Serie A

Roberto Mancini pede mais chance aos jogadores da base: “Jogadores jovens na Serie A têm uma melhora incrível”

Treinador da seleção italiana pede que os clubes deem mais chances aos jovens, que podem se desenvolver na Serie A

O treinador Roberto Mancini, da seleção italiana, comentou sobre a presença de jovens na Serie A, que, para ele, ainda é falha. O treinador criticou a falta de oportunidades para os jogadores de 18 ou 19 anos, que normalmente ainda estão no time Primavera, que é equivalente ao time sub-21. Mancini comentou sobre a saída de italianos da Serie A, buscando espaço fora do país, e também a saída de estrelas como Kalidou Koulibaly e Matthijs De Ligt do futebol italiano. Além disso, falou também sobre a Copa do Mundo e a preocupação sobre a paralisação de dois meses na Serie A para o torneio no Catar.

Copa do Mundo no Catar e Serie A

“Eventualmente, irei assistir as partidas no Catar. Não será fácil. Quanto mais penso nisso, mais entende que certas situações estão marcadas. Dominamos o grupo, era para irmos direto para a Copa do Mundo, mas fomos para os playoffs em vez disso”, afirmou o treinador em entrevista ao Il Giornale.

“Nos ajuda que fomos campeões europeus. Temos que recomeçar dali, mais fortes que antes. Sabendo que o esporte é como a vida, totalmente inesperado e que situações incríveis acontecem”.

Para Mancini, a realização da Copa do Mundo em novembro e dezembro é uma preocupação por interromper as ligas nacionais. “Será um torneio estranho. Nunca a temporada foi suspensa por dois meses. Não será fácil. Quando estreei, em 1981, eles tinham um Mundialito na Itália e a Serie A não jogou por apenas 20 dias”, contou o ex-jogador, se referindo ao Mundialito realizado no início de 1981 no Uruguai.

“Aqui os times irão parar, enquanto continuam a trabalhar. Todo será mais difícil. Eu espero que seja um campeonato tão bom quanto no ano anterior. Com luta no topo e lá embaixo e que mais italianos joguem, essa é a minha fixação”, afirmou ainda o técnico da Azzurra.

Italianos atuando fora do país

O técnico ainda foi perguntado sobre os italianos que estão atuando fora do país, com Gianluca Scamacca o mais recente a se aventurar – foi jogar no West Ham. “Eu espero que eles tenham chance de jogar. Isso seria bom. Dessa forma, você pode crescer. Os italianos costumavam ficar aqui, agora são poucos comparados àqueles que vão para outros países”, afirmou o técnico.

“Scamacca já tinha experiência, foi um dos primeiros e emigrar para Holanda. Na Premier League ele pode contribuir muito, mas não será fácil. A coisa mais importante é que ele jogue e melhore”, afirmou o jogador. “Se Gnonto continuará na Suíça? Ele tem 19 anos, irá jogar lá, com certeza, conquistou o título da liga. Ao jogar, ele cresce, então é melhor se ele acha um clube de um nível mais alto”.

“[Lorenzo] Lucca do Pisa para o Ajax? Ele tem uma grande chance de melhorar tecnicamente. Ele não terá pressão, mas ele estará em um time que tem que ganhar sempre. Ajax é como Real Madrid, Barcelona, Juventus e outros em que um empate é derrota. Mas a escola do Ajax se aplica, eles produzem jovens por lá, depois vendem e ganham dinheiro. Nossos jogadores de 18 anos ainda estão nos times Primavera (que são os sub-21 italianos), fora do país eles podem jogar”.

Saída de Koulibaly e De Ligt e jovens talentos italianos

Mancini também comentou sobre as saídas de dois zagueiros badalados, o senegalês Kalidou Koulibaly, que foi para o Chelsea e deixou o Napoli, e Matthijs De Ligt, que deixou a Juventus e foi para o Bayern de Munique. “É uma pena. Quanto melhores eles são, melhores para nós. Eles se desenvolveram aqui, então saíram. É como funciona o futebol agora. Koulibaly não é muito jovem, mas é um dos melhores. De Ligt chegou jovem e ainda jovem saiu. Vamos torcer para que alguns italianos se desenvolvam”, disse o treinador italiano.

“Não vamos esquecer que perdemos [Giorgio] Chiellini, um mestre nos últimos 20 anos. Bonucci tem uma certa idade. Mas veremos algum crescimento. Por exemplo [Giorgio] Scalvini, ele é muito jovem, tem 18 anos, é forte”, disse o treinador. “Ele pode se tornar um grande jogador. [Federico] Gatti nunca jogou na Serie A, ele já tem 24 anos, mas vejo que ele tem potencial. Além de defensores jovens como [Filippo] Ranocchia, que irão melhorar”, continuou o jogador.

Federico Gatti, de 24 anos, é jogador da Juventus, mas não teve a chance de jogar pelo clube. Foi emprestado a clubes da Serie B, como Frosinone, onde ele atuou na temporada passada.  Ele foi contratado na temporada passada pela Juve, por e 5,4 milhões, como aposta para o futuro. Já Filippo Ranocchia, que também é da Juventus, tem 21 anos e foi emprestado ao Monaco nesta temporada, onde deve ter mais espaço para jogar e ganhar experiência na Serie A.

O treinador ainda comentou sobre a especulação sobre Tommaso Mancini, centroavante do Vicenza que é cotado para ir para o Milan. Com apenas 18 anos, ele atuou nas seleções de base italianas, sendo a sub-19 a mais recente delas.

“Ele é um jovem com qualidade. Jogadores jovens na Serie A têm uma melhora incrível. Imediatamente você os vê se desenvolver. Aos 17, 18 anos de idade, há muitos atacantes que são bons tecnicamente. Ele é centroavante, suas qualidades são muito boas”, analisou o treinador.

Chegada de Di Maria

O treinador também comentou a chegada de novos jogadores na Serie A, como o argentino Angel Di Maria, que foi contratado pela Juventus. “Se eles vêm por empréstimo ou transferência livre, é bom”.

“Não sei sobre a situação de [Cesc] Fàbregas, mas Di Maria ainda é muito bom e pode jogar por algumas temporadas”, disse. “A liga italiana não é tão física quanto a inglesa. A qualidade conta, é mais técnica. Obviamente não estamos mais na Serie A dos anos 1980 e 1990”.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo