Serie A

Guia da Série A 2020/21 – Sampdoria

Este texto faz parte do guia da Serie A. Clique aqui para ver todos os clubes.

Cidade: Gênova (Ligúria)
Estádio: Luigi Ferraris (36.599 lugares)
Fundação: 1946
Apelidos: Blucerchiati, Doria, Samp
Principal rival: Genoa
Participações na Serie A: 64
Títulos: 1
Na última temporada: 15ª posição

Objetivo: meio da tabela
Brasileiros no elenco: nenhum
Técnico: Claudio Ranieri (2ª temporada)
Destaque: Fabio Quagliarella
Fique de olho: Mikkel Damsgaard

Principais chegadas: Valerio Verre (m, Verona) e Mikkel Damsgaard (mat, Nordsjaelland)

Principais saídas: Karol Linetty (m, Torino), Nicola Murru (le, Torino) e Édgar Barreto (m, NEC Nijmegen)

Time-base (4-4-2): Audero; Bereszynski, Yoshida, Colley, Augello; Depaoli, Thorsby, Ekdal, Jankto; Gabbiadini (Ramírez), Quagliarella.

Prontos para mais um ano no meio da tabela, torcedores dorianos? A Sampdoria sofreu poucas alterações em relação à última temporada e se contentará com um percurso menos tortuoso do que o de 2019/20, quando chegou a brigar contra o rebaixamento. Se terminar entre os 10 primeiros colocados, o time de Gênova já se dará por satisfeito.

O principal desafio do veterano Ranieri será acertar a defesa blucerchiata, que foi a sexta pior da última Serie A. Os 65 gols sofridos estão muito acima de um patamar que o treinador, conhecido por montar linhas defensivas bastante compactas e eficientes, considera aceitável. Porém, será difícil lograr êxito com os irregulares zagueiros centrais que tem à disposição – Yoshida, Colley, Chabot e Tonelli.

Além do óbvio destaque para a dupla de atacantes composta pelo veterano Quagliarella e pelo eficiente Gabbiadini, vale ficar de olho na evolução do meio-campo doriano. Apesar de a diretoria ter permitido a saída do incansável Linetty para o Torino, a conjuração nórdica formada por Ekdal e Thorsby, com os garotos Askildsen e Damsgaard como coadjuvantes, promete momentos de eficácia e brilhantismo.

.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo