Mundo

Neymar e Alisson são os representantes brasileiros entre os finalistas ao prêmio Fifa The Best

Fifa divulgou os nomes que concorrem a seis prêmios de melhores do ano, antes da cerimônia marcada para janeiro

A Fifa anunciou nesta segunda-feira os concorrentes ao prêmio The Best de 2021. A entidade listou os finalistas em diferentes categorias: melhor jogador, melhor jogadora, melhor técnico de futebol masculino, melhor técnico de futebol feminino, melhor goleiro e melhor goleira. Apenas os candidatos ao Prêmio Puskás que serão divulgados posteriormente. Entre os homens, Neymar é o único representante brasileiro numa seleção de 11 futebolistas que mantém Lionel Messi e Cristiano Ronaldo mais uma vez no páreo. Já entre as mulheres, desta vez nenhuma atleta brasileira aparece entre os 13 nomes. Alisson ainda compete como melhor goleiro.

O Fifa The Best, vale lembrar, também considera o voto do público. As escolhas podem ser feitas no próprio site da Fifa, até 10 de dezembro. No início de janeiro, a entidade internacional anunciará os três finalistas de cada uma das sete categorias. Já a cerimônia de premiação está marcada para 17 de janeiro.

Os finalistas foram escolhidos por dois painéis de especialistas, um dedicado ao futebol feminino e outro ao futebol masculino. As comissões são compostas por ex-jogadores. Entre as mulheres, a brasileira Rosana faz parte do comitê técnico, incluindo outras craques como a japonesa Homare Sawa e a inglesa Eniola Aluko. Já entre os homens está o ex-goleiro Júlio César, bem como outros medalhões como David Trezeguet, Javier Mascherano, Tim Cahill, Jürgen Klinsmann e Alexi Lalas.

Vale lembrar que a France Football já tinha anunciado os finalistas da Bola de Ouro. Abaixo, os finalistas de cada uma das seis categorias já divulgadas:

Melhor jogador:

Karim Benzema (França / Real Madrid)
Kevin De Bruyne (Bélgica / Manchester City)
Cristiano Ronaldo (Portugal / Juventus / Manchester United)
Erling Haaland (Noruega / Borussia Dortmund)
Jorginho (Itália / Chelsea)
N’Golo Kanté (França / Chelsea)
Robert Lewandowski (Polônia / Bayern de Munique)
Kylian Mbappé (França / Paris Saint-Germain)
Lionel Messi (Argentina / Barcelona / Paris Saint-Germain)
Neymar (Brasil / Paris Saint-Germain)
Mohamed Salah (Egito / Liverpool)

Melhor jogadora:

Stina Blackstenius (Suécia / Häcken)
Aitana Bonmatí (Espanha / Barcelona)
Lucy Bronze (Inglaterra / Manchester City)
Magdalena Eriksson (Suécia / Chelsea)
Caroline Graham Hansen (Noruega / Barcelona)
Pernille Harder (Dinamarca / Chelsea)
Jennifer Hermoso (Espanha / Barcelona)
Ji Soyun (Coreia do Sul / Chelsea)
Sam Kerr (Austrália / Chelsea)
Vivianne Miedema (Holanda / Arsenal)
Alexia Putellas (Espanha / Barcelona)
Christine Sinclair (Canadá / Portland Thorns)
Ellen White (Inglaterra / Manchester City)

Técnico de futebol feminino:

Lluís Cortés (Espanha / Barcelona)
Peter Gerhardsson (Suécia / Seleção sueca)
Emma Hayes (Inglaterra / Chelsea FC)
Beverly Priestman (Inglaterra / Seleção canadense)
Sarina Wiegman (Holanda / Seleção canadense / Seleção inglesa)

Técnico de futebol masculino:

Antonio Conte (Itália / Internazionale / Tottenham Hotspur)
Hansi Flick (Alemanha / Bayern de Munique / Seleção alemã)
Pep Guardiola (Espanha / Manchester City)
Roberto Mancini (Itália / Seleção italiana)
Lionel Scaloni (Argentina / Seleção argentina)
Diego Simeone (Argentina / Atlético de Madrid)
Thomas Tuchel (Alemanha / Chelsea)

Melhor goleira:

Ann-Katrin Berger (Alemanha / Chelsea)
Christiane Endler (Chile / Paris Saint-Germain / Lyon)
Stephanie Lynn Marie Labbé (Canadá / Rosengård / Paris Saint-Germain)
Hedvig Lindahl (Suécia / Atlético de Madrid)
Alyssa Naeher (Estados Unidos / Chicago Red Stars)

Melhor goleiro:

Alisson Becker (Brasil / Liverpool)
Gianluigi Donnarumma (Itália / Milan / Paris Saint-Germain)
Édouard Mendy (Senegal / Chelsea)
Manuel Neuer (Alemanha / Bayern de Munique)
Kasper Schmeichel (Dinamarca / Leicester City)

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo