Mundo

O ano em que Kroos poderia ter ganhado uma Bola de Ouro

Prestes a se aposentar, Toni Kroos nunca ganhou uma Bola de Ouro - mas houve um ano que poderia ter sido o melhor do mundo

Nesta terça-feira (21), Toni Kroos anunciou que irá se aposentar após a Eurocopa, que será disputada na Alemanha entre os dias 14 de junho e 14 de julho. O meia fará sua última partida pelo Real Madrid no dia 1 de junho, em uma final de Champions League contra o Borussia Dortmund, em Wembley. Aos 34 anos, o jogador se despede do futebol sem uma Bola de Ouro – mas há quem diga que ele poderia.

O que ajuda a explicar o fato de Kroos nunca ter sido eleito o melhor jogador do mundo é sua maior característica dentro de campo. O meia é um regente, aquele atleta do penúltimo passe, cujo trabalho é ligar a defesa ao ataque com um toque de qualidade. Não à toa, o alemão sempre será lembrado por sua visão de jogo diferenciada, além de uma precisão no toque quase inigualável.

Diferente de Lionel Messi e Cristiano Ronaldo – que dominaram a premiação do Ballon d’Or -, Toni Kroos nunca foi alguém com um número absurdo em participações diretas em gols. Mas era ele quem fazia o Bayern de Munique, o Real Madrid e a seleção alemã funcionarem em perfeita harmonia. E um ano, em específico, ele poderia ser escolhido como o melhor jogador: 2018, quando Luka Modrić ficou com a honraria.

Kroos não ficou devendo a Modric em 2018

Naquele ano, o Real Madrid foi campeão da Champions League, com Kroos, Modric e CR7 como um dos destaques. Já o título de La Liga foi para o Barcelona, em mais uma temporada genial de Messi. Contudo, o que pesou para o croata desbancar a hegemonia do português e do argentino na Bola de Ouro foi a Copa do Mundo, da qual ele foi finalista.

Em uma campanha histórica, a Croácia foi vice-campeã mundial, perdendo a decisão para a França. Luka Modric, por sua vez, foi considerado o grande responsável pelo feito. Como consequência, foi eleito o melhor do mundo, mas não por unanimidade. Na temporada 2017/18, o meia fez 59 jogos, marcou cinco gols e deu 11 assistências. Desempenho inferior ao de Toni Kroos.

Como Modric também não teve estatísticas tão expressivas, é possível visualizar o impacto de Kroos naquela temporada mais facilmente. Pegando o 2017/18 pelo Real Madrid, o alemão teve apenas mais dois jogos disputados do que o croata naquela Liga dos Campeões e em La Liga. Mesmo assim, teve quatro fundamentos mais assertivos do que o vencedor do Ballon d’Or com a camisa dos Merengues.

Gols

  • Toni Kroos: 5
  • Luka Modric: 2

Assistências

  • Toni Kroos: 10
  • Luka Modric: 8

Chances criadas

  • Toni Kroos: 88
  • Luka Modric: 48

Desarmes

  • Toni Kroos: 74
  • Luka Modric: 48

Dribles completados

  • Toni Kroos: 26
    Luka Modric: 64

Interceptações

  • Toni Kroos: 23
  • Luka Modric: 45

Ou seja, não seria exagero dizer que Toni Kroos poderia ter sido eleito o melhor jogador do mundo naquele ano. Fato é que isso não aconteceu graças ao desempenho desastroso da Nationalelf na Copa do Mundo na Rússia, sendo eliminada ainda na fase de grupos. E o vexame poderia ser ainda maior se não fosse pelo meia, que marcou o gol da vitória sobre a Suécia no segundo jogo e deixou a Alemanha viva para a última rodada.

Bola de Ouro nunca foi uma obsessão

Aqui vale ressaltar que prêmios individuais nunca foram uma obsessão para Toni Kroos. Em 2023, Joselu chegou a dizer que o alemão do Real Madrid merecia ter “pelo menos cinco Bolas de Ouro” por tudo o que construiu na carreira. O meia dos Merengues discorda, argumentando que o esporte é coletivo e sempre prezou pelos títulos com a equipe:

– Minha opinião é que prêmios individuais são desnecessários num esporte coletivo. Eu sempre disse isso e mantenho minha palavra. Nenhum jogador ganharia qualquer coisa por si mesmo. É algo prestigioso, mas não importante. Essa é uma grande diferença. Minha ideia é que simplesmente não acho a Bola de Ouro importante, ou não tão importante quanto outros jogadores. Nenhum jogador ganharia nada sozinho. Eu me vejo sempre como um jogador de equipe, o que também se deve ao meu estilo de jogo. Sempre quero ganhar títulos com o time. É isso o que conta, no fim. É por isso que não ter vencido a Bola de Ouro não me incomoda, nem nos meus sonhos mais secretos -, disse Kroos em seu podcast.

Toni Kroos em números

Bayer de Munique

  • 24 gols
  • 49 assistências

Bayer Leverkusen

  • 10 gols
  • 13 assistências

Real Madrid

  • 28 gols
  • 98 assistências

Alemanha

  • 17 gols
  • 21 assistências

Ao todo, Toni Kroos tem 33 títulos na carreira – e seus feitos podem ser ainda maiores dependendo dos resultados da Champions e da Euro.

Kroos ainda pode ser eleito o melhor jogador do mundo

Por mais que o Ballon d’Or de 2018 tenha ficado com Luka Modric, Kroos ainda pode ser eleito o melhor jogador do mundo nesta temporada. Mais importante do que nunca para Carlo Ancelotti, o meia segue atuando em alto nível em 2023/24. Ao anunciar que vai pendurar as chuteiras, o alemão se tornou o terceiro favorito na briga pelo prêmio individual, ficando atrás de Vinicius Júnior e Jude Bellingham.

Foto de Matheus Cristianini

Matheus Cristianini

Jornalista formado pela Unesp, com passagens por Antenados no Futebol, Bolavip Brasil, Minha Torcida e Esportelândia. Na Trivela, é redator de futebol nacional e internacional.
Botão Voltar ao topo