Serie A

Guia da Série A 2020/21 – Bologna

Este texto faz parte do guia da Serie A. Clique aqui para ver todos os clubes.

Cidade: Bolonha (Emília-Romanha)
Estádio: Renato Dall’Ara (36.462 lugares)
Fundação: 1909
Apelidos: Rossoblù, Felsinei, Petroniani, Veltri
Principais rivais: Cesena e Fiorentina
Participações na Serie A: 74
Títulos: 7
Na última temporada: 12ª posição

Objetivo: meio da tabela
Brasileiros no elenco: Angelo da Costa, Danilo e Emanuel Vignato
Técnico: Sinisa Mihajlovic (3ª temporada)
Destaque: Musa Barrow
Fique de olho: Aaron Hickey

Principais chegadas: Arturo Calabresi (z, Amiens), Lorenzo De Silvestri (ld, Torino) e Emanuel Vignato (mat, Chievo)

Principais saídas: Ladislav Krejci (mat, Sparta Praga)

Time-base (4-2-3-1): Skorupski; De Silvestri, Tomiyasu, Danilo, Dijks; Medel, Domínguez (Poli); Orsolini, Soriano, Barrow; Palacio.

Com elenco praticamente inalterado de uma temporada para a outra, o Bologna mantém os mesmos objetivos e, provavelmente, os cumprirá. Bem treinada por Mihajlovic, a formação rossoblù não deve encontrar dificuldades para se manter distante da briga contra o rebaixamento e pode até incomodar os favoritos a vagas europeias. Contudo, como a concorrência é grande, obter a classificação para um torneio continental é algo bem improvável para os bolonheses.

Ter Barrow e Domínguez durante toda a temporada será o maior trunfo do Bologna. Os dois jogadores chegaram em janeiro, se adaptaram bem ao time – o atacante gambiano, inclusive, terminou 2019/20 como artilheiro dos veltri – e tendem a impactar de forma mais forte na campanha que está para começar. Por sua vez, Orsolini e Soriano continuam tendo um grande peso ofensivo para a equipe e ganharam um grande aliado na missão: o habilidoso ítalo-brasileiro Vignato, revelado pelo Chievo há dois anos.

Além disso, a diretoria foi inteligente ao buscar, sem custos, o experiente De Silvestri para tentar sanar o maior defeito do Bologna: a inconsistência defensiva mostrada pelos rossoblù no último campeonato. Embora Tomiyasu tenha sido um dos melhores laterais-direitos do certame passado, é possível que o japonês acabe sendo frequentemente deslocado para atuar como zagueiro, de modo a colocar o inconsistente Denswil no banco.

.

Mostrar mais

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo