Serie A

‘Tsunami’ de lesões atinge Milan, que terá de reinventar sua defesa contra o Frosinone

A grave lesão de Malick Thiaw deixou o Milan com apenas um zagueiro à disposição de Stefano Pioli

A dolorosa derrota diante do Borussia Dortmund, pela quinta rodada do Grupo F da Champions League, não foi o único baque sofrido pelo Milan na última terça-feira (28). Isso porque, o zagueiro Malick Thiaw sofreu uma grave lesão muscular e aumentou a lista de desfalques do Rossonero para os próximos compromissos da temporada.

A ressonância magnética realizada pelo defensor nesta quarta-feira (29) apontou a presença de uma considerável lesão miotendinosa no bíceps femoral da coxa esquerda. Thiaw sentiu fortes dores no início do segundo tempo, mas saiu de campo mancando e sozinho. A cena aliviou os torcedores rossoneros. Não por muito tempo, já que o pior estava por vir. Após o apito final, o zagueiro alemão foi visto deixando o San Siro de muletas. A triste cena mostrou que não se tratava de um machucado tão simples.

De acordo com a imprensa italiana, o prazo de recuperação para a lesão de Malick Thiaw é de aproximadamente dois meses. Dito isso, a tendência é que o jovem defensor de 22 anos só volte a atuar em 2024.

Milan acumula (pasmem) 25 lesões na atual temporada

Com a situação de Malick Thiaw, o Milan chegou a 25ª lesão em seu elenco na atual temporada. Problemas musculares representam a grande maioria desse número. O tema está em pauta no clube e, de fato, precisa ser analisado com toda atenção e cuidado, até porque, em termos práticos, custou pontos preciosos ao Rossonero, seja na Série A ou Champions League.

Para se ter uma ideia, em um levantamento feito pelo “La Gazzetta dello Sport”, principal jornal esportivo da Itália, constatou-se que somando as partidas (levando em conta torneios nacionais e a Champions League) em que os jogadores do Milan não puderam participar por problemas físicos, chegamos ao gigantesco número de 89 jogos perdidos em apenas três meses de temporada.

Mudança de esquema, improvisações forçadas, perda de entrosamento. Todo esse caos causado pelo acúmulo de lesões acaba por prejudicar o trabalho do técnico Stefano Pioli no momento da montagem da equipe que vai a campo. O mais prejudicado nisso tudo? O Milan, sem dúvidas.

Pioli quebra a cabeça para montar zaga do Milan contra um surpreendente Frosinone

No próximo sábado (2), a partir das 16h45 (horário de Brasília), o Milan enfrenta o Frosinone, no San Siro, em jogo válido pela 14ª rodada da Série A. Quem olha para o confronto, automaticamente pensa: “jogo tranquilo para o Rossonero”. Na teoria pode até ser, mas dificilmente a prática será assim. Além do bom momento do adversário, que venceu três das últimas quatro partidas, Stefano Pioli tem sérios problemas para escalar a defesa milanista.

Pierre Kalulu (rotura completa do tendão femoral esquerdo), Simon Kjaer (fadiga muscular), Marco Pellegrino (distorção do tornozelo) e Mattia Caldara (operou o tornozelo). Todos os zagueiros citados estão fora de combate. Diante do Borussia Dortmund, Pioli contava apenas com Thiaw e Fikayo Tomori. A situação piorou. Com a lesão confirmada do alemão, o ex-Chelsea é o único zagueiro de origem que o técnico tem à disposição para o jogo contra o Frosinone.

Como citado acima, o elenco do Milan sofreu 25 lesões na atual temporada. E somente oito dos 27 jogadores do plantel não amargaram problemas físicos. Além dos zagueiros citados, Rafael Leão (ponta esquerda), Ismael Bennacer (volante), Noah Okafor (centroavante) e Marco Sportiello (goleiro) estão entregues ao departamento médico do clube.

Décimo colocado da Série A, o Frosinone tem 18 pontos conquistados, com cinco vitórias, três empates e cinco derrotas. A equipe, que conta com os brasileiros Reinier (ex-Flamengo) e Kaio Jorge (ex-Santos) no elenco, marcou 19 gols e sofreu 21 até o momento na competição.

Próximos jogos do Milan

  • Milan x Frosinone – Série A – 2/12
  • Atalanta x Milan – Série A – 9/12
  • Newcastle x Milan – Champions League – 13/12
Foto de Guilherme Calvano

Guilherme Calvano

Apaixonado por futebol, uniu o amor pelo esporte mais popular do mundo ao jornalismo. Carioca da gema e grande entusiasta da Premier League, cobriu o Flamengo no Coluna do Fla e o Chelsea no Blues of Stamford. Na música, vai de Post Malone a Armandinho. Eclético assim como na área técnica. Afinal, Guardiola e Mourinho são suas referências.
Botão Voltar ao topo