ItáliaSerie A

Guia do Italiano (II)

Completamos hoje a apresentação dos 20 times que disputarão a próxima edição da Série A, que começará no sábado. Na semana passada, apresentamos metade das equipes, de Atalanta a Lazio.

A tendência é que a temporada 2012/13 seja a mais equilibrada dos últimos anos. Pena que isso tem um preço: o enfraquecimento dos grandes clubes em relação aos outros europeus e a situação próxima da mendicância das equipes menores. A retirada de pelo menos dois times da Série A tem que ser vista como medida urgente para a tentativa de retomada do bom nível. Por enquanto, boa leitura.

Milan

Cidade: Milão
Estádio: San Siro (82.995 lugares)
Treinador: Massimiliano Allegri (3ª temporada)
Posição na temporada passada:
Competição europeia: Liga dos Campeões (fase de grupos)
Destaque: Kevin-Prince Boateng (meia)
Fique de olho: Mattia De Sciglio (lateral-direito)
Principais reforços: Cristián Zapata (zagueiro, Villarreal-ESP), Riccardo Montolivo (meia, Fiorentina) e Francesco Acerbi (zagueiro, Chievo)
Principais perdas: Zlatan Ibrahimovic (atacante, Paris Saint-Germain-FRA), Thiago Silva (zagueiro, Paris Saint-Germain-FRA) e Alessandro Nesta (zagueiro, Montreal Impact-CAN)
Objetivo na temporada: conquistar o título
Time-base (4-3-1-2): Abbiati; Abate, Zapata, Acerbi (Mexès), Antonini; Emanuelson, Montolivo, Nocerino; Boateng; Alexandre Pato, Robinho.

Os pedidos de renovação do elenco foram levados a sério. Até demais. A temporada que se aproxima pode ser o ano de um redimensionamento (ao menos temporário) no Milan, que perdeu Thiago Silva e Ibrahimovic, os dois melhores estrangeiros do campeonato, de uma só tacada. Vários líderes do elenco também se foram: Nesta, Gattuso, Seedorf, Inzaghi, Zambrotta. E, até o fechamento deste texto, Cassano também estava prestes a sair, rumo à Internazionale. O problema é que as contratações ainda não resolveram os principais problemas milanistas: os goleiros são inseguros, as laterais continuam absurdamente fracas e o ataque praticamente inexiste.

Napoli

Cidade: Nápoles
Estádio: San Paolo (76.824 lugares)
Treinador: Walter Mazzarri (4ª temporada)
Posição na temporada passada:
Competição europeia: Liga Europa (play-offs)
Destaque: Édinson Cavani (atacante)
Fique de olho: Lorenzo Insigne (atacante)
Principais reforços: Valon Behrami (meia, Fiorentina), Alessandro Gamberini (zagueiro, Fiorentina) e Lorenzo Insigne (atacante, Pescara)
Principais perdas: Ezequiel Lavezzi (atacante, Paris Saint-Germain-FRA), Luigi Vitale (lateral-esquerdo, Ternana) e Ignacio Fideleff (zagueiro, Parma)
Objetivo na temporada: lutar pelo título
Time-base (3-4-2-1): De Sanctis; Campagnaro, Cannavaro, Britos (Gamberini); Maggio, Behrami, Inler, Zúñiga (Dossena); Pandev, Hamsík; Cavani.

Conseguir manter Cavani e Hamsík, mesmo sem se classificar para a Liga dos Campeões, é a maior vitória do Napoli. A perda do argentino Lavezzi, por outro lado, será sentida. Mas não é o maior dos males do clube. O esforço financeiro pela dupla que ficou acabou atrapalhando o mercado da equipe, que continua com uma zaga problemática. A maior questão da temporada será até onde conseguirá ir Pandev, agora alçado a uma posição de protagonismo. Caso fracasse, o macedônio pode dar espaço a Insigne, autor de uma ótima temporada pelo Pescara, na segundona, e único atleta sub-23 do time partenopeu.

