Alemanha

Entenda por que Frimpong comemorou seu gol com baseado de maconha no Bayer Leverkusen

Um dos destaques do Bayer Leverkusen, Frimpong tem motivação para comemorar com algo relacionado à maconha

Com uma temporada invicta até aqui, o Bayer Leverkusen tem grandes chances de levantar a tríplice coroa. Isso porque os Werkself lideram a Bundesliga e estão nas quartas de final da Liga Europa. Na última quarta-feira (3), o time de Xabi Alonso se garantiu na final da Copa da Alemanha ao golear o Fortuna Düsseldorf por 4 a 0, na BayArena. Contudo, o que chamou a atenção foi a comemoração de Jeromie Frimpong.

Aos sete minutos do 1º tempo, o ala-direito aproveitou uma sobra de bola na grande área para colocar o Leverkusen em vantagem na semifinal do torneio. Em determinado momento da celebração, Amine Adli se aproximou de Frimpong e simulou bolar um baseado de maconha. O atacante então fingiu acender o cigarro imaginário, passando-o para o camisa 30 dos Werkself, que deu uma tragada.

Acredite ou não, o ala tem uma motivação para comemorar seu gol com algo relacionado à maconha. E ela ultrapassa os limites das quatro linhas. A Trivela te explica por que Jeromie Frimpong simulou fumar um baseado no Bayer Leverkusen, cuja explicação está em uma recente política interna da Alemanha.

Por que Frimpong comemorou com um baseado de maconha no Bayer?

Para explicar essa história curiosa, é preciso voltar um pouco no tempo. No dia 1 de abril — dois dias antes da comemoração de Frimpong —, a Alemanha legalizou o consumo recreativo de maconha. A nova lei permite que pessoas acima de 18 anos possam transportar até 25 gramas da erva em vias públicas, além de cultivar até 50g e ter três plantas de cannabis por adulto em sua residência.

Com a nova legislação, o país da Bundesliga se junta a Malta e Luxemburgo como um dos países mais permissivos em relação à maconha na Europa, já que eles liberaram o consumo recreativo em 2021 e 2023, respectivamente. Os Países Baixos, terra do ala-direito do Bayer, são conhecidos historicamente por serem uma nação com política liberal em relação às drogas.

Entretanto, o país natal de Jeromie Frimpong adotou uma abordagem mais restritiva para reduzir o turismo voltado ao consumo de cannabis. Já a Alemanha vai colocar a nova lei em prática a partir de julho. Ou seja, a compra de maconha ainda é ilegal no país pelos próximos três meses. Mesmo assim, Jeromie Frimpong comemorou a legislação revolucionária nos Werkself.

Quem quiser comprar maconha legalmente na Alemanha o fará por meio de “clubes sociais de cannabis”. A lei determina que cada clube pode ter no máximo 500 membros, podendo distribuir 50g da erva por mês para cada integrante. Até lá, não estranhe se o ala do Bayer Leverkusen, ou qualquer outro jogador do futebol alemão, celebrar um gol com um baseado de mentira nos gramados.

Maconha ainda gera punições por doping no futebol

Por mais que Frimpong tenha comemorado a nova lei que legaliza o consumo de maconha na Alemanha, ele não pode desfrutar da novidade enquanto compete profissionalmente. A Agência Mundial Antidopagem (WADA) classifica a cannabis como doping. Para ser mais preciso, o THC, ingrediente psicoativo da erva, é uma das substâncias proibidas pelo regulamento do esporte.

Antigamente, a WADA entendia que atletas pegos usando “drogas sociais”, como a maconha e a cocaína, tinham que ser suspensos do futebol por dois a quatro anos. Desde 2021, o doping por uso recreativo, ou seja, fora do período de competições e que não dê ao jogador qualquer tipo de vantagem esportiva, poderá pegar uma pena de três meses, com possibilidade de redução para 30 dias em caso de cumprimento de um programa de reabilitação.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Formado em Jornalismo pela Unesp, é apaixonado por esportes, acima de tudo futebol. Ama escrever sobre o que acontece dentro e fora de campo. Após passar por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia, se juntou à equipe da Trivela com muita vontade de continuar crescendo.
Botão Voltar ao topo