ItáliaSerie A

Mesmo a paralisação da partida não impediu o racismo e a xenofobia da torcida da Lazio

Lazio e Napoli fizeram uma boa partida nesta quarta-feira, e os napolitanos, graças ao poder de decisão de Insigne, Higuain e Callejón, conseguiram uma importante vitória fora de casa, por 2 a 0, para se manter na liderança da Serie A. Entretanto, qualquer destaque esportivo ficou em segundo plano diante de mais um episódio de racismo (e xenofobia) por parte da torcida do time mandante. Os insultos racistas dos ultras da Lazio em direção ao zagueiro senegalês Kalidou Koulibaly, do Napoli, foram tão perturbadores que forçaram o árbitro da partida, Massimiliano Irrati, a paralisar momentaneamente o jogo.

VEJA TAMBÉM: D’Alessandro encarnou a alma colorada como craque, como líder e como mais um torcedor

Historicamente conhecidos pelos comportamentos racistas, fascistas e discriminatórios de uma parcela de seus integrantes, os ultras da Lazio devem ter se irritado com os dois gols rápidos marcados pelo Napoli entre os 24 e 27 minutos do primeiro tempo, que selaram o placar do jogo. Isso pode ter de certa forma incentivado os insultos racistas ao zagueiro senegalês Koulibaly e os gritos xenófobos contra os napolitanos. Não que parte da torcida laziale tenha sempre precisado de alguma “justificativa” para espalhar sua estupidez em diversas outras oportunidades.

Os insultos foram se intensificando até que, aos 22 minutos do segundo tempo, o árbrito Massimiliano Irrati decidiu suspender provisoriamente o jogo. Após alguns minutos, retomou a partida, mas a persistência dos gritos racistas e das vaias a Koulibaly sempre que o zagueiro pegava a bola mostrou que mesmo a ameaça de suspensão do jogo não intimidou os torcedores.

É possível que Irrati tenha sofrido algum tipo de pressão pela continuidade da partida, afinal seu paralisamento do jogo dá um indício do que o árbitro acredite ser a medida correta diante desse tipo de incidente. O fato de que tenha dado sequência ao duelo mesmo com a continuidade dos gritos indica que talvez tenha feito contra seus próprios princípios. Que fora de campo a postura da Federação Italiana seja mais firme na punição aos ultras da Lazio. Ainda que esse desejo pareça utópico diante das punições historicamente brandas da entidade.

Momento em que o jogo foi paralisado:

Mostrar mais

Leo Escudeiro

Apaixonado pela estética em torno do futebol tanto quanto pelo esporte em si. Formado em jornalismo pela Cásper Líbero, com pós-graduação em futebol pela Universidade Trivela (alerta de piada, não temos curso). Respeita o passado do esporte, mas quer é saber do futuro (“interesse eterno pelo futebol moderno!”).

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo