Mundo

20 países, três continentes de sede: Fifa lança série de amistosos para desenvolver futebol no mundo

Com nome de Fifa Series, novo projeto tem como objetivo trazer experiência competitiva aos países em desenvolvimento

A Fifa lançará ainda neste mês de março um novo projeto visando proporcionar uma experiência competitiva maior a países que normalmente não têm oportunidades de enfrentar equipes de outros continentes. Chamada de Fifa Series, o evento será disputado por 20 seleções de todas as seis federações vinculadas à entidade máxima do futebol, separadas em cinco grupos com quatro equipes cada. Cada chave terá o seu respectivo país sede: Argélia, Azerbaijão, Sri Lanka e Arábia Saudita, que será responsável por dois grupos, serão os anfitriões da nova competição.

Os jogos da Fifa Series acontecem entre os dias 18 e 26 de março, durante a próxima pausa internacional. O intuito da Fifa é aproveitar a janela de jogos das seleções para proporcionar oportunidades de crescimento para equipes e facilitar a marcação de amistosos.

A Arábia Saudita terá dois grupos na disputa da nova competição, mas sua seleção não participará do torneio, já que enfrentará o Tajiquistão pelas Eliminatórias Asiáticas para o Mundial de 2026 entre os dias 21 e 26 de março, durante a disputa deste novo projeto.

Presidente da Fifa quer dar espaço às seleções em desenvolvimento

Gianni Infantino, presidente da Fifa, prometeu após a sua reeleição em 2023, que daria mais oportunidades de crescimento aos países com menor desenvolvimento futebolístico, apresentando projetos para as nações que normalmente não disputam competições internacionais. Para o mandatário da entidade máxima do futebol, a nova competição é um passo positivo para o futebol de seleções ao nível internacional.

Infantino afirmou também que tal interação será valiosa aos jogadores, torcida e seleções, que vão evoluir seu jogo por meio desta nova série amistosa.

“As nossas Federações Associadas nos falam há muito tempo do seu desejo de se testar contra os seus seleções de todo o mundo, e agora terão esta oportunidade dentro do atual Calendário Internacional de Jogos Masculinos. Partidas mais significativas permitirão uma interação futebolística muito mais valiosa para jogadores, equipes e torcedores, e darão uma contribuição concreta para o desenvolvimento do jogo”, disse Infantino.

O presidente da Fifa ainda complementou dizendo que a entidade cobrirá os custos de viagem das seleções participantes, mas não concederá troféus para os vencedores deste novo torneio. No futuro será possível que seleções mais estabelecidas no cenário internacional também façam parte da nova competição. A ideia da entidade é transformar a Fifa Series em um evento oficial a partir de março de 2026 e organizar a série de amistosos bienalmente.

Na edição deste ano, a Argélia, ao lado da África do Sul, Bolívia e Bulgária, são as únicas seleções que já tiveram a oportunidade de disputar uma Copa do Mundo. Guiné Equatorial, Guiné, Cabo Verde e a própria seleção argelina estiveram na última Copa Africana de Nações, vencida pela Costa do Marfim. Em contrapartida, o Sri Lanka, 207ª colocada no ranking da Fifa, terá a chance de disputar um torneio internacional pela primeira vez como país independente.

O país asiático era território do Reino Unido até 1948 e de lá para cá nunca se classificou para um Mundial, nem mesmo para a disputa de uma Copa da Ásia.

Confira o chaveamento da Fifa Series

Sede Argélia

  • Argélia
  • Bolívia
  • Andorra
  • África do Sul

Sede Azerbaijão

  • Azerbaijão
  • Mongólia
  • Tanzânia
  • Bulgária

Sede Sri Lanka

  • Sri Lanka
  • Butão
  • Papua-Nova Guiné
  • República Centro Africana

Sede Arábia Saudita (A)

  • Cabo Verde
  • Camboja
  • Guiné Equatorial
  • Guiana

Sede Arábia Saudita (B)

  • Bermudas
  • Brunei
  • Vanuatu
  • Guiné
Foto de Lucas de Souza

Lucas de Souza

Esse é Lucas de Souza, redator e repórter do Futebol na Veia e da Trivela. Jornalista especializado em Marketing digital é também narrador do Portal Futebol Interior e da RP2Marketing.
Botão Voltar ao topo