México

Gladiadores voam no México

O Campeonato Mexicano ainda está no começo, mas já há um parâmetro para os demais clubes seguirem. Após quatro rodadas, o San Luis lidera com quatro vitórias e um empate (o time antecipou uma partida da sexta rodada). Os gladiadores não apenas impressionam pelos resultados, como também pelo futebol seguro que apresentam. Considerando que a equipe do Apertura 2008 pode ser o amadurecimento de um trabalho que já dura um ano, não seria estranho se o final dessa campanha também fosse interessante.

A marca da equipe de San Luis Potosí é como a solidez do conjunto dá suporte ao ataque produtivo. Isso se deve ao tempo em que Raúl Arias está na equipe. O técnico assumiu nas duas últimas rodadas do Apertura 2005. Desde então, pôde evoluir gradualmente com o time, que lutava para fugir do rebaixamento, mas que chegou à Liguilla nos dois últimos torneios e, no anterior, foi à repescagem. No Clausura 2008, os gladiadores já lutaram pela liderança da fase de classificação até a última rodada e caíram só nas semifinais.

O time atua em um 4-4-2. A linha defensiva tem menos destaques individuais, mas conta com jogadores em bom momento, como o goleiro Adrián Martinez e o zagueiro Adrián Arias. O meio-campo está entre os melhores do México. Israel Martinez é a grata surpresa da competição, e, mesmo sendo um lateral deslocado na meia, é o artilheiro do time. Além dele, há o experiente trio Coudet, Patiño e Luna.

Essa formação dá opções de sobre para ajudar os atacantes. Rodolfo Salinas é um jogador de ligação, que transita entre a linha de meio-campo e o ataque. Seu desempenho tem sido tão bom que ele tomou o lugar do colombiano Tressor Moreno, antiga bandeira da equipe. Mais à frente está Piríz, uruguaio que chegou para substituir o artilheiro argentino Alfredo Moreno e o tem feito com surpreendente naturalidade.

Taticamente, é uma equipe madura e os resultados desse início de Apertura mostram isso. O San Luis venceu Pachuca e Atlas fora de casa e o Cruz Azul em seus domínios. Os gladiadores dão pinta de candidatos a um título inédito, porém, o próprio Raúl Arias tenta tirar esse rótulo de seus comandados. Ele argumenta que os potosinos ainda não tiveram grandes desafios, tampouco foram colocados em situações de dificuldade e tiveram de começar a dividir seu calendário com a Copa Sul-Americana.

O técnico tem alguma razão, mas claramente ele procura apenas fugir da pressão. O San Luis de hoje é resultado de um trabalho que já qualificou a equipe entre as mais consistentes do futebol mexicano. Os gladiadores merecem olhares atenciosos, até porque disputa a Copa Sul-Americana e pode cruzar o caminho de argentinos e brasileiros.

SELEÇÃO DA RODADA
Veja a seleção da 4ª rodada do Apertura mexicano do site Medio Tiempo: Oswaldo Sánchez (Santos Laguna); Juan Carlos Valenzuela (Tecos de la UAG), Edgar Dueñas (Toluca), Adrián Arias (San Luis) e Adrián Aldrete (Morelia); Francisco Arce (Santos Laguna), Walter Jiménez (Santos Laguna), Enrique Vera (América) e Rodrigo Ruiz (Tecos de la UAG); Robert (Tecos de la UAG) e Héctor Mancilla (Toluca). Técnico: José Luis Trejo (Tecos de la UAG).

Apito inimigo

Once Caldas x Boyacá Chicó empatavam sem gol até que, nos minutos finais, o árbitro Mauricio Sánchez concedeu um pênalti duvidoso à equipe da casa. A cobrança foi convertida, o Once Caldas venceu e o Chicó chiou. E não chiou pouco.

O presidente boyacense, Eduardo Pimentel, disse que há uma orientação para os árbitros prejudicarem deliberadamente sua equipe. E iria ao Ministério Público colombiano para apresentar provas. O dirigente ainda disse que, se fosse necessário, renunciaria à presidência do Chicó para seguir com a denúncia sem prejudicar o clube.

A Comissão de Arbitragem negou qualquer acusação e diz que os axadrezados pretendem intimidar os apitadores. Tanto que os árbitros anunciaram que não querem trabalhar em Tunja, onde haveria um clima de predisposição contra eles. A Dimayor (liga de clubes) deu apoio à Comissão de Arbitragem e diz garantir a segurança na casa do Boyacá Chicó.

A federação colombiana seguiu o mesmo caminho. Luis Bedoya, presidente da entidade, afirmou que todos os clubes são vítimas ou beneficiários de erros de arbitragem. Além disso, afirmou que há fóruns mais adequados que a imprensa e o Ministério Público para esse tipo de manifestação. Ele faz referência, claro, a reuniões e comissões internas da federação e da liga de clubes.

O comportamento de Pimentel soa a populismo. Até porque o Chicó é o atual campeão colombiano e não teria muitos motivos para se dizer perseguido. De qualquer modo, foi convocada uma reunião da federação colombiana para o próximo dia 28. Nela, será discutida a arbitragem do futebol local e Pimentel poderá dizer o que pensa diante da Comissão de Arbitragem.

Grupos desiguais

Os clubes de La Paz já batem o pé: não querem que o Clausura de 2009 tenha os mesmos critérios de definição de grupos. Atualmente, os clubes são divididos regionalmente, o que tiraria proveito das rivalidades locais e reduziria custos de viagem. No entanto, esse método seria, para os paceños, tecnicamente contestável e prejudicaria equipes do oeste.

Os presidentes de Bolívar (Guido Loayza), The Strongest (Jorge Pacheco) e La Paz (Mauricio González) se reuniram para anunciar que não aceitarão critérios geográficos na próxima temporada. Segundo eles, o grupo com times do Ocidente e Chuquisaca é muito mais forte que o outro, que conta com equipes orientais e Cochabamba.

Faz sentido. De um lado, ficaram os três paceños (duas potências bolivianas e um time em boa fase) e as três maiores forças do interior no último ano (Universitário, San José e Real Potosí). Do outro estão os três grandes em momento de incerteza – os dois de Santa Cruz de la Sierra (Oriente Petrolero e Blooming) e o Jorge Wilstermann – e três times que pensam apenas em fugir do rebaixamento (Aurora, Guabirá e Real Mamoré).

O maior defensor de mudanças é o The Strongest, que já votou contra ao atual critério no início do ano, mas foi voto vencido. Com a aliança dos vizinhos, os atigrados apresentaram uma proposta de definição de grupos por sorteio com cabeças-de-chave. Desse modo, haveria mais equilíbrio e igualdade de condições para as equipes.

Na Bolívia, o Apertura é disputado em pontos corridos e o Clausura, com grupos na primeira fase e hexagonal final. Além disso, foi criado um torneio playoff, que seria uma espécie de Copa da Bolívia.

Convocações

Já saíram as primeiras convocações para a próxima rodada das Eliminatórias sul-americanas para a Copa de 2010.

Veja quem o Equador chamou: goleiros: José Cevallos (LDU Quito), Marcelo Elizaga (Emelec) e Máximo Banguera (Espoli); defensores: Omar De Jesús (Barcelona), Néicer Reasco (LDU Quito), Paúl Ambrosi (LDU Quito), Isaac Mina (Deportivo Quito), Carlos Castro (Barcelona), Iván Hurtado (Millonarios/COL), Giovanni Espinoza (Cruzeiro/BRA) e Jorge Guagua (Barcelona); meio-campistas: José Luis Cortez (Deportivo Quito), Segundo Alejandro Castillo (Estrela Vermelha/SER), Patricio Urrutia (LDU Quito), Luis Antonio Valencia (Wigan/ING), Fernando Hidalgo (Barcelona), Walter Ayoví (El Nacional), Edison Méndez (PSV/HOL) e Luis Bolaños (LDU Quito); atacantes: Pablo Palacios (Barcelona), Cristian Benítez (Santos Laguna/MEX), Felipe Caicedo (Manchester City/ING), Joffre Guerrón (Getafe/ESP) e Carlos Tenorio (Al-Sadd/CAT)

Agora, confira os convocados do Uruguai: goleiros: Juan Castillo (Botafogo/BRA) e Fabián Carini (Murcia/ESP); defensores: Diego Lugano (Fenerbahçe/TUR), Diego Godín (Villarreal/ESP), Martín Cáceres (Barcelona/ESP), Jorge Fucile (Porto/POR) Bruno Silva (Ajax/HOL), Carlos Valdéz (Reggina/ITA), Andrés Scotti (Argentinos Juniors/ARG), Juan Manuel Díaz (Estudiantes/ARG); meio-campistas: Diego Pérez (Monaco/FRA), Maximiliano Pereira (Benfica/POR), Álvaro González (Boca Juniors/ARG), Walter Gargano (Napoli/ITA), Sebastián Eguren (Villarreal/ESP), Cristian Rodríguez (Porto/POR), Ignacio González (Monaco/FRA); atacantes: Diego Forlán (Atlético de Madrid/ESP), Luis Suárez (Ajax/HOL), Sebastián Abreu (Beitar/ISR), Vicente Sánchez (Schalke 04/ALE), Robert Flores (River Plate/ARG) e Sebastián Fernández (Banfield/ARG).

Mostrar mais

Equipe Trivela

A equipe da redação da Trivela, site especializado em futebol que desde 1998 traz informação e análise. Fale com a equipe ou mande sua sugestão de pauta: [email protected]

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo