Serie A

Guia da Série A 2020/21 – Crotone

Este texto faz parte do guia da Serie A. Clique aqui para ver todos os clubes.

Cidade: Crotone (Calábria)
Estádio: Ezio Scida (16.640 lugares)
Fundação: 1910
Apelidos: Rossoblù, Pitagorici, Squali
Principais rivais: Catanzaro e Reggina
Participações na Serie A: 2
Títulos: nenhum (melhor desempenho: 17ª colocação)
Na última temporada: vice-campeão da Serie B; promovido

Objetivo: escapar do rebaixamento
Brasileiros no elenco: Eduardo Henrique e Junior Messias
Técnico: Giovanni Stroppa (3ª temporada)
Destaque: Simy
Fique de olho: Luis Rojas

Principais chegadas: Lisandro Magallán (z, Alavés), Luca Cigarini (v, Cagliari) e Eduardo Henrique (v, Sporting)

Principais saídas: Alberto Gerbo (m, Ascoli), Andrea Barberis (m, Monza) e Maxi López (a, Sambenedettese)

Time-base (3-5-2): Cordaz; Magallán, Marrone, Golemic; Rispoli, Eduardo Henrique, Cigarini, Benali, Molina; Rivière, Simy.

Repetir o milagre da permanência na elite, como ocorreu em 2017, consistirá numa árdua tarefa para os pitagóricos. O Crotone de Stroppa já tinha um grupo modesto para os padrões da Serie B e surpreendeu ao ser vice-campeão, conquistando o acesso.

Para se ter uma noção do feito, um dos principais nomes na campanha dos squali na segundona foi o meia-atacante brasileiro Junior Messias, que atuava na várzea italiana até 2015, quando dividia seu tempo entre os gramados e o emprego de entregador numa loja de eletrodomésticos. Atualmente com 29 anos, o mineiro passou pela Serie D e só em 2018 – quando disputou a terceira categoria – teve sua primeira experiência entre os profissionais.

Ao se reforçar nesta janela de transferências, o clube realizou algumas movimentações interessantes. Os rossoblù buscaram atletas em mercados estrangeiros (Magallán, na Espanha; Eduardo Henrique, em Portugal; Vulic, na Sérvia; Rojas, no Chile; Dragus, na Bélgica) e adquiriram peças experientes e já adaptadas à Itália, como Rispoli, Cigarini e Rivière (ex-Monaco, Newcastle e Osasuna). Uma montagem de elenco deveras criativa.

Apesar disso, a grande esperança reside no grandalhão Simy, bem conhecido da torcida. O nigeriano de 1,98m é ídolo na Calábria: marcou dez gols na primeira divisão pelo clube, em 2017/18 (incluindo um de bicicleta contra a Juventus) e foi o goleador da última Serie B, com 20 tentos. Ao liderar o quesito na segundona, passou a carregar consigo a honra de ter sido o primeiro artilheiro africano de um torneio profissional na Itália.

O Crotone pode até não se salvar, mas os feitos e a casca grossa de alguns de seus principais jogadores antecipam que o time irá lutar bastante para decidir o seu destino.

.

Mostrar mais

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Bloqueador detectado

A Trivela é um site independente e que precisa das receitas dos anúncios. Considere nos apoiar em https://apoia.se/trivela para ser um dos financiadores e considere desligar o seu bloqueador. Agradecemos a compreensão.