Onde assistir

Onde assistir ao vivo França x Brasil – Copa do Mundo Feminina – 29/07/2023

Veja onde assistir ao vivo França x Brasil pela Copa do Mundo Feminina

No próximo sábado, 29 de julho, França e Brasil se enfrentarão em um dos jogos mais aguardados da chave F da Copa do Mundo de Futebol Feminino. O encontro faz parte da agenda da segunda rodada da fase de grupos do Mundial e será realizado no estádio Lang Park, também conhecido como Suncorp Stadium, em Brisbane, Austrália. O pontapé inicial está marcado para as 7h (horário de Brasília). A chave F da Copa do Mundo de Futebol Feminino também conta com as equipes de Panamá e Jamaica.

Onde assistir França x Brasil ao vivo?

O jogo entre França x Brasil será neste sábado, 29 de julho, às 7h (horário de Brasília), no estádio Lang Park, também conhecido como Suncorp Stadium, em Brisbane, Austrália. O jogo terá transmissão ao vivo em TV aberta na Globo, em TV fechada no Sportv, através do Youtube na Cazé TV, e via streaming pelo Fifa+ e Globoplay. Você pode conferir mais jogos na Programação de TV.

Data: sábado, 29 de julho de 2023.
Horário: 7h (horário de Brasília).
Local: estádio Lang Park, também conhecido como Suncorp Stadium, em Brisbane, Austrália.
Onde assistir: ao vivo em TV aberta na Globo, em TV fechada no Sportv, através do Youtube na Cazé TV, e via streaming pelo Fifa+ e Globoplay.

 

França (F)
29/07/23 - 07:00

Finalizado

2

-

1

Brasil (F)

França (F) - Brasil (F)

Women's Copa do Mundo - Suncorp Stadium

2° Turno

 

França

A França, sede da edição anterior da Copa do Mundo de Futebol Feminino em 2019, enfrentou uma decepção em sua partida de estreia no grupo F. O jogo ocorreu no domingo, 23 de julho, contra a seleção jamaicana, e terminou em um empate sem gols. Embora a equipe francesa fosse considerada favorita por muitos analistas especializados para ficar em primeiro lugar no grupo, não conseguiu garantir a vitória. Ao longo da partida, a França teve o controle da posse de bola por 67% do tempo, construiu mais que o dobro de oportunidades de arremate (13 contra 6) e liderou o índice de finalizações certas (4 a 2). No entanto, a goleira Rebecca Spencer, de 32 anos, que atua no Tottenham, da Inglaterra, brilhou em campo e foi considerada a melhor jogadora jamaicana no jogo.

Antes do Mundial, a preparação da França enfrentou sérios problemas, com as jogadoras entrando em conflito com a técnica Corinne Diacre. Menos de quatro meses antes da competição, Diacre acabou sendo demitida e Herve Renard assumiu o comando com pouco tempo para implantar sua estratégia. Na partida de estreia, ele montou o time com duas linhas de quatro (defesa e meio-campo) e duas atacantes, buscando a vitória que acabou não se concretizando diante da seleção jamaicana.

Provável escalação: Peyraud Magnin; Karchaoui, Cascarino, Renard (dúvida) e Lakrar; Marji, Toletti, Geyoro e Mateo; Diani e Le Sommer. Técnico Hervé Renard.

Brasil

A seleção brasileira teve uma excelente estreia. Goleou o Panamá por 4 a 0 na segunda-feira, 24 de julho. Desde o começo da partida, assumiu uma postura agressiva, adotando uma marcação forte na saída de bola das rivais e criando muitas oportunidades para finalizações. Ary Borges três vezes e Bia Zaneratto marcaram os gols brasileiros.

A treinadora Pia Sundhage se deu ao luxo de deixar no banco de reservas sua maior estrela, Marta, em sua sexta e provavelmente última participação em uma Copa do Mundo. Marta só foi acionada aos 30 minutos da fase final, quando o jogo já estava praticamente definido. Durante o confronto, o Brasil teve o controle da posse de bola por 73% do tempo e desenvolveu 33 oportunidades de finalização, sendo nove delas no alvo. Enquanto isso, a equipe panamenha fez sete arremates, acertando apenas dois deles.

A vitória na estreia coloca o Brasil em uma posição favorável no grupo F. Diante da França, a seleção brasileira pode até mesmo administrar seu futuro. Se vencer ou empatar, preservará o primeiro lugar no grupo e dependerá apenas de seu resultado para mantê-lo. Isso provavelmente evitará um confronto com a Alemanha na próxima fase. Por outro lado, uma derrota pode colocar a equipe no caminho da Inglaterra nas quartas de final. Tudo isso, é claro, considerando que as rivais também vençam seus jogos.

Provável escalação: Lele; Tamires, Rafaelle, Lauren e Antonia; Adriana, Luana, Kerolin e Ary; Debinha e Bia Zaneratto. Técnica: Pia Sundhage.

Escalações definitivas

Escalações definitivas surgem de forma automática aproximadamente 1 hora antes do jogo.

França (F)

França (F)
4-1-2-3
16
Pauline Peyraud-Magnin
fr
22
Eve Perisset
fr
2
Maelle Lakrar
fr
3
Wendie Renard
fr
7
Sakina Karchaoui
fr
6
Sandie Toletti
fr
8
Grace Geyoro
fr
15
Kenza Dali
fr
11
Kadidiatou Diani
fr
9
Eugenie Le Sommer
fr
13
Selma Bacha
fr
Substitutos
10
Amel Majri
fr
12
Clara Mateo
fr
23
Vicki Becho
fr
20
Estelle Cascarino
fr
14
Aissatou Tounkara
fr
5
Elisa De Almeida
fr
17
Lea Le Garrec
fr
1
Solene Durand
fr
18
Viviane Asseyi
fr
19
Naomie Feller
fr
4
Laurina Fazer
fr
21
Constance Picaud
fr

Brasil (F)

Brasil (F)
4-4-2
12
Leticia Izidoro
br
2
Antonia
br
14
Lauren
br
4
Rafaelle
br
6
Tamires
br
21
Kerolin Nicoli
br
5
Luana
br
11
Adriana
br
9
Debinha
br
18
Geyse
br
17
Ariadina Borges
br
Substitutos
3
Kathellen
br
22
Camila Rodrigues
br
15
Duda Sampaio
br
13
Bruninha
br
23
Gabi Nunes
br
8
Ana Vitoria
br
20
Angelina
br
19
Monica
br
16
Bia Zaneratto
br
7
Andressa
br
10
Marta
br
1
Barbara
br

 

Foto de Bruno Menezes

Bruno Menezes

Jornalista pela Fiam-Faam, onde atua como embaixador do curso e pesquisador na área de mídias sociais digitais. Acredita que o futebol é um microcosmo da sociedade que o rodeia. Cobriu a Copa do Mundo de 2022, além da cobertura dos principais clubes nacionais de futebol masculino e feminino, inloco e da redação, e dos casos Robinho e Daniel Alves. Já colaborou com Editora Abril (Guia do Estudante) e Portal UOL (Editoria de Esportes). Bidou no Trivela em 2023.
Botão Voltar ao topo