Ásia/OceaniaMundo

Quem é quem: Taiti

O Taiti surpreendeu o mundo ao tirar da Nova Zelândia o título da Copa da Oceania. É uma seleção completamente amadora, com apenas um jogador com uma experiência razoável como profissional. Chega ao Brasil sonhando em marcar um gol, e provavelmente pensando que voltar para casa sem nenhuma goleada pesada na bagagem já será um sucesso.

1 – Mikael Roche
Goleiro, 31 anos, Dragon

Formado em educação física, Roche estudou na França e defendeu a equipe B do Monaco, além de clubes semiamadores. De volta ao Taiti após concluir os estudos, foi jogador e técnico da seleção de futebol de areia, antes de passar a integrar o Dragon, atual bicampeão nacional. Titular no início da Copa das Nações da Oceania, perdeu a posição na reta final do torneio.

2 – Alvin Tehau
Atacante, 24 anos, Tefana

Promessa dos taitianos desde a badalada geração que levou o país ao Mundial Sub-20, Alvin se manteve em alta nos anos seguintes, sendo um dos principais jogadores do time na conquista da Copa das Nações da Oceania. Alto, pode jogar tanto na linha de frente quanto como meia, mas se mantém como um dos goleadores da seleção. O atacante teve passagem rápida pelo futebol belga em 2011, sem emplacar. É irmão gêmeo de Lorenzo Tehau, também convocado à Copa das Confederações.

3 – Marama Vahirua
Atacante, 33 anos, Panthrakikos-GRE

Jogador mais badalado do Taiti, Vahirua é o único entre os 23 convocados a atuar fora do país. Atacante veloz e com boa capacidade de definição, mudou-se à França ainda nas categorias de base e passou por Nantes, Nice, Lorient, Nancy e Monaco, acumulando 291 partidas e 66 gols pela Ligue 1. Eleito o melhor jogador da Oceania em 2005, chegou a fazer parte da seleção francesa sub-21 – o que não impediu que fosse convocado por seu país de nascimento pela primeira vez para a Copa das Confederações. É primo de Pascal Vahirua, também nascido no Taiti, mas que defendeu a equipe principal da França.

4 – Teheivarii Ludivion
Zagueiro, 23 anos, Tefana

Trabalhador da construção civil, Ludivion possui bom porte físico e prima pelo senso de antecipação. Membro do elenco que disputou o Mundial Sub-20 de 2009, ascendeu rapidamente à seleção principal e se tornou titular absoluto a partir de 2011. Formado pelo Venus, atualmente defende o Tefana. Entre seus ídolos, estão Laurent Blanc e Lilian Thuram.

5 – Tamatoa Wagemann
Zagueiro, 33 anos, Dragon

Wagemann rodou por equipes nanicas da Alemanha, Suíça e França, além de ter passado pelas categorias de base do Strasbourg. Incentivado a voltar ao Taiti pelo técnico da seleção, o zagueiro de bom porte físico assinou com o Dragon. E foi apenas no final da carreira que o passou a ser convocado, estreando na equipe nacional aos 32 anos.

6 – Henri Caroine
Meio-campista, 31 anos, Dragon

Volante com boa capacidade na marcação, também pode jogar na defesa e é útil por ser ambidestro. Nasceu na Nova Caledônia, mas se mudou ao Taiti aos 21 anos justamente para jogar futebol. Peça-chave no meio de campo, foi titular na campanha vitoriosa na Copa das Nações, bem como nos últimos jogos das Eliminatórias.

7 – Heimano Bourebare
Meio-campista, 24 anos, Dragon

Apesar da pouca idade, Bourebare é rodado no futebol da Oceania, com passagens por Tefana, Mont-Dore e Dragon. Experiência que também vale para a seleção, intocável durante a Copa das Nações e as Eliminatórias. Meio-campista técnico, Dodo também é reconhecido pela resistência física, carregando o piano dos taitianos. Esteve no Mundial Sub-20 de 2009.

8 – Stephane Faatiarau
Lateral, 23 anos, Tefana

Mais um lançado ao futebol internacional no Mundial Sub-20 de 2009, o lateral direito é um coringa no elenco taitiano, podendo atuar também no miolo de zaga. Sua estreia na seleção aconteceu apenas em março, já como titular. Defende o Tefana desde a base.

9 – Teaonui Tehau
Atacante, 20 anos, Venus

Primo mais jovem dos irmãos Tehau, Teaonui possui ascensão brilhante na equipe nacional. Estreou no time aos 19 anos e já soma 16 partidas, além de oito gols – seis deles anotados em uma mesma partida, ante Kiribati. Visto como um dos mais habilidosos do elenco taitiano, geralmente o atacante é utilizado para dar um gás a mais ao time no segundo tempo das partidas.

10 – Nicolas Vallar
Zagueiro, 29 anos, Dragon

A camisa 10 pode até enganar quanto à posição do zagueiro. No entanto, Vallar pode facilmente reivindicar o posto de craque da seleção. O defensor acumula experiência no futebol europeu, incluindo passagens por Montpellier B e Penafiel. Embora só tenha estreado na equipe nacional em 2012, o veterano é o capitão e foi eleito o melhor jogador da Copa das Nações da Oceania. Intocável no time, tem como virtude a leitura de jogo e costuma contribuir com gols em suas subidas ao ataque.

11 – Stanley Atani
Meio-campista, 23 anos, Tefana

Um dos principais jogadores do Tefana, vice-campeão da Liga dos Campeões da Oceania em 2012, Atani começou a deslanchar na seleção um ano antes, participando dos Jogos do Pacífico. Mesmo ausente da Copa das Nações, o meia tornou-se titular durante a reta final da campanhas nas Eliminatórias da Copa.

12 – Edson Lemaire
Lateral, 23 anos, Dragon

Lemaire ganhou sua primeira chance na seleção em 2012 e tem conquistado seu espaço gradativamente, ganhando chance como titular na despedida das Eliminatórias. Mais um jogador do Dragon, pode ser utilizado tanto na lateral quanto aberto no meio-campo.

13 – Steevy Chong Hue
Atacante, 23 anos, Dragon

Mesmo jovem, Chong Hue já é um dos jogadores mais influentes da seleção nacional. Após emergir no Mundial Sub-20 de 2009, foi o responsável pelo momento mais glorioso do futebol no Taiti, ao marcar o gol do título na Copa das Nações da Oceania. Referência no ataque dos polinésios, o descendente de chineses tem ótimos nove gols em 17 jogos pela seleção, combinando oportunismo e rapidez nos movimentos. Chegou a atuar na terceira divisão belga, mas em 2012 retornou ao país para ser campeão da liga com o Dragon.

14 – Rainui Aroita
Meio-campista, 19 anos, Tamarii

Um dos mais jovens do elenco, Aroita fez sua estreia com a camisa nacional em março deste ano. O atleta possui porte físico avantajado e é praticante, além do futebol, também de boxe e do va’a, modalidade de canoagem bastante popular no país. Além da cabeça de área, também pode ser deslocado à zaga.

15 – Lorenzo Tehau
Meio-campista, 24 anos, Tefana

Depois de surgir com a geração sub-20 de 2009, Lorenzo Tehau começou a ganhar oportunidades na seleção principal um ano depois. Meia esquerda, o irmão gêmeo de Alvin  brilhou na estreia da Copa das Nações da Oceania com quatro gols e permaneceu entre os titulares na sequência do torneio. No entanto, quando o técnico Eddy Etaeta começou a fazer testes nas Eliminatórias, perdeu o lugar que parecia cativo.

16 – Ricky Aitamai
Meio-campista, 21 anos, Venus

Aposta recente do técnico Eddy Etaeta, Aitamai compõe o elenco taitiano há alguns meses e possui poucos minutos de experiência em campo com o selecionado. O volante ganhou uma chance no fim das Eliminatórias e, de tanto agradar, foi mantido no grupo. Curiosamente, adiou o fim do semestre na graduação em finanças para viajar ao Brasil.

17 – Jonathan Tehau
Meio-campista, 25 anos, Tefani

O irmão mais velho dos Tehau é também um dos jogadores do Taiti mais tarimbados, com 18 jogos pela seleção e marcou o gol que deu ao país a vaga na final da Copa das Nações da Oceania. Nome praticamente fixo na meia-cancha do time, Jonathan contribui bastante para o equilíbrio no setor e para o ritmo de jogo dos taitianos. Revelado pelo Tamarii, foi contratado pelo Tefana no último ano.

18 – Yohann Tihoni
Atacante, 18 anos, Roniu

Tihoni é o caçula do elenco e só começou a ser chamado pelo técnico Eddy Etaeta no fim das Eliminatórias, quando os taitianos também já estavam fora. Atacante leve e rápido, pode dar mobilidade ao time, mas dificilmente deve ser utilizado na Copa das Confederações.

19 – Vincent Simon
Lateral, 29 anos, Dragon

Parte da seleção desde 2004, Simon passou um longo período sem ser convocado, retornando ao time em 2012. Ainda assim, o lateral é o recordista em jogos pelo país. O defensor se destaca pela velocidade e pela capacidade na recomposição. É dono de seis títulos no Campeonato Taitiano, quatro pelo Pirae e dois pelo Dragon, seu time desde 2011.

20 – Yannick Vero
Lateral, 23 anos, Dragon

Dono de um bom porte físico, Vero começou jogando como volante, mas acabou deslocado para a lateral. Parte do time desde 2012, faz apenas aparições esporádicas entre os titulares. Outro componente da defesa do Dragon, bicampeão taitiano.

21 – Samuel Hnanyine
Atacante, 29 anos, Dragon

Mais baixinho do time, Hnanyine é inclusão recente no elenco de Eddy Etaeta. Disputou apenas uma partida no selecionado, mas já marcando gol contra as Ilhas Salomão, nas Eliminatórias. Canhoto, deve ser aproveitado apenas como substituto na Copa das Confederações.

22 – Gilbert Meriel
Goleiro, 26 anos, Central Sport

Terceiro goleiro, tentou a sorte no futebol francês, mas não foi aproveitado pelas categorias de base do Angers, da segunda divisão. Depois do fracasso, voltou ao Taiti e trabalha como auditor. É o único atleta do Central Sport, penúltimo colocado no último Campeonato Taitiano.

23 – Xavier Samin
Goleiro, 35 anos, Tefana

Jogador mais velho do elenco, Samin soma 13 anos de seleção e disputou as Eliminatórias das últimas três Copas. Tomou a posição de titular durante a disputa da Copa das Nações da Oceania e teve papel importante na conquista. Transmitiu segurança à defesa e sofreu apenas um gol em três partidas. O goleiro defende o Tefana desde os oito anos de idade e, na equipe principal desde 2001, conquistou três vezes o campeonato nacional.

Técnico: Eddy Etaeta

Ex-jogador da seleção taitiana, Etaeta participou das Eliminatórias das Copas do Mundo de 1994 e de 1998. Depois de trabalhar com a formação de jogadores e se tornar diretor da federação, foi convidado em 2010 para treinar a equipe nacional. Terceiro colocado na Copa Ultramar, teve seu maior sucesso na Copa das Nações da Oceania de 2012, quando levou os taitianos a um título que parecia impensável. Etaeta pôde concentrar a seleção ao longo dos últimos três meses, visando a preparação para a Copa das Confederações.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo