AlemanhaLeste Europeu

Daniel Farke deixa o Krasnodar sem ter comandado um jogo: “Perda de perspectiva esportiva”

“O lado sério da vida agora nos alcançou”, disse o ex-treinador do Norwich, explicando a sua decisão à revista Kicker

Daniel Farke, ex-técnico do Norwich, rescindiu seu contrato com o Krasnodar nesta quarta-feira, sem ter comandado um único jogo do clube russo. Em entrevista à Kicker, o alemão de 45 anos citou o “atual desenvolvimento político” e a “perda de todas as perspectivas esportivas” entre os motivos por trás da sua decisão.

Demitido pelo clube da Premier League em novembro, Farke havia assumido o Krasnodar em 13 de janeiro. Após a pausa de inverno do Campeonato Russo, seu primeiro jogo seria contra o Lokomotiv Moscou, no último domingo, confronto adiado por causa do início da guerra.

“O atual desenvolvimento político, o pedido dos nossos filhos, esposas, famílias e amigos para voltar para casa e a perda de todas as perspectivas esportivas levaram a esta decisão bem ponderada”, disse Farke, à Kicker.

“É muito difícil para nós porque fomos recebidos com muito carinho desde o primeiro dia. Formamos uma grande comunidade, com diferentes nacionalidades, em muito pouco tempo, que queriam buscar objetivos esportivos juntos, com alegria e diversão. Infelizmente, o lado sério da vida agora nos alcançou”, acrescentou.

Em um comunicado oficial, o Krasnodar afirmou que a direção e Daniel Farke chegaram a um acordo mútuo para terminar o contrato. Os assistentes Edmund Riemer, Chris Domogalla e Christopher John também estão deixando o clube, que será comandado interinamente por Aleksei Antonyuk. “O Krasnodar agradece a comissão técnica pelo trabalho que fizeram e lhes deseja sorte no decorrer de suas carreiras”, disse o sexto colocado da Premier League da Rússia.

Na terça-feira, o técnico do Lokomotiv Moscou, Markus Gisdol, também alemão, havia renunciado dizendo que não poderia “seguir com sua vocação em um país cujo líder é responsável por uma guerra de agressão”. A FIFA e a Uefa anunciaram a suspensão de clubes e seleções russas de suas competições até segunda ordem por causa da invasão.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo