Copa da Alemanha

Título da Copa da Alemanha coroa melhor temporada da história do Bayer Leverkusen

Granit Xhaka, com um golaço, foi o responsável por dar ao Bayer Leverkusen o título da Copa da Alemanha contra o Kaiserslautern

Álex Grimaldo e Victor Boniface foram os reforços do Bayer Leverkusen com maior impacto ofensivo ao longo da temporada em que o time foi campeão da Bundesliga pela primeira vez. Mas dentre todos, o mais conhecido e caro certamente foi Granit Xhaka.

O volante, com passagem de altos e baixos no Arsenal, saiu pela porta da frente dos Gunners, contratado por 25 milhões do Bayer Leverkusen. Principal referência do meio de campo do time das aspirinas, o suíço de 31 anos teve um sábado (25) de herói. Foi dele o golaço que levou a equipe ao título da Copa da Alemanha, contra o Kaiserslautern por 1 a 0, no Estádio Olímpico de Berlim.

Mesmo jogando com um a menos após a expulsão de Odilon Kossounou, o time fechou a melhor temporada de sua longeva história de 119 anos. Campeão invicto da Bundesliga e vice da Liga Europa, o Bayer Leverkusen conquistou a Copa da Alemanha pela segunda vez. A primeira havia sido em 1992/1993.

Números individuais positivos também na Copa

O Bayer fechou a competição também liderando as estatísticas individuais. Amine Adli foi o artilheiro, com quatro gols, e Florian Wirtz foi eleito o melhor jogador da Bundesliga e líder em assistências, tendo feito quatro passes.

Pressão na hora certa garante gol

Zebra na partida, o Kaiserslautern começou pressionando. Mesmo fechado, a equipe da segunda divisão tentava atacar em bloco e surpreender a defesa do Bayer Leverkusen, que teve dificuldade para sair jogando nos primeiros minutos.

Mas ao longo da partida, o atual campeão da Bundesliga foi tomando o controle, e abriu o placar aos 16 minutos. Em tentativa de triangulação pelo lado esquerdo, a defesa do Kaiserslautern estava esperta e conseguiu tirar a bola de Wirtz. Mas Xhaka apareceu de trás, e com um chute de primeira de fora da área, acertou a bola de chapa, no ângulo do goleiro Krahl.

Ao contrário do se viu ao longo de toda a temporada, o Bayer Leverkusen tomou uma postura de mais segurança, talvez preocupado com a derrota no meio da semana, em que a equipe levou um 3 a 0 da Atalanta e ficou com o vice da Liga Europa. E aos 44 minutos da etapa inicial, um lance capital deu a tônica do que seria o restante da partida. Após dar um pisão na canela de Tomiak, o zagueiro Odilon Kossounou tomou o segundo cartão amarelo e foi expulso.

Com 10, Leverkusen controla o jogo

Com um a menos durante toda a etapa final, o Bayer Leverkusen ficou mais retrancado, deixando a bola nos pés do Kaiserslautern e aproveitando erros para explorar em velocidade. Sem a mesma qualidade do time rival, o Kaiserslautern teve pouca efetividade, e o Leverkusen é que foi mais perigoso A equipe teve boas chances, desperdiçadas por Adli e Frimpong.

Percebendo um Kaiserslautern cada vez mais cansado, o Leverkusen foi crescendo ao longo da partida. Xhaka, Wirtz e Frimpong eram os principais responsáveis pelas chegadas do time das aspirinas. Mas tendo o controle da bola, a equipe de Xabi Alonso foi competente o suficiente para segurar a vantagem e celebrar mais um título em uma temporada quase perfeita.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo