Derley: De coadjuvante a protagonista

Duplas dinâmicas sempre foram muito comuns na indústria do entretenimento. No cinema, o Gordo e o Magro fizeram muito sucesso e são lembrados até hoje. Em páginas de revistas em quadrinhos, os mais famosos são Batman e Robin. No futebol não é diferente, e tanto a mídia como os clubes estão sempre procurando criar uma dupla de sucesso.

Pelé e Garrincha formaram a melhor dupla de jogadores de todos os tempos. Recentemente, Diego e Robinho têm sido badalados pela imprensa como a dupla dinâmica do futebol brasileiro. Em Portugal, a dupla do momento é formada pelos brasileiros Deco e Derlei. Mas até há pouco tempo apenas o primeiro era reconhecido, enquanto Derlei ainda buscava seu espaço.

O coadjuvante que protagoniza as finais

Derlei começou a carreira no São Paulo em 1989, aos 14 anos, mas não foi muito aproveitado no time profissional. Então, em 1995 ele saiu do clube e passou por Guarani, América de Natal e acabou indo para o Madureira. Fez um bom campeonato carioca em 1999, marcando gols importantes que chamaram a atenção do União de Leiria, em Portugal.

O atacante chegou à equipe portuguesa na metade da temporada de 1999/2000. Mas a seguinte também não foi lá muito produtiva. Ainda se adaptando à Europa, Derlei marcou apenas oito gols. Porém, o time de Leiria ainda apostava nele. O brasileiro permaneceu no clube e estourou na temporada 2001/2, quando fez 21 gols em 33 jogos. O técnico José Mourinho foi peça-chave na ascensão do paulista. Tanto que ao tranferir-se para o Porto, levou consigo Derlei para ajudá-lo na árdua tarefa de recuperar o time português, que não ganhava nada há dois anos.

Derlei chegou como coadjuvante, enquanto Deco fazia uma excelente temporada e chamava a atenção da imprensa e a ambição de outros clubes europeus. Com todos os olhos voltados para Deco, Derlei conseguiu liberdade para seu jogo veloz e com muitos deslocamentos pelas laterais. A dupla dinâmica do Porto deu certo, e Derlei começou a decidir jogos importantes, graças à excelência dos passes e lançamentos feitos por Deco.

Derlei foi aos poucos conquistando a torcida. Arrebatou-a de vez quando marcou dois gols na final da Copa UEFA, contra o Celtic. O Porto venceu por 3 a 2, com gol de Derlei na prorrogação. Surgia o artilheiro das decisões. Poucos dias depois, o mesmo Derlei marcou o único gol na vitória sobre o União Leiria na final da Taça de Portugal. O coadjuvante ganhava o papel de protagonista das finais.

Expectativas para o futuro

Aclamado pelos torcedores, Derlei passou a criar expectativa para a temporada atual. Afinal, o jogador tinha feito apenas sete gols no campeonato português de 2002/3 e só foi mesmo decisivo nas finais da Copa UEFA e da Taça de Portugal. Ele não decepcionou. Tanto que agora, no final de outubro, é o artilheiro do campeonato português, com nove gols.

A empolgação da torcida do Porto resultou em reconhecimento dos outros portugueses. Assim como Deco, que se naturalizou português para jogar na seleção de Scolari, Derlei pode seguir o mesmo caminho. Ele não descarta a possibilidade, e com certeza o técnico Felipão terá um entrosamento melhor na seleção se puder contar com a dupla dinâmica do Porto na equipe.

A nova pergunta que surge é se Derlei continuará jogando tão bem caso Deco ou ele mesmo saiam do Porto para atuar em clubes diferentes. Até hoje, o único Robin que se separou do Batman para seguir carreira própria acabou virando personagem pouco visto em Gotham City.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo