Mundo

Torcer faz bem? Pesquisa que relaciona jogos e saúde tem conclusão surpreendente

Universidade do Japão conclui que pessoas que assistem a eventos esportivos são mais propensas a terem satisfação

Acompanhar o seu clube do coração requer não só tempo e organização, mas também paciência. Comumente tendemos a crer que os torcedores ficam mais estressados ao longo não só da partida, como também no pré e no pós-jogo. Dependendo do resultado do seu time ou seleção, isso pode mexer com o seu humor tanto de uma forma positiva como também negativa. A discussão envolvendo saúde mental tem sido cada vez mais constante, inclusive, até entre os jogadores profissionais.

Mas em termos gerais, a ciência mostrou evidências que acompanhar as partidas ao vivo, seja pela televisão ou pelo estádio, podem ter um efeito oposto ao que achamos. Dois professores da Faculdade de Ciências do Esporte da Universidade de Waseda, no Japão, lançaram uma pesquisa que conclui que pessoas que assistem aos seus clubes do coração são mais felizes e têm uma saúde melhor.

Até taxas criminais podem cair

O consumo de esportes é uma maneira de aumentar o bem-estar, e traz resultados positivos para os torcedores, e consequentemente ao redor dessas pessoas. Dentre as análises feitas, a pesquisa mostrou que fãs que acompanham jogos ao vivo tiveram uma propensão a uma saúde melhor, e também a serem mais produtivos. Até mesmo a taxa criminal entre os pesquisados diminuiu, indo contra a alguns clichês que fazem parte da sociedade.

– Um desafio significativo na investigação do bem-estar é a natureza subjetiva dos procedimentos de medição, que pode levar a resultados tendenciosos. Portanto, nossos estudos focaram em medidas subjetivas e objetivas de bem-estar, explicou o professor Shintaro Sato à revista Sports Management Review.

Como pesquisa chegou a essa conclusão?

O estudo, publicado no fim de abril deste ano, usou métodos distintos para chegar a essa conclusão. O primeiro foi um que envolveu 20 mil japoneses, em que a maioria se sentia melhor praticando esportes. O segundo, com 208 participantes online, mostrou que fãs de modalidades populares no país, como beisebol e futebol, eram mais satisfeitos do que os que viam golfe, menos popular.

Mas a terceira pesquisa foi a mais importante e inovadora. Os médicos aplicaram neuroimagens, acompanhando em tempo real como o cérebro dos pesquisados reagia durante os jogos. O estudo revelou que os indivíduos que assistem às partidas mais frequentemente têm uma massa cinzenta maior em regiões do cérebro associadas aos circuitos de recompensa.

– Descobriu-se que as medidas subjetivas e objetivas de bem-estar são positivamente influenciadas pela prática de esportes. Ao induzir mudanças estruturais no sistema de recompensa do cérebro ao longo do tempo, promovem-se benefícios a longo prazo para os indivíduos. Para quem busca melhorar o bem-estar geral, assistir regularmente a esportes, principalmente os mais populares como o beisebol ou o futebol, pode servir como um remédio eficaz – concluiu Sato.

Mesmo que a pesquisa não tenha se aprofundado nos resultados dos jogos e como isso poderia afetar o humor dos pesquisados, o levantamento mostrou ainda assim que há um ganho para o fã e a sociedade que o rodeia ao acompanhar jogos, seja onde for. Portanto, se alguém te diz que passa mal enquanto vê a partida do seu time, saiba que, na verdade, essa pessoa é mais propensa a ter uma vida melhor e mais feliz.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo