidal, Müller dominou no peito e, sem deixar cair, acertou uma puxeta precisa, acrobática, no ângulo direito do goleiro do Darmstadt.

Aproveitando-se do espírito combalido dos visitantes, que viram o que poderia ser um triunfo inimaginável se transformar em uma derrota de virada, o Bayern trocou passes com tranquilidade na construção do terceiro gol, marcado por Lewandowski. Sem dificuldades para achar espaços, foi passando a bola pelo meio de campo, chegando à ponta esquerda e terminando, enfim, em cruzamento de Ribéry para o polonês, sozinho, desviar para o gol e fazer 3 a 1 aos 39 minutos.

Se em outubro do ano passado Tomas Müller falou que o objetivo do Bayern de Munique era deixar a Bundesliga “o mais chata possível”, ao responder a questionamentos sobre o nível de competitividade da competição após os bávaros derrubarem, com goleada por 5 a 1, um até então invicto Borussia Dortmund, desta vez o jogador da seleção alemã nos deu motivos para continuar de olho na competição. Se, por um lado, o título do torneio constantemente se define com muita antecipação, por outro, o Bayer é capaz de lances de pura plasticidade, que dão algumas boas razões para sempre acompanharmos de perto as campanhas dos bávaros.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo