AlemanhaBundesliga

Contra o Dortmund, Seferovic homenageou jovem morta por defender garotas de assédio

Após marcar o gol que definiu a vitória do Eintracht Frankfurt sobre o Borussia Dortmund por 2 a 0, no domingo, o atacante Haris Seferovic levantou a camisa para mostrar uma mensagem de homenagem a Tugce Albayrak, jovem de 23 anos que morreu após defender duas garotas de assédio no banheiro de um McDonald’s na cidade de Offenbach, perto de Frankfurt. Um belo gesto de alguém que entende que a visibilidade da posição que ocupa pode servir a algum propósito.

VEJA TAMBÉM: Corinthians não tomava cinco gols duas vezes no ano desde 1961

Na peça que vestia debaixo do manto do Frankfurt, Seferovic escreveu: “Tugce = coragem civil, anjo, valentia, respeito”. E os termos escolhidos pelo suíço não poderiam ter sido mais precisos. Apesar de sua fragilidade física diante de um grupo de homens, Albayrak não hesitou em prestar socorro ao ouvir gritos vindos do banheiro de um McDonald’s, de duas garotas que estavam sendo assediadas. Interveio e, depois disso, foi atacada por um dos homens no estacionamento do local, com golpes de bastão ou de pedra, segundo a BBC.

Levada ao hospital no último dia 15, Tugce Albayrak estava em coma, e na sexta-feira os médicos informaram que a moça havia tido morte cerebral. E desta maneira, no dia em que Tugce completou 23 anos, sua família pediu para que os aparelhos fossem desligados.

O ataque misógino do grupo chocou a Alemanha, e a morte de Albayrak comoveu a população. No domingo, cerca de 150 pessoas fizeram uma vigília em Berlim, e uma petição que pede que a jovem receba postumamente uma ordem nacional do mérito já reuniu mais de 100 mil assinaturas. Enquanto isso, o suposto agressor, um rapaz de 18 anos identificado apenas como Sanel M., já está sob a custódia da polícia.

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo