Mundo

Sem Messi e Dybala: Os desafios que Scaloni terá com a Argentina na Data Fifa

Astro da Argentina, Messi se machucou novamente e não joga amistosos contra El Salvador e Costa Rica; há quatro opções diferentes para Scaloni

A data Fifa não seria de amistosos dos mais grandiosos e desafiadores para a Seleção Argentina, mas sem o seu principal astro, os jogos contra El Salvador e Costa Rica darão uma grande dor de cabeça para o técnico Lionel Scaloni. Por meio de suas redes sociais, a AFA anunciou nesta segunda-feira (18) que Lionel Messi foi cortado de ambos os jogos pelo time nacional, que acontecerão nos dias 22 e 26 de março, respectivamente.

– O capitão da Argentina, Lionel Messi, não poderá estar na convocatória para os amistosos nos Estados Unidos devido a uma pequena lesão no isquiotibial da perna direita, sofrida na partida de seu time Inter Miami CF contra o Nashvilla SC – anunciou a AFA.

Na última quarta-feira (13), Messi fez um dos gols da vitória do Inter Miami, que garantiu a vaga da equipe nas quartas de final da Copa dos Campeões da Concacaf, mas precisou ser substituído devido à lesão. Ele sequer esteve apto para participar vitória fora de casa por 3 a 1 do seu time contra o DC United, no último sábado (16) pela MLS. Essa é a segunda lesão do camisa 10 em 2024. Durante o tour do Inter Miami pela Ásia, Messi sentiu dores na perna direita após um jogo na Arábia Saudita, e posteriormente ficou fora de um amistoso contra a seleção de Hong Kong, que inclusive o fez ser odiado pela população local. Já com 36 anos, Messi jogou ao todo cinco de sete partidas oficiais do Inter Miami. Ao todo, já foram 5 gols e duas assistências, mostrando a importância dele para a equipe, dirigida por Gerardo Martino.

E o possível substituto de Messi na partida também está fora dos amistosos. Vivendo excelente fase na Roma, Paulo Dybala foi cortado um pouco antes devido a uma pequena lesão no músculo adutor da perna esquerda. Marcos Senesi, zagueiro do Bournemouth, foi a terceira baixa da lista inicial de Scaloni, também por lesão. E também nesta segunda-feira, a AFA confirmou o afastamento de Exequiel Palacios, que deu vaga ao volante Guido Rodríguez, do Betis.

Quem substituirá Messi?

Com a ausência de Messi, principal referência técnica do time, e também de Dybala, seu substituto natural, Scaloni e seus auxiliares terão de quebrar a cabeça para escalar o time titular argentino. A primeira opção parece ser uma dupla de ataque entre Julian Álvarez e Lautaro Martínez. O atacante do Manchester City vinha jogando ao lado de Haaland durante a lesão de De Bruyne, enquanto o atacante e capitão da Inter de Milão faz excelente temporada. Ele é o artilheiro disparado da Serie A, com 23 gols marcados.

Outra possibilidade é manter o esquema 4-3-3, mas mudar Ángel Di María de lado. Acostumado a jogar pelo lado esquerdo na Seleção, o experiente atacante poderia ser usado pelo lado direito, onde inclusive atua pelo Benfica. Outra possibilidade também é a entrada de Alejandro Garnacho. Mesmo sendo destro, o jovem atacante atua pela direita no Manchester United, e vem inspirado após fazer gol na classificação dos Red Devils, frente ao Liverpool pelas quartas de final da Copa da Inglaterra.

Há ainda duas outras opções dentre os convocados por Scaloni, mas menos prováveis. Valentín Carboni, que nunca estreou pela seleção profissional, joga tanto pelo meio quanto pela direita, assim como Messi e Dybala. Mas os 19 anos e a falta de experiência com a camisa albiceleste jogam contra o atacante do Monza ao menos em um primeiro momento. Outra possibilidade é acrescentar Facundo Buonannotte no lugar que seria ocupado pelo capitão e maior artilheiro da história da Seleção Argentina. Mas o meio-campista nunca jogou tão adiantado, o que poderia fazer Scaloni mudar o esquema tático.

Mesmo que acidentalmente, a lesão de Messi pode ser importante para Scaloni testar um novo time pensando no futuro da Seleção Argentina. Por mais genial que seja, Messi já tem 36 anos, e começa a sofrer com lesões. Opções não faltam para o treinador. Resta saber se ele pretende manter o esquema, ou se a falta do seu grande astro fará com que ele teste mais de uma formação ao longo dos amistosos, que acontecerão nos Estados Unidos.

Foto de Vanderson Pimentel

Vanderson Pimentel

Jornalista formado em 2013, e apaixonado por futebol desde a infância. Em redações, também passou por Estadão e UOL.
Botão Voltar ao topo