Palermo

Cidade: Palermo
Estádio: Renzo Barbera (36.349 lugares)
Treinador: Giuseppe Sannino (estreante)
Posição na temporada passada: 16º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Fabrizio Miccoli (atacante)
Fique de olho: Paulo Dybala (atacante)
Principais reforços: Egidio Arévalo Rios (meia, Tijuana-MEX), Franco Brienza (meia, Siena) e Samir Ujkani (goleiro, Novara)
Principais perdas: Matías Silvestre (zagueiro, Inter), Federico Balzaretti (lateral-esquerdo, Roma) e Francesco Della Rocca (meia, Fiorentina)
Objetivo na temporada: um campeonato sem sustos
Time-base (4-4-2): Ujkani; Pisano, Muñoz, Cetto (von Bergen), Mantovani; Bertolo, Arévalo, Donati (Barreto), Brienza; Miccoli, Hernández.

Depois de uma temporada abaixo da média, o Palermo se reforçou bem, com as contratações de Arévalo, Brienza, Ujkani e von Bergen – mas o péssimo ambiente no clube siciliano acaba levando à saída de jogadores importantes. Vice-capitão rosanero, o lateral-esquerdo Balzaretti se mandou para a Roma e enfraqueceu o vestiário da equipe. A saída do camisa 42 abriu o último buraco de uma defesa que terá de se refundar por causa da perda do ótimo zagueiro Silvestre. Acostumado a revelar talentos nas últimas temporadas, o Palermo prepara o lançamento de Dybala em órbita europeia. Contratado mês passado junto ao Instituto de Córdoba, o atacante argentino de 18 anos custou 12 milhões de euros.

Parma

Cidade: Parma
Estádio: Ennio Tardini (23.486 lugares)
Treinador: Roberto Donadoni (2ª temporada)
Posição na temporada passada:
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Antonio Mirante (goleiro)
Fique de olho: Ishak Belfodil (atacante)
Principais reforços: Amauri (atacante, Fiorentina), Dorlan Pabón (atacante, Atlético Nacional-COL) e Sotiris Ninis (meia, Panathinaikos-GRE)
Principais perdas: Sebastian Giovinco (atacante, Juventus), McDonald Mariga (meia, Inter) e Sergio Floccari (atacante, Lazio)
Objetivo na temporada: um campeonato sem sustos
Time-base (3-5-2): Mirante; Zaccardo, Paletta, Lucarelli; Biabiany, Parolo, Valdés, Galloppa, Gobbi; Pabón (Ninis), Amauri.

Conseguir manter metade do time que fez uma campanha surpreendente na temporada passada foi o principal feito do Parma. O problema é que a metade que se foi representava a válvula de escape e era líder na tabela de gols, assistências e faltas sofridas da equipe: Giovinco representava, sozinho, esses 50%. O restante da boa espinha dorsal parmigiana continua no clube e recebeu boas adições. Para substituir o Formiga Atômica recém-negociado, Roberto Donadoni apostará em duas caras novas (Pabón e Ninis) e no retorno do brasileiro Amauri, autor de um ótimo semestre pela equipe em 2011. Se será suficiente, é outra história.

Pescara

Cidade: Pescara
Estádio: Adriatico (24.500 lugares)
Treinador: Giovanni Stroppa (estreante)
Posição na temporada passada: 1º na Série B
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Ciro Capuano (zagueiro)
Fique de olho: Mattia Perin (goleiro)
Principais reforços: Christian Terlizzi (zagueiro, Varese), Vladimír Weiss (meia, Espanyol-ESP) e Birkir Bjarnason (meia, Standard Liege-BEL)
Principais perdas: Marco Verratti (meia, Paris Saint-Germain-FRA), Ciro Immobile (atacante, Genoa) e Lorenzo Insigne (atacante, Napoli)
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento
Time-base (4-3-3): Perin; Zanon, Capuano, Terlizzi, Balzano (Crescenzi); Cascione, Colucci, Blasi (Bjarnason); Weiss, Jonathas (Abbruscato), Celik.

O time campeão da Série B com 90 gols marcados em 42 partidas não existe mais. As armas de destruição em massa daquele Pescara de poucos meses atrás se foram: Immobile e Insigne voltaram a seus clubes de origem, Verratti foi negociado, Sansovini pediu para sair. O treinador que montou a equipe, o tcheco Zdenek Zeman, também abandonou o barco ao ser convidado a retornar à Roma. Com um mercado no mínimo aleatório, a direção adriática colocou apostas arriscadas (Bjarnason, Celik, Jonathas) na mão de Giovanni Stroppa, técnico estreante na primeira divisão. O risco é grande.

Roma

Cidade: Roma
Estádio: Olímpico (73.261 lugares)
Treinador: Zdenek Zeman (estreante)
Posição na temporada passada:
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Daniele De Rossi (meia)
Fique de olho: Nico López (atacante)
Principais reforços: Mattia Destro (atacante, Siena), Leandro Castán (zagueiro, Corinthians-BRA) e Federico Balzaretti (lateral-esquerdo, Palermo)
Principais perdas: Fabio Borini (atacante, Liverpool-ING), Juan (zagueiro, Internacional-BRA) e Gabriel Heinze (zagueiro, Newell’s Old Boys-ARG)
Objetivo na temporada: conquistar uma vaga na Liga dos Campeões
Time-base (4-3-3): Stekelenburg; Piris, Burdisso, Leandro Castán, Balzaretti; Bradley, De Rossi, Pjanic; Lamela (Nico López), Destro (Osvaldo), Totti.

Primeiro, a confirmação do retorno de Zdenek Zeman, uma espécie de Dom Sebastião romanista. Depois, um mercado eficiente intercalado com nove vitórias em nove amistosos. E pronto: a torcida da Roma voltou a se animar, depois de um ano de desilusões. A direção e o novo técnico têm promovido uma revolução no elenco, afastando peças que não seriam utilizadas, e usando o dinheiro levantado para contratar nas posições carentes. Talvez baseado nas boas apresentações de Totti na pré-temporada e na permanência de De Rossi, o apoiador mais confiante até dirá que este já é um time para disputar o título. Fato é que uma vaga na Liga dos Campeões estaria de bom tamanho.

Sampdoria

Cidade: Gênova
Estádio: Luigi Ferraris (36.685 lugares)
Treinador: Ciro Ferrara (estreante)
Posição na temporada passada: 6º lugar na Série B (promovida nos play-offs)
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Maxi López (atacante)
Fique de olho: Shkodran Mustafi (zagueiro)
Principais reforços: Maxi López (atacante, Catania), Marcelo Estigarribia (meia, Juventus) e Andrea Poli (meia, Inter)
Principais perdas: Pasquale Foggia (meia, Lazio), Andrea Rispoli (lateral-direito, Padova) e Graziano Pellè (atacante, Parma)
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento
Time-base (4-3-3): Romero; De Silvestri, Costa (Rossini), Gastaldello, Castellini; Munari (Tissone), Poli, Obiang; Estigarribia, Maxi López, Éder.

A eliminação para a Juve Stabia na Copa da Itália, logo na primeira partida oficial da temporada, foi digerida com dificuldade pela torcida. Técnico que nunca fez nada de espetacular na carreira, Ciro Ferrara foi contratado como grande esperança para o lugar de Giuseppe Iachini, dispensado assim que conseguiu a promoção para a Série A. Os jogadores mudaram pouco, ainda que o estilo de jogo vá passar por alterações com o passar dos meses, privilegiando o ataque pelas laterais. É importante ter atenção: o retorno de Poli e as chegadas de Maxi López, Estigarribia e De Silvestri podem não ser suficientes para qualificar o elenco para garantir a permanência.

Siena

Cidade: Siena
Estádio: Artemio Franchi (15.373 lugares)
Treinador: Serse Cosmi (estreante)
Posição na temporada passada: 14º
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Gaetano D’Agostino (meia)
Fique de olho: Valerio Verre (meia)
Principais reforços: Neto (zagueiro, Nacional-POR), Francesco Valiani (meia, Parma) e Matteo Rubin (lateral-esquerdo, Torino)
Principais perdas: Mattia Destro (atacante, Roma), Alessandro Gazzi (meia, Torino) e Franco Brienza (meia, Palermo)
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento
Time-base (3-1-4-2): Pegolo; Neto, Paci, Contini; D’Agostino; Valiani (Mannini), Vergassola, Rodríguez (Parravicini), Rubin; Bogdani, Calaiò

Equipe mais penalizada com as sentenças de primeiro grau da justiça italiana, o Siena começará o campeonato com seis pontos negativos e, de quebra, perdeu os defensores Vitiello, Terzi e Belmonte por suspensão. Para se safar do rebaixamento, será necessário investir na defesa, que pelo menos conta com o bônus da presença do goleiro Pegolo, muito seguro. Outro problema será suprir a ausência do atacante Destro, que durou apenas uma temporada na Toscana, e ainda não tem substituto. O meia Gazzi também deixará saudade: sem ele, o veterano Vergassola deve recuperar a titularidade do time.

Torino

Cidade: Turim
Estádio: Olímpico (27.994 lugares)
Treinador: Giampiero Ventura (2ª temporada)
Posição na temporada passada: 2º na Série B
Competição europeia: nenhuma
Destaque: Angelo Ogbonna (zagueiro)
Fique de olho: Simone Verdi (meia)
Principais reforços: Jean-François Gillet (goleiro, Bologna), Alessandro Gazzi (meia, Siena) e Gianluca Sansone (atacante, Sassuolo)
Principais perdas: Mirko Antenucci (atacante, Catania), Matteo Rubin (lateral-esquerdo, Siena) e Alessandro Parisi (lateral-esquerdo, aposentou-se)
Objetivo na temporada: fugir do rebaixamento
Time-base (4-4-2): Gillet; Darmian, Glik, Ogbonna, Masiello (Cáceres); Santana, Brighi (Vives), Gazzi, Sansone; Bianchi, Meggiorini.

A temporada nem bem começou e o fantasma da crise já assombra o Torino. A relação entre o comando técnico e a direção está prestes a virar água, depois de mais um episódio público de incompreensão: o zagueiro Ferronetti, contratado sem a anuência de Giampiero Ventura, rescindiu o contrato menos um mês depois. Para completar, o atacante e capitão Bianchi tem permanecido no clube mesmo contra a própria vontade. Pelo menos o mercado granata tem pecado pelo excesso. Todo o meio-campo titular deve ser composto de recém-chegados. Destaque para Gazzi e Sansone, que vêm de boas temporadas por Siena e Sassuolo, respectivamente.

Udinese

Cidade: Údine
Estádio: Friuli (41.652 lugares)
Treinador: Francesco Guidolin (3ª temporada)
Posição na temporada passada:
Competição europeia: Liga dos Campeões (play-offs)
Destaque: Antonio Di Natale (atacante)
Fique de olho: Roberto Pereyra (meia)
Principais reforços: Willians (meia, Flamengo-BRA), Zeljko Brkic (goleiro, Siena) e Luis Muriel (atacante, Lecce)
Principais perdas: Samir Handanovic (goleiro, Inter), Mauricio Isla (meia, Juventus) e Kwadwo Asamoah (meia, Juventus)
Objetivo na temporada: conquistar uma vaga na Liga dos Campeões
Time-base (3-5-1-1): Brkic; Benatia, Danilo, Domizzi; Basta, Willians (Pereyra), Pinzi, Badu (Allan), Armero; Muriel; Di Natale.

Que jogue a primeira pedra quem duvida que a Udinese vá conseguir se classificar para alguma competição europeia. É fato que a equipe se enfraqueceu em relação à última temporada, por causa da perda de três titulares indiscutíveis. Mas, ano após ano, o clube friulano contrata pouco e revela jovens que substituem ainda melhor os velhos donos da posição. O desafio de Francesco Guidolin será montar o meio-campo sem Isla e Asamoah. Dos três brasileiros recém-chegados, o volante Willians deve conseguir uma vaga de imediato como titular. Allan briga por posição com Badu e Basta e Maicosuel pode ser opção ao colombiano Muriel.

Pallonetto

– Onze equipes da Série A estrearam na Copa da Itália, no último fim de semana. Só duas foram eliminadas: por coincidência, os dois times de Gênova, ambos depois da disputa de pênaltis. A Sampdoria caiu para a Juve Stabia e o Genoa, para o Hellas Verona. O jogo mais inesperado foi Modena x Reggina, que foi para a prorrogação empatado em 1 x 1. O time visitante fez quatro gols em 20 minutos e definiu a vaga.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo