Copa da Alemanha

Müller, sobre os 5×0 do Gladbach: “Tirando Neuer, foi uma atuação catastrófica para todos os envolvidos”

Thomas Müller deu uma entrevista bastante franca para falar sobre a derrota acachapante do Bayern

Thomas Müller possui uma vasta experiência no Bayern de Munique e sofreu muitas derrotas duras com o clube. Porém, nada como o vivido nesta quarta-feira, com os 5 a 0 do Borussia Mönchengladbach para cima dos bávaros no Borussia Park – a pior derrota do clube em 43 anos. Não é “apenas” o placar, mas a forma como os Potros engoliram os visitantes e poderiam ter construído uma vantagem ainda maior, não fosse Manuel Neuer. O atacante não usou meias palavras para analisar a noite desastrosa.

“Nunca tinha passado por uma situação como esta. Nunca vi um fracasso coletivo do tipo num jogo tão importante. É por isso que fica tão difícil de entender, para ser honesto. Nunca chegamos ao ponto em que o motor do Bayern ligou. Tirando Neuer, foi uma atuação catastrófica para todos os envolvidos. Você pode questionar tudo hoje e sempre estará certo. Podemos apenas pedir desculpas à torcida e parabenizar o Gladbach. Temos que deixar esse jogo para trás de qualquer forma e consertar isso”, declarou Müller.

Outro a pedir desculpas foi Dino Toppmöller, auxiliar técnico do Bayern, que tem comandado a equipe nos últimos jogos enquanto Julian Nagelsmann se recupera da covid: “Foi um dia absolutamente ruim. Peço desculpas que tenhamos decepcionado os torcedores hoje. Parabéns ao Gladbach, que fez um jogo incrível e mereceu a vitória. Muitas coisas aconteceram de uma maneira que não imaginávamos. Sabíamos que eles iriam nos pressionar e jogar no contra-ataque. Não estávamos à altura da tarefa”.

O auxiliar também relatou que seguiu em contato com Nagelsmann para todo o planejamento: “Estávamos em constante contato com Julian, preparamos o plano de jogo juntos e discutimos a escalação. Não mudamos no intervalo porque não era uma questão de sistema. Tivemos um dia sombrio, em que chegamos atrasados em todas as bolas. Para os próximos dias, temos que suportar a humilhação e a ridicularização. É difícil aceitar, mas temos que reagir”.

Já do lado do Borussia Mönchengladbach, o técnico Adi Hütter era um dos mais exultantes. Ele afirmou que nunca tinha visto um time comandado por ele fazendo uma partida tão contundente – mesmo à frente do Eintracht Frankfurt que bateu o Bayern por 5 a 1 na Bundesliga 2019/20, no duelo que resultou na demissão de Niko Kovac pelos bávaros.

“Foi um jogo quase perfeito, uma vitória histórica. Nunca tínhamos vencido o Bayern na Copa da Alemanha. O que me deixa muito mais feliz é a atuação que fizemos. Fomos dominantes desde o primeiro minuto. E aqueles primeiros 20 minutos… não me lembro de ter visto um time meu jogar tanto. Nós analisamos o Bayern muito bem. Você avança e joga com coragem. Queríamos Breel Embolo explorando isso e ele conseguiu, fez exatamente o que pedimos”, apontou.

O técnico também guardou elogios a Breel Embolo, autor de dois gols e uma assistência: “Foi uma atuação inacreditável de Breel. O Bayern marcava muito alto, às vezes no um contra um. Então vinha Breel com sua força, com sua velocidade e com seu corpo, como uma absoluta granada. É claro que ele joga ainda melhor se tiver espaço atrás da última linha, mas Breel é um jogador que pode causar danos em qualquer equipe”.

Já o diretor Max Eberl também sublinhou a maneira como Nico Elvedi anulou Robert Lewandowski: “É difícil destacar poucos jogadores numa atuação dessas, mas Embolo precisa ser nomeado como o melhor em campo hoje. Nico Elvedi também fez uma partida incrível contra Lewandowski. Acho que realmente fizemos um jogo impressionante. Eles estavam perdidos. Eliminar o Bayern é bom para a Copa da Alemanha. Nosso grande objetivo é chegar a uma final”.

Bayern e Gladbach tinham se enfrentado anteriormente em seis edições distintas da Copa da Alemanha, sempre com classificação dos bávaros. No entanto, somente em duas ocasiões o clube de Munique venceu no tempo normal, dependendo da prorrogação em duas classificações e dos pênaltis em outras duas. O próximo adversário dos Potros nas oitavas de final será definido por sorteio no domingo.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo