Portugal

Federação portuguesa reitera confiança em Scolari

Gilberto Madaíl, presidente da federação portuguesa (FPF), manifestou seu apoio a Luiz Felipe Scolari. Em comunicado oficial, o dirigente confirmou a permanência do brasileiro no comando da seleção, após os incidentes ocorridos na partida contra a Sérvia, no último dia 12, pelas eliminatórias da Eurocopa-08.

Scolari recebeu uma suspensão por quatro jogos por parte da Uefa por tentar agredir o defensor Dragutinovic com um soco no final da partida entre as duas seleções. A punição tira o técnico das partidas finais dos Tugas nas eliminatórias da Euro-08. Além do gancho, o técnico recebeu uma multa de € 12 mil, mas recorreu da decisão da entidade.

“Com base na apuração dos fatos ocorridos e do processo que ainda corre na UEFA, a direção da federação decidiu apoiar, por unanimidade, o recurso que Scolari apresentará, quer disponibilizando os nossos serviços jurídicos, quer através do acompanhamento por ocasião da audiência marcada para o dia 4 de outubro. Cremos que o afastamento do treinador por quatro jogos é excessivo. É por isso que o vamos apoiar no recurso.”, afirmou Madaíl em seu discurso.

Além disso, o dirigente desmentiu os boatos de que estaria à procura de um substituto para Scolari. “Devo acrescentar que, face aos rumores de má fé que vieram a público, desminto categoricamente qualquer contacto direto ou indireto da FPF, de mim próprio ou de alguém por meu intermédio, com qualquer treinador, português ou estrangeiro, para que eventualmente pudesse suceder a Luiz Felipe Scolari. Isto é completamente falso!”, explicou.

Com as críticas recebidas pelo brasileiro devido ao incidente com Dragutinovic e a saída de José Mourinho do Chelsea, surgiram rumores de que o ex-técnico do Porto estaria cotado para assumir os Tugas.

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo