Serie A

Quem manda aqui sou eu: Juventus derruba 26 jogos de invencibilidade do Napoli

A Juventus conquistou as últimas seis edições da Serie A, mas a melhor equipe da competição vinha sendo o Napoli. A equipe do sul do país não perdia pela liga desde o fim de fevereiro. Uma sequência de 26 partidas sem sentir o gosto da derrota. Não à toa, liderava a tabela, com quatro pontos de distância para a rival. Encarava o confronto direto desta sexta-feira, no San Paolo, como uma oportunidade para se afirmar como principal candidato ao título. Mas, na hora H, a Velha Senhora gritou mais alto: um gol de Higuaín garantiu a vitória por 1 a 0 e o fim da série invicta da equipe de Maurizio Sarri.

LEIA MAIS: Montella não correspondeu às novas expectativas do Milan e, por isso, pagou com o emprego

A derrota não é uma catástrofe para o Napoli. A Juventus ainda está a um ponto de distância. No domingo, a Internazionale tem a possibilidade de assumir a liderança se vencer o Chievo, nono colocado, em casa. Mas dói e dói bastante. Porque era mais um momento para uma equipe que encanta pelo futebol bem jogado mostrar que tem competitividade suficiente para encarar os grandes do continente, depois de perder duas vezes para o Manchester City pela Champions League. Encarou, de fato, foi uma partida equilibrada, mas perdeu.

Dói ainda mais pelo gol ter sido feito por Higuaín. O ex-atacante do Napoli, envolvido em uma transferência polêmica para a Juventus, anotou seu 12º tento da temporada, aos 13 minutos do primeiro tempo. No banco de reservas contra o Crotone, recém-operado na mão, o atacante argentino deixou a sua marca nas últimas cinco rodadas em que entrou em campo. Nesta sexta-feira, foi implacável diante de Pepe Reina.

A primeira chance da partida foi com Higuaín, que saiu cara a cara com Reina, que realizou linda defesa. A Juventus puxou um contra-ataque com seu trio ofensivo. Douglas Costa deixou com Dybala, que avançou pelo meio do gramado. A defesa do Napoli vacilou permitindo que Higuaín corresse sem marcação entre Koulibaly e Mário Rui. O passe chegou, Pipita dominou bem e mandou para as redes antes que o zagueiro napolitano pudesse bloquear a finalização.

 

Insigne precisou ser parado duas vezes por Buffon, que defendeu seu chute de fora da área e uma cabeçada quase certeira no escanteio seguinte. A dinâmica da partida era acentuada, com o Napoli mantendo a posse de bola, tentando furar a boa defesa da Juventus, inclinada ao contra-ataque. Os donos da casa, porém, não conseguiram criar muita coisa, e a melhor oportunidade foi incrivelmente defendida por Reina, em um canhão à queima-roupa de Matuidi.

A frustração era visível no rosto dos torcedores do Napoli no San Paolo. A Juventus mostrou mais solidez e maturidade no confronto direto para reduzir a distância para o líder. Não é à toa que manda na Itália há seis temporadas.

Mostrar mais

Bruno Bonsanti

Como todo aluno da Cásper Líbero que se preze, passou por Rádio Gazeta, Gazeta Esportiva e Portal Terra antes de aterrissar no site que sempre gostou de ler (acredite, ele está falando da Trivela). Acredita que o futebol tem uma capacidade única de causar alegria e tristeza nas mesmas proporções, o que sempre sentiu na pele com os times para os quais torce.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo