AlemanhaBundesliga

Em goleada e show do Dortmund, torcida aurinegra ofereceu um minuto de aplausos à Chape

Em março, a torcida do Borussia Dortmund proporcionou um dos momentos mais emocionantes já vistos em um estádio de futebol. Diante da notícia de que uma pessoa havia falecido nas arquibancadas, os aurinegros prestaram uma gigantesca homenagem espontânea. Primeiro, veio o silêncio enquanto a bola ainda rolava no segundo tempo. Depois, a mensagem potente transmitida pelo “You’ll Never Walk Alone”. Já neste sábado, o Signal Iduna Park ofereceu sua solidariedade à Chapecoense, antes do jogo contra o Borussia Mönchengladbach.

Como em toda a rodada da Bundesliga, um minuto de silêncio foi respeitado no estádio. Os torcedores aurinegros, no entanto, resolveram fazer diferente. Ouviram sob silêncio absoluto a mensagem transmitida nos alto-falantes, desejando condolências. Mas, logo após, realizaram um minuto de aplausos em memória às vítimas do desastre aéreo. A bandeira do Brasil era exibida no telão e todos os jogadores, assim como os árbitros, usaram braçadeiras pretas.

Quando a bola rolou, o Dortmund goleou por 4 a 1. O Gladbach saiu em vantagem no placar, em chute rasteiro de Raffael, aos seis minutos. A reação, ao menos, foi imediata. E contou com grande atuação do trio formado por Marco Reus, Pierre-Emerick Aubameyang e Ousmane Dembélé. Em jogada do trio, o gabonês empatou um minuto depois. A virada saiu aos 15, em desvio de cabeça de Lukasz Piszczek. Já no segundo tempo, o show esteve completo com duas pinturas: Dembélé entortou a zaga antes de marcar o terceiro e Aubameyang fechou a conta graças a um passe de calcanhar de Reus. Com a vitória, o Dortmund assume provisoriamente a quinta colocação da Bundesliga.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo