Alemanha

Georgiy Bushchan teve uma grande atuação contra a Alemanha – exceto no lance em que entregou o segundo gol

Georgiy Bushchan, da Ucrânia, que fez uma série de grandes defesas, e teve uma grande atuação na derrota para a Alemanha, por 2 a 1, com exceção do momento em que deixou a bola escapar para Goretzka marcar o segundo gol no começo do segundo tempo.

Bushchan foi praticamente o único goleiro que sobrou. Andriy Pyatov, Andriy Lunin e Yuriy Pankiv foram cortados por terem testado positivo para Covid-19. Bushchan tornou-se o único com condição de jogo, tanto que o preparador de goleiros, Oleksandr Shovkovskiy ficou no banco de reservas no amistoso contra a França, em Paris.

Em casa para jogar contra a Alemanha, Shevchenko conseguiu recrutar o garoto Dmytro Riznyk, 21 anos, do Vorskla Poltava, e re-aposentou seu auxiliar. Manteve Bushchan como titular que foi um dos melhores em campo, com dez defesas, algumas bem impressionantes, contra a Alemanha, e uma falha crucial – dura a vida do goleiro.

O primeiro gol dá para colocar na conta da defesa – o restante do time também estava bastante desfalcado, com um total de 16 jogadores indisponíveis – porque permitiu que Antonio Rüdiger fizesse uma jogada de ponta direita, parecida com a de Coutinho no gol contra de Carrasco contra a Bolívia, na sexta-feira, e cruzasse para Mathias Ginter abrir o placar.

Aos 31 minutos, Bushchan trabalhou bem para defender a batida de Kimmich de fora da área e depois fez uma super-defesa em cabeçada à queima-roupa de Gnabry. Mas, no começo do segundo tempo, deixou escapar o cruzamento de Klostermann na cabeça de Goretzka que reagiu rápido para cabecear às redes vazias e fazer 2 a 0 para a Alemanha.

Bushchan se redimiu logo em seguida, pegando uma batida de frente de Draxler, e depois fez outra grande intervenção em batida de Klostermann, pela direita, após linda jogada do meia-atacante do Paris Saint-Germain. A Ucrânia descontou com Ruslan Malinovskyi, cobrando pênalti.

.

.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo