Serie A

Guia da Série A 2020/21 – Milan

Este texto faz parte do guia da Serie A. Clique aqui para ver todos os clubes.

Cidade: Milão (Lombardia)
Estádio: Giuseppe Meazza (78.275 lugares)
Fundação: 1899
Apelidos: Rossoneri, Diavolo
Principais rivais: Inter e Juventus
Participações na Serie A: 87
Títulos: 18
Na última temporada: 6ª posição

Objetivo: vaga na Liga dos Campeões
Brasileiros no elenco: Léo Duarte e Lucas Paquetá
Técnico: Stefano Pioli (2ª temporada)
Destaque: Gianluigi Donnarumma
Fique de olho: Lorenzo Colombo

Principais chegadas: Sandro Tonali (m, Brescia), Brahim Díaz (mat, Real Madrid) e Ciprian Tatarusanu (g, Lyon)

Principais saídas: Giacomo Bonaventura (m, Fiorentina), Lucas Biglia (v, Fatih Karagümrük) e Asmir Begovic (g, Bournemouth)

Time-base (4-3-1-2): Donnarumma; Conti, Kjaer, Romagnoli, Hernandez; Tonali, Bennacer, Kessié; Çalhanoglu; Ibrahimovic, Rebic (Rafael Leão).

Caso consiga reproduzir na temporada 2020/21 o futebol mostrado no período posterior ao lockdown da última Serie A, o Milan é um dos francos favoritos a uma vaga na Champions League. Dono da segunda melhor campanha do returno, com 41 pontos, o Diavolo prestigiou figuras importantes para o feito: adquiriu Kjaer e Rebic em definitivo, além de renovar com Ibrahimovic e Pioli. O treinador, em especial, ainda ganhou um belo presente para continuar seu ótimo trabalho: Tonali, um dos melhores meio-campistas em circulação pela Itália.

Sandro se junta a Bennacer e Kessié, que tiveram participação decisiva como articuladores recuados da equipe rossonera em 2019/20 e tendem a ser ainda mais importantes com o luxuoso auxílio do regista lombardo. O Milan construiu um meio-campo que, ao aliar cérebro e músculos em altas e similares proporções, pode render em alto nível por uma década inteira e dar resultados imediatos ao rubro-negro.

O Diavolo também conta com outras peças que ocupam as prateleiras mais altas do futebol italiano, como Donnarumma, Romagnoli e Hernández. Sem falar em Çalhanoglu e Rebic, que também entram nesse seleto grupo se confirmarem o nível demonstrado em 2020. O momento é bom, reclamar de falta de um elenco de qualidade está fora de cogitação e, por isso, as expectativas são altas do lado rubro-negro de Milão. Motivos para isso não faltam.

.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo