Olimpíadas

Com Daniel Alves, São Paulo chega a 10 medalhas olímpicas em sua história

Lateral do São Paulo é o décimo jogador da história do clube a conquistar a honra olímpica. Confira a lista

O lateral direito Daniel Alves voltou de Tóquio com mais um título na bagagem. Com a medalha de ouro no futebol masculino, o jogador de 38 anos chegou à 43ª conquista na carreira, contabilizando todas as taças obtidas com as camisas de Bahia, Sevilla, Barcelona, Juventus, PSG, São Paulo e Seleção Brasileira. Porém, este ouro também tem um significado para o Tricolor Paulista, clube que ele defende atualmente.

Isso porque o São Paulo chegou à marca de 10 medalhas olímpicas na história dos Jogos, considerando atletas que subiram ao pódio representando também o clube, como é o caso de Daniel Alves. Agora, o “quadro de medalhas” do Tricolor conta com três ouros, duas pratas e cinco bronzes.

Pode parecer pouco, mas, se fosse um país, o clube paulista estaria à frente de nações sul-americanas como Chile, Uruguai, Peru, Paraguai e Bolívia, além de outros como Costa Rica, Emirados Árabes Unidos e Angola.

História começou no atletismo

Adhemar foi o primeiro medalhista são-paulino. (Arquivo SPFC)

O primeiro atleta do São Paulo a conquistar uma medalha olímpica não veio do futebol, mas é considerado até hoje como uma das maiores lendas da história do clube: trata-se de Adhemar Ferreira da Silva (cujos recordes no atletismo dão significado às estrelas amarelas no escudo do Tricolor). Ele conquistou ouro nos Jogos de 1952, em Helsinque, na Finlândia.

Além dele, outro atleta não ligado ao futebol também conquistou medalha enquanto defendia o São Paulo. Nos jogos de 2004, o judoca Leandro Guilheiro (hoje, comentarista no SporTV) ficou com o bronze na categoria até 73kg — feito que ele repetiria em 2008, embora não mais como atleta do São Paulo.

Futebol lidera lista de medalhas

Rodrigo Caio foi campeão olímpico em 2016. Foto: Divulgação/Wikimedia

Feitas essas duas ressalvas, o restante da lista é composto apenas por atletas do futebol: são 8 medalhas para o São Paulo. Desde os Jogos de 1996, em Atlanta, somente em 2004 um jogador do clube não conquistou medalha na modalidade. 

A história começou com o lateral-esquerdo André Luiz, campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes em 1993 com o Tricolor. Três anos mais tarde, ele foi convocado pelo técnico Zagallo para os Jogos de Atlanta e participou da campanha do bronze, que veio após goleada por 5 a 0 sobre Portugal na decisão do terceiro lugar. Curiosamente, o artilheiro daquela Olimpíada foi um certo Hernán Crespo, com 6 gols.

Nos Jogos de Sydney, em 2000, o Brasil ficou pelo caminho nas quartas-de-final, perdendo na prorrogação para Camarões, que ficaria com o ouro. Aquela equipe contava com três são-paulinos: Álvaro, Edu e Fábio Aurélio. Porém, foi um chileno quem trouxe para Barra Funda a medalha. O volante Carlos Maldonado esteve na campanha da medalha de bronze de seu país, com vitória por 2 a 0 sobre os Estados Unidos.

Oito anos mais tarde, em Pequim, o Brasil sofreu uma amarga derrota para a Argentina de Lionel Messi nas semifinais e acabou fora da disputa do ouro. Porém, na luta pelo bronze, a seleção comandada por Dunga bateu a Bélgica e subiu ao pódio. Naquela conquista, foram dois tricolores: Alex Silva e Hernanes.

Em 2012, em Londres, outros dois tricolores participaram da campanha de medalha de prata, que veio com derrota para o México na decisão: Lucas Moura e Bruno Uvini. O meia-atacante, inclusive, chegou a participar da decisão, vencida pelos mexicanos por 2 a 1.

No Rio de Janeiro, em 2016, veio a primeira medalha de ouro da história do futebol brasileiro nos Jogos, com vitória sobre a Alemanha nos pênaltis, no Maracanã. A equipe comandada por Rogério Micale e liderada por Neymar tinha o zagueiro tricolor Rodrigo Caio como titular, formando dupla com Marquinhos.

A 10ª medalha chegou há poucos dias, com Daniel Alves. Ele foi o capitão da conquista no Japão, diante da Espanha, participando de todas as partidas da campanha vitoriosa da seleção comandada por André Jardine.

Depois da medalha, polêmicas

Após conquistar sua tão sonhada medalha olímpica, Daniel Alves retorna para o São Paulo em busca de novos títulos (já foi campeão paulista em maio). Com a taça do Brasileirão cada vez mais longe, o principal foco passa a ser a disputa das copas. Na Copa do Brasil, embora muitos sites de apostas em futebol apontem o Tricolor atrás de outros como Flamengo e Atlético/MG no favoritismo, o clube paulista pode surpreender — sobretudo com o retorno de seu lateral-direito titular.

Porém, Dani Alves precisa aparar algumas arestas com a torcida e o clube. Sua ida ao Japão foi desaprovada por grande parte dos torcedores, em virtude de partidas decisivas pela Copa Libertadores e Copa do Brasil que o jogador acabou perdendo. O São Paulo, no entanto, não hesitou em liberar seu atleta, ao contrário do Flamengo, que segurou Pedro.

Após o ouro, além de toda a polêmica envolvendo o agasalho da seleção, o lateral criticou publicamente o Tricolor, alegando as pendências financeiras que o clube tem com o jogador há algum tempo. “O São Paulo tem pendências comigo, e não fui à imprensa falar disso, porque respeito o momento do clube, respeito o que o São Paulo está atravessando, mas também gostaria que o São Paulo e os são-paulinos me respeitassem também, porque tudo que se fala são inverdades. É muito difícil estar no São Paulo, representando o São Paulo, sendo que o São Paulo não se comporta como eu me comporto”.

As declarações caíram como uma bomba no clube e na torcida. Agora, cabe ao jogador reparar os ruídos com aquilo que ele mais sabe fazer: ganhar títulos.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo