Ásia/OceaniaMundial de ClubesMundo

Guangzhou venceu, mas não causa preocupação no Bayern

O Bayern de Munique ainda nem chegou ao Marrocos depois de ter jogado pelo Campeonato Alemão neste sábado. Por isso, os jogadores e comissão técnica certamente não puderam ver o jogo entre Guangzhou Evergrande, campeão asiático, e Al Ahly, campeão africano. Mas Pep Guardiola, Philipp Lahm e companhia não tem muito com o que se preocupar. O jogo fraco que acabou com vitória dos chineses por 2 a 0 não deixa nenhuma dúvida sobre o tamanho do favoritismo do clube alemão na partida. Mesmo que jogue com reservas.

O primeiro tempo foi sofrível e praticamente não teve chances de gol. Uma saída errada do goleiro Zeng quase colocou tudo a perder para o time chinês, mas o ataque egípcio não aproveitou. No mais, algumas chances não muito empolgantes, como um chute cruzado do brasileiro Elkeson, que quase faz o Guangzhou pular na frente.

No segundo tempo, os chineses voltaram bem melhores. Não a ponto de serem soberanos no jogo, mas perto do marasmo de ideias que estava a partida, já foi suficiente para fazer um estrago. E o estrago só poderia vir do trio de ataque. Conca tabelou com Elkeson e tocou para Muriquei finalizar. No rebote, Elkeson, quase em cima da linha, abriu o placar.

O Al Ahly sequer ameaçou. Mesmo perdendo, não conseguia criar nada e dava campo ao Guangzhou para os contra-ataques. Em um desses ataques rápidos, Muriqui recebeu em velocidade de Conca e bateu. O goleiro defendeu e o argentino pegou o rebote para marcar 2 a 0 e matar o jogo.

Tudo que o time chinês pode oferecer de perigo se recume ao trio Conca, Muriqui e Elkeson. Gao Lin, outro do ataque, não faz muito. E nesse time, Muriqui é o mais perigoso, acredite se quiser. Afinal, não é por acaso que ele é considerado o 34º melhor do mundo. Até por isso, Conca é quem vem mais atrás para recompor e deixar o atacante, ex-Vasco e Atlético Mineiro, correr no campo de ataque.

Com o Bayern, o jogo é outro. O Guagnzhou não terá a posse de bola. Nem espaço deve ter. Mas se criar algum perigo, certamente virá do pé desses três jogadores – e mais possivelmente de uma combinação deles. Mas qualquer resultado que não seja uma confortável vitória do Bayern será zebra. Mesmo que os alemães joguem com alguns reservas, como até devem fazer por causa da viagem e do jogo deste sábado. Mas nem é necessário jogar com o seu time principal. Com Xhaqiri e Pizarro já dá para vencer sem sustos. Porque o que o Guangzhou mostrou é que é só isso mesmo. O bom é que futebol não é definido antes e, mesmo assim, pode causar algum problema. Até porque há casos que mostram isso. Lembram do Manchester United com Cristiano Ronaldo e tudo? Sofreu para vencer a LDU, campeã da Libertadores, em 2008. Muriqui, Conca e Elkeson querem ir além das previsões.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador de anúncios? Aí é falta desleal =/

A Trivela é um site independente, que precisa das receitas dos anúncios. Desligue o seu bloqueador para podermos continuar oferecendo conteúdo de qualidade de graça e mantendo nossas receitas. Considere também nos apoiar pelo link "Apoie" no menu superior. Muito obrigado!