Quando a Internazionale contratou Radja Nainggolan, em 2018, ele vinha de uma excelente temporada com a Roma, pela qual tinha sido semifinalista da Champions League. O clube pagou €38 milhões pela sua contratação, que ainda teve Nicolò Zaniolo fazendo o caminho oposto e abatendo €4,5 milhões do montante. Passados dois anos, o jogador não se firmou e, na temporada 2020/21, teve só 45 minutos em campo, em cinco jogos. Nainggolan culpa o técnico Antonio Conte por não dar oportunidade para que ele mostrasse seu futebol. Com isso, foi emprestado mais uma vez ao Cagliari.

LEIA MAIS: Sem espaço na Inter, Nainggolan é emprestado novamente ao Cagliari

O jogador já tinha sido emprestado pela Inter ao Cagliari em 2019/20, quando Conte chegou e o clube queria se livrar tanto de Nainggolan quanto de Mauro Icardi (que foi para o PSG, inicialmente emprestado, depois vendido). Nainggolan voltou do Cagliari para esta temporada 2020/21, mas não teve chance de jogar muito tempo nos primeiros meses da temporada. Decidiu, então, sair, e foi emprestado novamente ao Cagliari, desta vez para terminar a temporada. Seu contrato com a Inter via até 2022.

“Nos Nerazzurri, eu tinha um grande técnico, mas eu fiquei magoado quando ele me deu apenas oito minutos na partida e então me apontou como responsável por tudo”, afirmou o jogador, em entrevista ao Corriere dello Sport. “O que eu poderia fazer em oito minutos? Eu não comecei nenhuma controvérsia ali e nem faço isso agora. Foi assim que aconteceu”, continuou. “Eu estou saudável inteiro. Eu não perco um treinamento, eu nunca chego atrasado.

Solidariedade com Zaniolo

O ex-jogador da Roma ainda comentou sobre a situação de Nicolò Zaniolo, que tem sofrido com lesões. Ele apareceu em uma foto no ano novo segurando a mãe, apoiado no joelho que está machucado. Isso se tornou um caso polêmico, algo que Nainggolan sabe bem o que significa. Nas festas de fim de ano de 2017, quando ainda era jogador da Roma, o jogador apareceu em um vídeo fumando, o que levou a muitas críticas pelo seu comportamento.

“Eu vejo que ele está passando pelo que eu passei. Colocaram sua mira nele”, disse Nainggolan. “Eu paguei por isso. Eu quero dizer claramente: eu estava errado, eu não tinha que beber, eu não tinha que ter me comportado daquele jeito. Mas quem não comete um erro na vida? Eu me vejo no Zaniolo novamente porque eu também fui atacado, xingado nas redes sociais. Não é fácil se reerguer, a única forma é ignorar, não ligar”.

“Eu não sou um professor da vida que dá conselhos. Mas a única forma que ele pode responder é em campo. Para o resto, e tem que ser forte e seguir em frente. Ele irá responder aos que o atacaram nos primeiros jogos que ele jogar”, analisou ainda Nainggolan.

COVID-19: Nainggolan defende a vacina

O belga teve COVID-19 em outubro, mas conseguiu se recuperar em 10 dias. Continuou a treinar em casa nesse tempo. Nainggolan está preocupado com os efeitos do novo coronavírus. “Este ano no campo, nós estamos defendendo muito mais que um resultado. Nós estamos defendendo uma liga do vírus. Ele matou o futebol, nossas vidas e o mundo”, disse o jogador.

“Eu estou pensando naqueles que não têm mais um trabalho, ou tiveram que fechar suas atividades. Eu tomaria [a vacina], mesmo que eu esteja imune, já que eu tive a doença. Eu espero que os primeiros a serem vacinados sejam os mais vulneráveis e os idosos”, afirmou o belga.