Mundo

A Rússia teve uma animadora estreia na Copa das Confederações e amassou a Nova Zelândia

A Nova Zelândia não representava o maior dos desafios. Entretanto, para quem temia um vexame da Rússia já na abertura da Copa das Confederações, os anfitriões trataram de conquistar a sua primeira vitória. A equipe da casa teve uma atuação bastante convincente contra o frágil adversário e comemorou o triunfo por 2 a 0 – até barato, pela quantidade de chances que criaram em São Petersburgo. O time de Stanislav Cherchesov expôs algumas de suas carências. De qualquer maneira, deu motivos para os seus torcedores sorrirem, pela maneira como amassaram os All Whites ao longo dos 90 minutos.

VEJA TAMBÉM: O que a Copa das Confederações significa para cada um de seus oito participantes

Com direito a hino cantado a plenos pulmões e bandeirão nas arquibancadas, a Rússia iniciou o jogo empurrada por sua torcida. E logo nos primeiros minutos já deu seu aviso, com uma bola na trave. Os anfitriões iam demonstrando boa mobilidade no ataque, criando suas chances, enquanto ofereciam poucos espaços aos neozelandeses. Assim, aos 31 minutos, o esperado tento nasceu. Após grande jogada coletiva, Denis Glushakov deu belo toque por cima do goleiro Stefan Marinovic. A bola bateu na trave e, contra o próprio patrimônio, Michael Boxall mandou para dentro.

Mais solta na segunda etapa, com os neozelandeses tentando sair ao ataque, a Rússia martelou. Parou em grandes defesas de Marinovic, assim como nas bolas salvas pela zaga dentro da área. Aos 24 minutos, o merecido segundo gol saiu. Fyodor Smolov iniciou a jogada e apareceu dentro da área para concluir o cruzamento rasteiro de Alexander Samedov. A Nova Zelândia ainda tentaria descontar, parando em boa defesa de Igor Akinfeev e em lance salvo em cima da linha por Yuri Zhirkov. Mas, no final, os russos desperdiçaram outras tantas chances de anotar o terceiro.

Substituído durante os minutos derradeiros para receber os aplausos da torcida, Smolov foi o grande destaque da Rússia. O artilheiro das últimas duas edições do Campeonato Russo chamou a responsabilidade e, além de ter anotado o seu gol, ajudou bastante na construção das jogadas, especialmente por suas fintas. Só não foi perfeito porque falhou na tomada de decisão em alguns lances. Do lado russo, também merecem menção Samedov, Glushakov e Golovin. Enquanto isso, o goleiro Marinovic manteve a honra dos All Whites, colecionando boas intervenções.

Os favoritos do Grupo A se enfrentam neste domingo: Portugal e México encerrarão a primeira rodada em Kazan. A estreia vitoriosa, ao menos, serve para motivar os russos à sequência da competição. Para quem vinha de resultados desanimadores nos últimos tempos, a estreia oferece uma injeção de ânimo para encarar os verdadeiros desafios da primeira fase. Pela apresentação deste sábado, se a equipe melhorar nas conclusões, dá para sonhar com a classificação nas semifinais – ainda que os dois próximos jogos prometam ser bem mais difíceis.

Mostrar mais

Leandro Stein

É completamente viciado em futebol, e não só no que acontece no limite das quatro linhas. Sua paixão é justamente sobre como um mero jogo tem tanta capacidade de transformar a sociedade. Formado pela USP, também foi editor do Olheiros e redator da revista Invicto, além de colaborar com diversas revistas. Escreve na Trivela desde abril de 2010 e faz parte da redação fixa desde setembro de 2011.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo