Alemanha

Kevin-Prince Boateng anuncia que irá se aposentar ao final da temporada 2022/23

Aos 35 anos, Kevin-Prince Boateng disse que proximidade do rebaixamento o fez jogar mais um ano: “A temporada passada foi muito turbulenta, não poderia terminar minha carreira assim”

O atacante Kevin-Prince Boateng anunciou que irá se aposentar ao final da temporada 2022/23. Aos 35 anos, o jogador renovou recentemente com o Hertha Berlim, o primeiro clube da sua carreira e que também será o último. Ao longo da carreira, passou por diversos clubes em diferentes países: Tottenham, Borussia Dortmund, Portsmouth, Milan, Schalke, Barcelona, Eintracht Frankfurt, Fiorentina, entre outros. Ele anunciou a renovação do contrato com o clube há alguns dias.

Boateng voltou ao Hertha Berlim na temporada passada e jogou 18 vezes pelo clube, sendo 10 vindo do banco de reservas. O clube escapou do rebaixamento por pouco, em confronto com o Hamburgo nos playoffs. A temporada conturbada e tão perto do rebaixamento foi o que convenceu o jogador a seguir atuando profissionalmente por mais um ano.

“Estive aqui antes quando jovem, mas nunca fui realmente fã deste lugar – é um lugar que sempre é associado a sangue, suor e lágrimas e trabalho duro. Essas são exatamente as coisas que precisamos fazer agora, no entanto. Eu me sinto fantástico, muito melhor do que na temporada passada. Atualmente peso apenas 84 quilos, o mais leve desde que estive no Milan! Se Estressar com um casamento é a melhor dieta, juntamente com o fato de termos mudado de casa nas férias de verão”, contou o Kevin-Prince ao site do Hertha.

“Quero correr alguns riscos e apostar um pouco – acho que você também pode ver isso. A temporada passada foi muito turbulenta, não poderia terminar minha carreira assim. Posso dizer agora, porém, que esta será minha última temporada. Por isso, quero aproveitar cada dia que me resta aqui – até mesmo o treinamento físico com Hendrik Kuchno (risos) – e dar tudo de mim, tanto pelo clube quanto por mim pessoalmente”, contou ainda o jogador.

“Eu gostaria de desempenhar um papel semelhante ao que fiz na temporada passada: ajudar, ser o pai mais uma vez e atuar em campo como no jogo de volta do playoff do rebaixamento em Hamburgo. Sempre vou colocar a equipe em primeiro plano, porque não queremos estar em outra situação como essa – para isso, espero um pouco mais de calma. Precisamos nos concentrar nas coisas que temos que fazer, mas também continuo sonhando com um gol no Olympiastadion”, declarou o jogador.

Kevin-Prince ainda comentou sobre a relação com o técnico do clube, Sandro Schwarz, e mostrou muito respeito com o comandante. “O treinador fez uma viagem extra a Berlim para falar comigo. Minha impressão dele é muito boa: ele é muito direto e aberto, assim como eu. Conversamos por cerca de duas horas e meia, mas mesmo depois de dez minutos ficou claro que queríamos trabalhar juntos”.

“Ele é uma lufada de ar fresco, é muito apaixonado e emocional – ninguém pode se esconder disso. Claro, minha posição favorita ainda é o número 10, mas isso não é realmente um problema: o treinador decide onde eu jogo. Se ele quiser, ele pode me jogar na lateral direita, mesmo que eu só aguentasse 20 minutos lá (risos). Em geral, porém, eu diria que ainda é um pouco cedo para falar sobre tudo”, continuou o jogador.

Perguntado sobre o que pretende fazer quando, enfim, pendurar as chuteiras, Kevin-Prince Boateng ainda não tem uma resposta. Ele, porém, não parece pensar muito em ficar à beira do gramado. “Meu agente me disse que eu seria o treinador perfeito, mas realmente não vejo isso – não tenho paciência e nunca tive. Eu preciso me aprimorar nesse aspecto. O principal, porém, é tentar me concentrar nesta temporada. No final do dia, terei todo o tempo do mundo para pensar sobre isso depois que terminar”.

Nascido em Berlim, Kevin-Prince é meio-irmão de Jêróme Boateng, atualmente no Lyon. Defendeu a seleção ganesa, pela qual fez 15 jogos e dois gols. Disputou a Copa do Mundo de 2010, quando viveu a experiência de enfrentar o irmão, que atuava pela seleção alemã.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo