Champions LeagueItáliaSerie A

Berlusconi se dá nota 10 e projeta Milan na final da Champions duas vezes em cinco anos

Ver o Milan brigando por título na Itália e na Europa é o natural dentro da história do clube e dessas competições. Não por acaso, o Milan é um dos mais vencedores tanto no seu país quanto no seu continente. São 18 títulos italianos, menos apenas que a Juventus, que tem 31. Na Europa, são sete conquistas, menos apenas que o Real Madrid, que tem 10. Só que o último título italiano foi em 2011 e o último europeu foi em 2007. O time se acostumou a ficar longe das taças. Isso, segundo Silvio Berlusconi, que completa nesta semana 30 anos como dono do clube, está para acabar. Ele projeta uma melhora rápido, em cinco anos.

LEIA TAMBÉM: As cinco melhores contratações dos 30 anos da Era Berlusconi (e as cinco piores)

“Talvez não estejamos tão longe disso como as pessoas pensam. Eu estava ocupado com muitas coisas fora de campo, mas agora estou focado no que está acontecendo em campo. Não estamos apenas trabalhando no presente, mas tentando construir um time que possa vencer no futuro. Eu tenho certeza que nós conseguiremos isso. Ao longo dos anos, nós chegamos a oito finais de Champions League. O objetivo é chegar a duas nos próximos cinco anos”, afirmou Berlusconi.

Uma das polêmicas que o clube passou nos últimos anos foi a disputa de poder nos bastidores entre a filha de Berlusconi, Barbara, e o diretor executivo, Adriano Galliani. A filha do dirigente disse que o objetivo nesta temporada é conseguir uma vaga na Liga Europa. O diretor afirmou que o alvo é ficar entre os três primeiros e ir para a Champions League. Questionado sobre isso, Berlusconi, claro, colocou panos quentes.

“Mostra que os dois se importam com o clube. Apesar da idade, Barbara raciocina como um administrador, enquanto Adriano é mais como um torcedor. Eles estão ambos corretos. Está claro que a Liga Europa está mais ao nosso alcance. Na minha carreira, eu sempre defini para mim mesmo objetivos que podem estar fora de alcance, mas eu sempre os alcancei”, afirmou.

O período Berlusconi no poder no Milan é inegavelmente vencedor na história. São dezenas de títulos conquistados, apesar dos últimos anos terem sido muito ruins para o clube, tornando-se coadjuvante primeiro na Europa e agora até na própria Itália. Ainda assim, a avaliação de Berlusconi, é, no mínimo, bastante otimista.

“Nosso objetivo é dar [uma nota] 10, mas dado como as coisas aconteceram, eu diria que é mais de 10. Os últimos 30 anos foram mágicos. Nós vencemos mais do que qualquer um. Nós temos 363 milhões de torcedores ao redor do mundo. E acima de tudo, nosso amor pelo Milan encheu nossos corações com alegria”, descreveu Berlusconi.

Sobre os momentos marcantes, Berlusconi destaca um importante: o primeiro título europeu. “Os 4 a 0 em Barcelona sobre o Steaua Bucarest pela primeira taça da Copa Europeia foi inesquecível. Eu nunca irei esquecer o Camp Nou tomado por bandeiras rubro-nregas. Todo torcedor do Milan, não apenas o time, ganharam aquela copa. Contudo, as duas finais em Atenas são inesquecíveis, por diferentes razões”, analisou o dirigente.

Quando perguntado sobre os momentos que gostaria de esquecer, Berlusconi também tem na ponta da língua. “A virada do Liverpool em Istambul, quando incrivelmente perdemos a final da Champions League depois de estar vencendo por 3 a 0 no intervalo. Nós já esquecemos isso graças aos dois gols de Pippi Inzaghi na final contra o Liverpool dois anos depois. A final da Champions League de 1993 ainda deixa um gosto amargo. Nós chegamos tendo vencido todos os jogos até ali, 10 de 10. Perdemos por 1 a 0 para o [Olympique de] Marseille”, contou ainda o dirigente do Milan.

Nos 30 anos como dono do Milan, Berlusconi viu grandes jogadores com a camisa do clube. Perguntado quais dele ele gostaria de ver de novo vestindo a camisa rubro-negra, ele nomeou muitos. “Eu gostaria de ver todas as nossas estrelas. De Marco van Basten, que deixou o futebol muito cedo, a Franco Baresi, nosso capitão. E tem Dejan Sacicevic, Ronaldinho, Paolo Maldini, Alessandro COstacurta, Mauro Tassotti, Roberto Donadoni, Daniele Massaro, George Weah, Ruud Gullit, Adriy Shevchenko e Kaká… Eu não posso nomear todos eles. Contudo, eu me afeiçoei a muitos deles e eu fui como um irmão mais velho para muitos deles. Eu gostaria de adicionar que o Milan é o único clube que tem três jogadores no pódio da Bola de Ouro [em 1988 e 1989]”, afirmou o ex-premiê italiano.

Veremos se Berlusconi consegue fazer o que diz que o Milan é capaz. Chegar a uma final de Champions League na atual era dos grandes esquadrões, como Barcelona Real madrid e Bayern de Munique, tem sido uma tarefa árdua. Mas Atlético de Madrid e Chelsea conseguiram, assim como o Borussia Dortmund. Talvez seja possível se o Milan parar de errar tanto na sua gestão.

Mostrar mais

Felipe Lobo

Formado em Comunicação e Multimeios na PUC-SP e Jornalismo pela USP, encontrou no jornalismo a melhor forma de unir duas paixões: futebol e escrever. Acha que é um grande técnico no Football Manager e se apaixonou por futebol italiano (Forza Inter!) desde as transmissões da Band. Saiu da posição de leitor para trabalhar na Trivela em 2009.

Conteúdos relacionados

Botão Voltar ao topo